Fortimbrás, Mário Amora Ramos

A primeira referência ao jovem Fortimbrás, filho do falecido rei da Noruega, é feita na primeira cena da peça. Horácio explica a Marcelo e Bernardo, seus companheiros na guarda do…

Continuar lendo Fortimbrás, Mário Amora Ramos

A Tenra Juventude, Mário Amora Ramos

O casamento ocupava, à época de Shakespeare, o centro das preocupações femininas. As donzelas viviam praticamente recolhidas na casa dos pais e lhes deviam estrita obediência. Os pais, por sua…

Continuar lendo A Tenra Juventude, Mário Amora Ramos

Teseu e Ariadne, Mário Amora Ramos

Segundo a lenda, Atenas devia mandar, uma vez por ano, sete moças e sete rapazes para Creta, para serem devorados pelo Minotauro, um monstro mitológico com cabeça de touro e…

Continuar lendo Teseu e Ariadne, Mário Amora Ramos

Quem Está Aí?, Mário Amora Ramos

A pergunta acima é a primeira fala de Hamlet, que já começa num clima fantasmagórico. Acaba de soar meia-noite e Francisco está de sentinela no terraço do castelo de Elsinore,…

Continuar lendo Quem Está Aí?, Mário Amora Ramos

A Arrogância de Hamlet, Mário Amora Ramos

Por mais que admiremos sua firme determinação de levar adiante a promessa de vingança feita ao fantasma do pai, é preciso reconhecer que Hamlet dá mostras freqüentes de ser voluntarioso,…

Continuar lendo A Arrogância de Hamlet, Mário Amora Ramos

A Dúvida de Otelo, Mário Amora Ramos

Otelo, personagem principal da tragédia que leva seu nome, é um general mouro, a serviço de Veneza. Ele se casa com a jovem Desdêmona, filha de Brabâncio, um senador veneziano,…

Continuar lendo A Dúvida de Otelo, Mário Amora Ramos

O Poder dos Astros, Mário Amora Ramos

Os favorecidos pelos astros estão no primeiro verso do Soneto 25, reproduzido a seguir: “Que aqueles que estão favorecidos por seus astros Vangloriem-se de sua honra pública e de seus…

Continuar lendo O Poder dos Astros, Mário Amora Ramos

Macbeth e o Sono, Mário Amora Ramos

“Macbeth” é uma das grandes tragédias escritas pelo poeta, dramaturgo e ator William Shakespeare (1564-1616). Seu personagem principal é um general escocês vitorioso que, ao acreditar nas profecias de três…

Continuar lendo Macbeth e o Sono, Mário Amora Ramos

Sonhos Premonitórios em Otelo, Mário Amora Ramos

Os sonhos e outros eventos premonitórios em Shakespeare são normalmente sinais precursores de acontecimentos trágicos. Eis alguns exemplos: a) Na tragédia “Júlio César”, a morte de seu principal protagonista foi…

Continuar lendo Sonhos Premonitórios em Otelo, Mário Amora Ramos

O Vocabulário de Macbeth, Mário Amora Ramos

A exemplo das demais peças de Shakespeare, as palavras muitas vezes assumem significados os mais diversos. Uma palavra simples como time (tempo), que aparece dezenas de vezes na peça, pode…

Continuar lendo O Vocabulário de Macbeth, Mário Amora Ramos

O Vocabulário de Otelo, Mário Amora Ramos

A exemplo das demais peças de Shakespeare, as palavras muitas vezes assumem significados os mais diversos. Palavras simples como “honesta/o” (honest) e “honestidade” (honesty), que aparecem mais de cinqüenta vezes…

Continuar lendo O Vocabulário de Otelo, Mário Amora Ramos

O Vocabulário de Hamlet, Mário Amora Ramos

As palavras da peça muitas vezes assumem um significado impossível de ser detectado, por exemplo, com o uso de um tradutor automático. Uma palavra simples como \"green\" (verde) pode ter…

Continuar lendo O Vocabulário de Hamlet, Mário Amora Ramos

Shakespeare e os esternocéfalos, Mário Amora Ramos

O termo acima foi cunhado pelo escritor Sergio Ramírez, da “Academia Nicaragüense de la Lengua” (Academia Nicaraguense da Língua) e membro correspondente da “Real Academia Española” (Real Academia Espanhola). A…

Continuar lendo Shakespeare e os esternocéfalos, Mário Amora Ramos

Vocabulário

https://shakespearebrasileiro.org/o-vocabulario-de-otelo-mario-amora-ramos/ https://shakespearebrasileiro.org/o-vocabulario-de-hamlet-mario-amora-ramos/ https://shakespearebrasileiro.org/o-vocabulario-de-macbeth-mario-amora-ramos/

Continuar lendo Vocabulário