O Vocabulário de Otelo, Mário Amora Ramos

A exemplo das demais peças de Shakespeare, as palavras muitas vezes assumem significados os mais diversos. Palavras simples como “honesta/o” (honest) e “honestidade” (honesty), que aparecem mais de cinqüenta vezes na peça, podem ter os sentidos mais diversos:

a) Quando Iago se refere a empregados obedientes e dedicados, traduzir como “honestos” parece apropriado: “Estes patifes honestos merecem o chicote” (Whip me such honest knaves) (1.1);

b) Quando Brabâncio diz o que pensa “com toda franqueza” (in honest plainness) (1.1), a tradução literal já não parece tão adequada;

c) Otelo recomenda seu alferes ao doge de Veneza porque “ele é um homem íntegro e de confiança” (A man he is of honest and trust) (1.3);

d) Nesta recomendação de Otelo, “honrado” parece melhor, para traduzir a confiança que o general deposita em seu alferes: “Honrado Iago,/ deixo minha Desdêmona aos seus cuidados” (Honest Iago,/ My Desdemona must I leave to thee) (1.3);

e) Otelo diz a Cássio que “Iago é muito leal” (Iago is most honest) (2.3), isto é, fiel a seus compromissos;

f) Para Montano, alertar o general seria “uma ação nobre” (an honest action) (2.3);

g) O sentido pode ser de casta, pura ou virtuosa, como nesta resposta de Desdêmona a Otelo: “Espero que meu nobre senhor me considere virtuosa” (I hope my noble lord esteems me honest) (4.2).

Os exemplos abaixo ilustram a riqueza do vocabulário de Shakespeare. Que eles sirvam de estímulo para que o leitor de língua portuguesa tenha acesso à experiência inesquecível de ler o texto original:

Abhor
Normalmente significa “detestar”, mas pode ter o sentido de “causar horror”, como nesta fala de Desdêmona para Iago: “Não posso dizer ‘prostituta’,/ causa-me horror agora que disse a palavra” (I cannot say Whore,/ It does abhor me now I speak the word) (4.2).

Abode
É o mesmo que “permanência” ou “estada” (stay), como nesta insinuação de Iago para Rodrigo: “Oh, não, ele vai para a Mauritânia e levará com ele a bela Desdêmona, a menos que sua estada aqui seja prolongada por algum acidente” (O, no; he goes into Mauritania and takes away with him the fair Desdemona, unless his abode be lingered here by some accident) (4.2).

Abuse
Há um sentido obsoleto de “enganar” (to deceive) nesta fala de Iago para Otelo: “Eu não gostaria que sua natureza franca e nobre/ por sua bondade natural, fosse enganada” (I would not have your free and noble nature,/ Out of self-bounty, be abused) (3.3).

Acknown
A expressão to be acknown significa “tomar conhecimento”. Iago, referindo-se ao lenço de Desdêmona, pede a Emília: “Não tome conhecimento disto; eu tenho um uso para ele” (Be not acknown on ’t; I have use for it) (3.3). Em outras palavras, Iago pede que Emília finja que não sabe de nada.

Addition
Trata-se de um título acrescentado a um nome. Iago saúda o tenente com a patente perdida e este responde: “O pior é que você me atribui um título cuja falta me mortifica” (The worser that you give me the addition/ Whose want even kills me) (4.1). O título pode ser desonroso, como nesta fala de Desdêmona: “Fazer um ato que pudesse justificar este título [de prostituta]/ nem por toda a vaidade do mundo eu o faria” (To do the act that might the addition earn/ Not the world’s mass of vanity could make me) (4.2).

Adieu
Iago despede-se de Rodrigo com a palavra francesa adieu (adeus): “Falaremos mais disto amanhã. Adeus” (We will have more of this to-morrow. Adieu) (1.3).

Advantage
Trata-se de “vantagem”, mas pode ser “oportunidade” ou “ocasião”, como neste pedido de Cássio para Emília: “Dê-me a oportunidade de conversar um pouco/ com Desdêmona em particular” (Give me advantage of some brief discourse/ With Desdemona alone) (3.1).

Advocation
É um termo arcaico para “advocacia” (advocacy). Desdêmona lamenta para Cássio que “minha advocacia não está afinada agora” (My advocation is not now in tune) (3.4).

Affect 1
Pode ser “arroubo” ou “arrebatamento”, como nesta fala de Otelo: “os arroubos da juventude/ em mim extintos” (the young affects/ In me defunct) (1.3).

Affect 2
Como verbo, tem o sentido de “deixar-se seduzir”, nesta fala de Iago, referindo-se a Desdêmona: “Sem se deixar seduzir por muitos pretendentes que se apresentavam” (Not to affect many proposed matches) (3.3).

Affection
É o mesmo que “afeição”, mas aqui tem o sentido de “amizade”. Segundo Iago, “a promoção é conseguida por carta [de recomendação] e por amizade” (Preferment goes by letter and affection) (1.1).

Affined 1
Este adjetivo deriva do latim affinitas (afinidade, relação), como nesta fala de Iago para Rodrigo: “Agora, senhor, julgue por si mesmo/ se há algum motivo para que eu tenha alguma relação/ de amizade com o mouro” (Now, sir, be judge yourself,/ Whether I in any just term am affined/ To love the Moor) (1.1).

Affined 2
Pode ter o sentido de “vínculo”, nesta fala de Montano para Iago: “Se por algum vínculo de parte a parte, ou espírito de equipe,/ você não disser a verdade,/ você não é um soldado” (If partially affined, or leagued in office,/ Thou dost deliver more or less than truth,/ Thou art no soldier) (2.3).

Affinity
Pode ser “afinidade” e “relação de parentesco” (kindred), como nesta fala de Emilía: “Aquele que você feriu é pessoa de grande importância em Chipre,/ e parentes poderosos” (he you hurt is of great fame in Cyprus,/ And great affinity) (3.1).

Agnize
É o mesmo que “reconhecer” (to acknowledge) ou “admitir” (to admit), como nesta fala de Otelo aos senadores: “Reconheço/ um entusiasmo natural e pronto/ que encontro diante das dificuldades” (I do agnize/ A natural and prompt alacrity,/ I find in hardness) (1.3).

Alarum
Esta é uma forma poética de “alarme” (alarm), mas Iago usa o termo num sentido figurado de “convite” ou “chamado”, referindo-se a Desdêmona: “E quando ela fala, não é um alarma para o amor?” (And when she speaks, is it not an alarum to love?) (2.3).

Alas
É uma exclamação de pesar ou preocupação, como nesta fala aflita de Desdêmona para Otelo: “Ai de mim, porque você morde assim seu lábio inferior?” (Alas, why gnaw you so your nether lip?) (5.2).

Albeit
É o mesmo que al(though) it be (embora seja assim) ou, resumidamente, “embora” (although), como nesta fala de Otelo, sobre ele próprio: “alguém cujos olhos afligidos,/ embora sem o hábito de enternecer-se,/ derramou tantas lágrimas quanto as árvores da Arábia” (one whose subdued eyes,/ Albeit unused to the melting mood,/ Drop tears as fast as the Arabian trees) (5.2).

Almain
É um termo arcaico para “alemão”, talvez do francês allemand, como nesta fala de Iago, segundo o qual o inglês bebe tanto que “nem sua para derrubar o alemão” (he sweats not to overthrow your Almain) (2.3).

Alms
Este substantivo, usado no plural, significa “esmolas” (do grego eleemosyne). Cássio pede ajuda a Desdêmona para voltar a privar da amizade de Otelo, para não ficar entregue “às esmolas da Fortuna” (To Fortune’s alms) (3.4).

Amends
Este substantivo, normalmernte usado no plural, tem o sentido de “reparação”, do latim emendare (emendar, corrigir). A expressão to make amends tem o sentido de “pedir desculpas”, nesta fala de Ludovico a Otelo, referindo-se a Dedsdêmona: “É demais:/ peça-lhe desculpas; ela está chorando” (’tis very much:/ Make her amends; she weeps) (4.1).

Amiable
Em geral é “amável”, do latim amicus (amigo), mas tem o sentido de “amada”, quando Otelo conta a Desdêmona que a feiticeira prometera à mãe dele que o lenço “a faria amada e subjugaria meu pai” (’Twould make her amiable and subdue my father) (3.4).

Amiss
É o mesmo que “errado” ou “impróprio”, mas tem o sentido de “censurável” nesta fala de Montano: “não sei de nada/ que eu tenha dito ou feito de censurável esta noite” (nor know I aught/ By me that’s said or done amiss this night) (2.3).

Ancient
Iago tem o posto de “alferes”, imediatamente abaixo do de tenente. O posto existiu apenas no Brasil colonial e imperial. Aparece várias vezes na peça.

Anew
É o mesmo que “novamente” (again). Iago, referindo-se a Cássio, diz a Otelo: “Pois eu o farei contar novamente a história” (For I will make him tell the tale anew) (4.1).

Anon
É um advérbio de tempo de uso arcaico, que significa “logo” (soon), como nesta fala de Otelo para Desdêmona: “Logo mandarei chamá-la” (I’ll send for you anon!) (4.1).

Answerable
O adjetivo deriva de answer (resposta) e tem um sentido arcaico de “correspondente” ou “proporcional”, como nesta fala de Iago: “foi um começo violento e você/ verá uma separação correspondente” (it was a violent commencement, and thou/shalt see an answerable sequestration) (1.3).

Anthropophagus
É “antropófago”, do grego anthropos (homem) e phagein (comer). Está no plural nesta fala de Otelo: “Os antropófagos e homens cujas cabeças/ Cresciam abaixo de seus ombros” (The Anthropophagi and men whose heads/ Do grow beneath their shoulders) (1.3).

Antre
É um termo poético, do latim antrum (caverna). Otelo conta que conversava com Brabâncio “de vastas cavernas e desertos áridos” (of antres vast and deserts idle) (1.3). Aparece apenas em Otelo.

Appearance 1
Tem o sentido de “presença”, do latim apparentia, nesta fala de Cássio, ao dizer a Otelo que o doge requisita “sua presença com toda urgência” (your haste-post-haste appearance) (1.2).

Appearance 2
É “aparência” nesta fala de um mensageiro, ao revelar que os navios turcos navegam “com franca aparência de propósitos/ na direção de Chipre” (with frank appearance/ Their purposes toward Cyprus) (1.3).

Argue
Pode ser “discutir” e também “indicar” ou “anunciar”, como nesta fala de Otelo, referindo-se às mãos úmidas de Desdêmona: “Isto indica fecundidade e coração libidinoso” (This argues fruitfulness and liberal heart) (3.4).

Arithmetician
“Aritmético” tem aqui o sentido de “teórico”, isto é, alguém sem experiência prática, como nesta fala de Iago: “Na verdade, um grande aritmético,/ um tal Miguel Cássio” (Forsooth, a great arithmetician,/ One Michael Cassio) (1.1).

Arraign
É o mesmo que “acusar” (to accuse), como nesta fala de Desdêmona para Emília, reconhecendo que estava “acusando sua indelicadeza [de Otelo] com minha alma” (Arraigning his unkindness with my soul) (3.4).

Arrivance
É o mesmo que arrival (chegada), como nesta fala de um cavalheiro no porto: “Pois a cada minuto há a esperança/ de uma nova chegada” (For every minute is expectancy/ Of more arrivance) (2.1). Existe em português o equivalente “arribação”.

Aspic
É o mesmo que “áspide”, do latim aspis, uma pequena serpente venenosa, como nesta fala de Otelo: “Dilate, peito, com sua carga/ pois ela é de línguas de áspides” (Swell, bosom, with thy fraught,/ For ’tis of aspics’ tongues!) (3.3). A grafia atual é asp.

Assay
É o mesmo que “tentativa” (attempt) ou “teste” (test), do francês essai (ensaio), como nesta fala de Desdêmona para Iago: “Faça um teste” (Come on assay) (2.1).

Atone
É o mesmo que “reconciliar” (to reconcile), como nesta fala de Desdêmona: “Eu faria muito/ para reconciliá-los, pela amizade que sinto por Cássio” (I would do much/ To atone them, for the love I bear to Cassio) (4.1).

Attach
Normalmente é “juntar” ou “anexar”, mas tem o sentido de “prender” (to arrest) nesta fala de Brabâncio: “Eu, portanto, prendo-o e acuso-o/ de corruptor do mundo” (I therefore apprehend and do attach thee/ For an abuser of the world) (1.2).

Attend 1
O verbo to attend on significa “servir”. Iago refere-se a empregados que “guardam seus corações para servir a si mesmos” (Keep yet their hearts attending on themselves) (1.1). Otelo deixa Desdêmona aos cuidados de Iago e pede-lhe: “deixe que sua mulher a sirva” (let thy wife attend on her) (1.3).

Attend 2
Há um sentido arcaico de “esperar”, como nesta fala de Desdêmona: “Seu jantar, e os nobres insulares/ que você convidou, esperam sua presença” (Your dinner, and the generous islanders/ By you invited, do attend your presence) (3.3).

Auld
É uma variante de old (velho), como neste verso de uma canção tradicional, entoada por Iago: “Então leve sua velha capa com você” (Then take thine auld cloak about thee) (2.3).

Avaunt
Esta interjeição arcaica vem do francês avant (avante) e significa “fora” (away), como nesta fala de Otelo para Iago: “Fora! Vá embora! Você já me colocou no suplício da roda” (Avaunt! be gone! thou hast set me on the rack) (3.3).

Balmy 1
A palavra “bálsamo” (balm) vem do árabe basam e chegou ao inglês pelo latim balsamum. Como adjetivo, tem o sentido de “confortador”, nesta fala de Otelo: “Venha, Desdêmona, é da vida do soldado/ Interromper seus sonos confortadores com o fragor da luta” (Come, Desdemona: ’tis the soldiers’ life To have their balmy slumbers waked with strife) (2.3).

Balmy 2
Tem um sentido de “perfumado”, nesta fala de Otelo: “Ah, hálito balsâmico, que quase persuade/ A Justiça a quebrar sua espada!” (Ah balmy breath, that dost almost persuade/ Justice to break her sword!) (5.2).
Banner
Trata-se de um “estandarte” (uma bandeira de guerra). Otelo refere-se ao “estandarte real” (royal banner) (3.3).

Barbary
Trata-se da antiga Barbária (do latim Barbaria), uma região do norte da África habitada pelos berberes, do Atlântico ao Mediterrâneo, que compreende: Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia e Egito. É mencionada nesta fala de Iago para Brabâncio: “Você terá sua filha coberta por um cavalo da Barbária” (you’ll have your daughter covered with a Barbary horse) (1.1).

Bare
É o mesmo que “nu” ou “sem sua proteção natural”, como nesta recomendação de Iago a Rodrigo: “Mantenha seu florete desembainhado e enfie-o até o fundo” (Wear thy good rapier bare, and put it home) (5.1).

Bargain
Normalmente é “barganha”, mas tem o sentido de “escolha” nesta fala de Emília, referindo-se a Desdêmona: “Ela estimava muito a escolha horrorosa que fizera” (She was too fond of her most filthy bargain) (5.2).

Bark
É um termo poético, do latim barca, para designar o antigo “navio a vela” (sailing vessel), como nesta fala de Otelo: “Que o navio laborioso suba montes no mar” (And let the labouring bark climb hills of seas) (2.1).

Base 1
Há um sentido arcaico de “condição inferior”, como nesta fala de Otelo: “Contudo, este é o castigo dos grandes;/ Eles têm menos privilégios do que os de condição inferior” (Yet, ’tis the plague of great ones;/ Prerogatived are they less than the base) (3.3).

Base 2
Como adjetivo pode ser “vil”. Otelo refere-se a si mesmo como “alguém cuja mão,/ como a do indiano vil, jogou fora uma pérola” (one whose hand,/ Like the base Indian, threw a pearl away) (5.2).

Bauble
Originalmente, era o bastão do bobo (jester), com um enfeite na ponta. Cássio usa o termo numa linguagem figurada, como a “tola” ou a “maluca”, referindo-se a Bianca: “aí vem a tola” (thither comes the bauble) (4.1).

Bawd
É o mesmo que “alcoviteiro”. Otelo, falando consigo mesmo, acha que Emília é “uma simples alcoviteira” (a simple bawd) (4.2).

Bear up to
O verbo to bear up to significa “navegar para”. Segundo um dos senadores, as notícias recebidas confirmavam que a frota turca estava “navegando para Chipre” (bearing up to Cyprus) (1.3).

Behalf
A expressão in behalf significa “em favor de”, como nesta fala de Desdêmona: “Fique certo, bom Cássio, de que farei/ tudo que puder em seu favor” (Be thou assured, good Cassio, I will do/ All my abilities in thy behalf) (3.3).

Be-leed
Pode ser “ao abrigo do vento” ou “a sotavento”. Com a promoção de Cássio, diz Iago: “devo ficar ao abrigo do vento e quieto” (must be be-leed and calm’d) (1.1).

Belie
É o mesmo que “caluniar” (to slander), como nesta fala de Emília para Otelo: “Você a calunia, você é um demônio” (Thou dost belie her, and thou art a devil) (5.2).

Bereave
É o mesmo que “tomar algo de alguém”. Está na foma do particípio passado bereft nesta fala de Desdêmona, ao pedir que não deixem que “os ritos [de guerra] pelos quais me apaixonei por ele me sejam tomados” (The rites for which I love him are bereft me) (1.3).

Beshrew
Este é um verbo arcaico para maldições leves, como esta fala de Desdêmona: “Maldita seja eu se cometer um erro assim!” (Beshrew me, if I would do such a wrong) (4.3).
Besort
É um termo antiquado para “séquito” ou “comitiva”, como neste pedido de Otelo, referindo-se a Desdêmona, de “séquito correspondente à sua posição social” (besort as levels with her breeding) (1.3).

Betimes
É o mesmo que “cedo” (early), como nesta fala de Rodrigo para Iago: “Estarei com você [amanhã] cedo” (I’ll be with thee betimes) (1.3).

Bewhore
É o mesmo que “chamar de prostituta” (to call whore). O dicionário Oxford ilustra o verbete com esta frase de Emília, referindo-se a Desdêmona: “Ai, Iago, meu senhor chamou-a tanto de prostituta” (Alas, Iago, my lord hath so bewhored her) (4.2).

Billet
Como substantivo, é um “boleto”, uma requisição de alojamento para um ou mais militares. O verbo correspondente é “aboletar” (aquartelar ou alojar), como nesta fala de Iago para Rodrigo: “Vá para onde você está aquartelado” (go where thou art billeted) (2.3).

Birdlime
É o mesmo que “visco” (ou visgo) usado em armadilhas para pássaros, como nesta fala de Iago: “Minha inspiração está presa em minha cabeça como um visgo” (my invention/ Comes from my pate as birdlime) (2.1).

Blank
Como substantivo, pode ser um “espaço vazio” (por exemplo, num formulário), mas também “alvo”, à semelhança do espanhol blanco, como nesta fala de Desdêmona: “E me tornei alvo de seu desagrado” (And stood within the blank of his displeasure) (3.4).

Blazon
O verbo deriva do francês blason (brasão), mas tem em inglês o sentido de “descrever” um escudo de armas. Cássio refere-se a Desdêmona como “alguém que excede os floreios das penas que a descrevem” (One that excels the quirks of blazoning pens) (2.1).

Blow
É o mesmo que “pôr ovos”, referindo-se a moscas, como nesta fala de Otelo para Desdêmona: “Oh, sim, como as moscas de verão no matadouro,/ que ganham vida mal seus ovos são postos” (O, ay; as summer flies are in the shambles,/ That quicken even with blowing) (4.2).

Bob
O verbo significa “furtar”, nesta fala de Iago, referindo-se a Rodrigo: “ouro e jóias que furtei dele/ como presentes para Desdêmona” (gold and jewels that I bobb’d from him,/ As gifts to Desdemona) (5.1).

Bode
É o mesmo que “pressagiar”, como nesta última fala de Emília, lembrando-se da canção do salgueiro, entoada por Desdêmona: “O que pressagiava sua canção, senhora?” (What did thy song bode, lady?) (5.2).

Bolster
É o mesmo que “travesseiro” (pillow), mas como verbo tem o sentido de “dormir junto”, como neste comentário de Iago: “Malditos sejam/ se olhos mortais os virem dormindo juntos,/ além dos deles próprios!” (Damn them then,/ If ever mortal eyes do see them bolster/ More than their own!) (3.3).

Bombast
Trata-se de um material, a exemplo do algodão, usado como um enchimento. Aqui tem o sentido de linguagem “pomposa” ou “bombástica”. Iago conta como sua promoção foi recusada por Otelo: “Mas ele, enamorado de seu próprio orgulho e de seus objetivos,/ esquiva-se deles com uma linguagem bombástica” (But he, as loving his own pride and purposes,/ Evades them, with a bombast circumstance) (1.1).

Bookish
O sentido aqui é do adjetivo “livresco”, isto é, sem experência própria. Iago considera Cássio um “teórico livresco” (bookish theoric) (1.1).

Boon
É um termo arcaico para “favor” (favour), como nesta fala de Desdêmona para Otelo: “Ora, isto não é um favor” (Why, this is not a boon) (3.3).

Bosom
Embora signifique “peito”, tem o sentido figurado de “coração” nesta fala de Emília para Cássio: “Vou arranjar-lhe um lugar onde você terá tempo/ para abrir livremente seu coração” (I will bestow you where you shall have time/ To speak your bosom freely) (3.1).

Bound 1
É o particípio passado do verbo to bind. Há um sentido de “prender” nesta fala de Brabâncio, segundo o qual Otelo não poderia seduzir Desdêmona “se ela não estivesse presa por correntes de magia” (If she in chains of magic were not bound) (1.2).

Bound 2
A expressão to be bound significa “dever”, nesta fala de Desdêmona ao pai: “Ao senhor devo minha vida e minha educação” (To you I am bound for life and education) (1.3).

Bound 3
A mesma expressão tem o sentido de “ser grato”, nesta fala de Cássio para Emília: “Fico muito grato a você” (I am much bound to you) (3.1).

Bound 4
Há ainda o sentido de “ser obrigado”, como nesta fala de Emília, disposta a desmascarar o marido Iago: “Sou obrigada a falar” (I am bound to speak) (5.2).

Brace 1
Entre vários significados (reforço, braçadeira) pode ser, como na fala de um dos senadores, “meio de defesa” (warlike brace) (1.3).

Brace 2
Pode ser um grupo de pessoas, como nesta fala de Iago, dizendo a Cássio que “aqui fora está um grupo os galantes de Chipre” (here without are a brace of Cyprus gallants) (2.3).

Breathe
Normalmente significa “respirar”, mas pode ter o sentido de “sussurrar”, com uma conotação furtiva, como nesta fala de Iago para Ludovico: “Ele é o que é: não posso sussurrar uma censura” (He’s that he is: I may not breathe my censure) (4.1).

Breeches
São “culotes” (calças que terminam pouco abaixo do joelho), como neste verso de uma canção tradicional, entoada por Iago: “Suas calças só lhe custaram uma coroa” (His breeches cost him but a crown) (2.3).

Bridal
É o “dia do casamento” (wedding day), como nesta fala de Desdêmona: “Precisamos considerar que os homens não são deuses,/ nem esperar deles as atenções/ próprias do dia do casamento” (we must think men are not gods,/ Nor of them look for such observances/ As fit the bridal) (3.4).

Brimstone
É o mesmo que “enxofre” (sulfur), como nesta exclamação irada de Otelo: “Fogo e enxofre!” (Fire and brimstone!) (4.1).

Burning bear
Trata-se de uma referência à constelação Ursa Menor (Ursae Minoris), à qual pertence a a Estrela Polar (Polestar). Segundo um cavalheiro, a tempestade é tão forte que “parece jogar água na Ursa ardente” (seems to cast water on the burning bear) (2.1).

Busy
Além de “ocupado” pode ser “intrometido” (meddlesome). Emília atribui o estranho comportamento de Otelo a “algum patife intrometido e insinuante” (Some busy and insinuating rogue) (4.2).

Butt
Há um sentido arcaico de “objetivo” (aim) ou “meta” (goal), como nesta fala de Otelo para Graciano: “Aqui é o fim de minha jornada, aqui é minha meta” (Here is my journey’s end, here is my butt) (5.2).

By
Referindo-se a tempo é “até” ou “antes de”, como nesta fala de Iago para Otelo: “o senhor ouvirá mais antes da meia-noite” (And for Cassio, let me be his undertaker: you shall hear more by midnight) (4.1).

By and by
É uma forma arcaica de “logo” ou “imediatamente”. Tem o sentido de “já vou!” nesta fala de Otelo para Emília, que bate à porta: “Sim… É Emília… Já vou!” (Yes: ’tis Emilia. By and by) (5.2).

Cable 1
Iago, em conversa com Otelo, usa a expressão “dar-lhe-á corda” (Will give him cable) (1.2), no mesmo sentido que existe em português de “reforçar” ou “alimentar pretensões”.

Cable 2
Iago também usa o termo no sentido náutico de “cabo”, como nesta fala: “Confesso que estou ligado a você por cabos de uma solidez duradoura” (I confess me knit to thy deserving with cables of perdurable toughness) (1.3), referindo-se possivelmente aos cordões da generosa bolsa de Rodrigo.

Callat
É um termo genérico para uma mulher de vida desregrada, como nesta fala de Emília para Iago: “Ele a chamou de prostituta: um mendigo bêbado/ não usaria estes termos com sua companheira” (He call’d her whore: a beggar in his drink/ Could not have laid such terms upon his callat) (4.2). Deriva do francês caille, codorna. Hoje escreve-se callet.

Canakin
É o mesmo que cannikin (caneca), como nesta canção entoada por Iago: “E deixe-me tinir a caneca” (And let me the canakin clink) (2.3).

Cannibal
É o mesmo que “canibal”. A definição é do próprio Otelo, que se refere a “canibais que se devoravam uns aos outros” (Cannibals that each other eat ) (1.3).

Carrack
Trata-se de um antigo navio mercante de grande porte. A palavra é de origem árabe e chegou ao inglês pelo espanhol carraca. Aparece nesta fala de Iago: “Por minha fé, esta noite ele abordou uma carraca de terra/ se a presa for considerada legal, ele está feito para sempre” (’Faith, he to-night hath boarded a land carrack:/ If it prove lawful prize, he’s made for ever) (1.2).

Cashier
O verbo deriva do latim cassare (invalidar, tornar sem efeito). Iago compara o empregado obediente a uma besta de carga, que “quando fica velho, é demitido” (when he’s old, cashier’d) (1.1).

Cast 1
O verbo tem vários significados (lançar, fundir) e, entre eles, o de “demitir” (dismiss), como nesta fala de Iago, referindo-se a Otelo: “O Estado […] não pode, com segurança, demiti-lo” (The State […] cannot with safety cast him) (1.1).

Cast 2
Pode ter o sentido de “dispensar”, como nesta fala de Iago: “Nosso general dispensou-nos cedo assim por amor/ de sua Desdêmona” (Our general cast us thus early for the love/ of his Desdemona) (2.3).

Castigation
Pode ser “castigo” (punishment), mas tem o sentido de “mortificação” nesta fala de Otelo, segundo o qual as mãos úmidas de Desdêmona são um símbolo de lubricidade, que requer “muita mortificação e exercícios devotos” (Much castigation, exercise devout) (3.4).

Censure 1
Normalmente significa “censura”, como nesta fala de Iago para Ludovico: “Ele é o que é: não posso sussurrar uma censura” (He’s that he is: I may not breathe my censure) (4.1).

Censure 2
Pode ter o sentido de “sentença judicial” (judgment), como nesta última fala de Ludovico: “Quanto ao senhor, governador,/ resta a sentença deste vilão infernal” (To you, lord governor,/ Remains the censure of this hellish villain) (5.2).

Certes
Trata-se de um advérbio de modo (certamente). É de uso arcaico, do latim certus. Iago usa o termo ao contar como sua promoção foi recusada por Otelo (1.1).

Chamberer
É o mesmo que “cortesão” (courtier), como nesta fala de Otelo, segundo o qual falta-lhe “a conversação agradável que têm os cortesãos” (soft parts of conversation/ That chamberers have) (3.3).

Charge 1
Tem o sentido de “ordenar”, nesta fala de Brabâncio para Rodrigo: “Já lhe ordenei que não rondasse pelas minhas portas” (I have charged thee not to haunt about my doors) (1.1).

Charge 2
Tem o sentido de “acusar” nesta resposta de Iago para Rodrigo: “Você me acusa muito injustamente” (You charge me most unjustly) (4.3).

Charmer
É o mesmo que “encantadora”, no sentido de “feiticeira” (witch), do latim carmen (canto ou palavras mágicas). Otelo inicia sua descrição da feiticeira egícia dizendo que “ela era uma encantadora, e podia quase ler/ os pensamentos das pessoas” (She was a charmer, and could almost read/ The thoughts of people) (3.4).

Chaste
Em geral é “casto”, do latim castus, mas há um significado arcaico de “inocente” ou “puro”, como nestas últimas palavras de Emília para Otelo: “Mouro, ela era inocente; ela o amava, mouro cruel” (Moor, she was chaste; she loved thee, cruel Moor) (5.2). Machado de Assis usou “casta” no sentido de “pura” nesta carta do personagem Quincas Borba, no romance de mesmo nome (capítulo X): “Nossas mães eram religiosas e castas”.

Charter
Pode ser “isenção” (exemption) ou “privilégio”, com um sentido de “aprovação”, neste pedido de Desdêmona: “Graciosíssimo doge,/ empreste um ouvido favorável às minhas explicações,/ e permita-me encontrar uma aprovação em seu voto” (Most gracious duke,/ To my unfolding lend your prosperous ear;/ And let me find a charter in your voice) (1.3).

Chide 1
É o mesmo que “repreender” (to scold), como nesta fala de Emília para Iago: “Não me repreenda; eu tenho uma coisa para você) (Do not you chide; I have a thing for you) (3.3).
Chide 2
Há um sentido de “descarregar a ira” nesta fala de Iago para Desdêmona, referindo-se a Otelo: “Os negócios de Estado preocupam-no/ e ele descarrega sua ira em você” (The business of the state does him offence,/ And he does chide with you) (4.2).

Choler
Deriva do latim cholera. É o mesmo que “ira” (anger). Iago avisa a Rodrigo que Cássio é “muito rápido na ira” (very sudden in choler) (2.1), isto é, encoleriza-se facilmente.

Chop
É o mesmo que “cortar”, do francês couper, com golpes de machado ou outra ferramenta afiada, a exemplo desta fala de Otelo: “Vou cortá-la a machado em pedacinhos: cornear-me!” (I will chop her into messes: cuckold me!) (4.1).

Chuck
Trata-se de um termo carinhoso, equivalente a “querida”, como nesta pergunta de Otelo a Desdêmona: “Que promessa, querida?” (What promise, chuck?) (3.4). Otelo usa novamente o termo neste pedido: “Por favor, querida, venha cá” (Pray, chuck, come hither) (4.2).

Citadel
É o mesmo que “cidadela”, do italiano cittadella, uma fortaleza destinada a defender uma cidade, como neste comentário de um cavalheiro, sobre a chegada de um navio: “Estão saudando a cidadela” (They give their greeting to the citadel) (2.1).

Clean
Normalmente é “limpo”, mas tem o sentido de “completamente” nesta fala de Iago, dirigindo-se a Rodrigo: “Nada desta idéia de se afogar! É completamente despropositada” (A pox of drowning thyself! it is clean out of the way) (1.3).

Clink 1
Pode ser o “tinir” das canecas, como nesta canção entoada por Iago: “E deixe-me tinir a caneca” (And let me the canakin clink) (2.3).

Clink 2
Mais adiante o mesmo Iago refere-se ao ruído das espadas, neste relato: “Ouvi o entrechoque e a queda das espadas” (I heard the clink and fall of swords) (2.3).

Clip
É um verbo arcaico para “abraçar” (to embrace) ou “cercar”, como nesta fala de Iago, ao pedir o testemunho dos astros, chamando-os de “elementos que nos cercam” (elements that clip us round about) (3.3).

Close 1
Pode ser “velado” ou “dissimulado”. Otelo diz a Iago que as reticências deste são “acusações veladas” (close delations) (3.3).

Close 2
Tem o sentido de “confinado”, quando Ludovico dá voz de prisão a Otelo: “Você permanecerá um prisioneiro confinado” (You shall close prisoner rest) (5.2).

Clyster-pipe
É o mesmo que “cânula de clister” (do grego klyzein, lavar), para injeção de água, líquido medicamentoso ou contraste no reto. Cássio manda beijos com os dedos e Iago ironiza o procedimento: “antes fossem cânulas de clister” (would they were clyster-pipes) (2.1).

Coat
Há um duplo sentido nesta fala de Cássio para Rodrigo, numa luta de espadas: “meu casaco é melhor” (my coat is better) (5.1). Ele pode referir-se ao seu casaco, mais espesso ou resistente, ou a uma “cota” (armadura leve) de couro retorcido ou malhas de ferro.

Coffer
É o mesmo que “arca” ou “cofre” (do francês coffre), como neste pedido de Otelo: “Por favor, bom Iago,/ vá até a baía e desembarque minhas arcas” (I prithee, good Iago,/ Go to the bay and disembark my coffers) (2.1).

Cog
O verbo to cog significa “fraudar dados (dice)”. Emília atribui as calúnias contra Desdêmona a “algum patife fraudador e trapaceiro” (Some cogging, cozening slave) (4.2).

Colly
O verbo to colly (escurecer) deriva de coal (carvão) e é usado por Otelo num sentido figurado: “e a cólera, tendo obscurecido meu melhor juízo” (And passion, having my best judgment collied) (2.3).

Coloquintida
Trata-se de uma trepadeira herbácea (Citrullus colocynthis), cujo fruto esponjoso tem propriedades purgativas. É mencionada por Iago nesta fala, referindo-se a Otelo: “O alimento/ que para ele parece agora tão saboroso quanto gafanhotos, será/ em breve tão amargo quanto a coloquíntida” (The food/ That to him now is as luscious as locusts, shall be/ To him shortly as bitter as coloquintida) (1.3).

Come 1
É uma interjeição nesta fala de Iago para Cássio: “Ora, você é um moralista severo demais” (Come, you are too severe a moraller) (2.3).

Come 2
Ainda como interjeição, pode significar “vamos” ou “anime-se”, como nesta fala de Iago para Cássio: “Vamos, vamos, o bom vinho é uma boa criatura caseira, se for bem usado” (Come, come, good wine is a good familiar creature, if it be well used) (2.3).

Commission 1
Tem o sentido de “instruções oficiais” nesta ordem do doge: “Otelo, deixe para trás algum oficial,/ que ele lhe levará minhas instruções oficiais” (Othello, leave some officer behind,/ And he shall our commission bring to you) (1.3).

Commission 2
A expressão full commission tem o sentido de “plenos poderes”, nestes comentários de um cavalheiro no cais: “o próprio mouro está no mar,/ e vem com plenos podres aqui para Chipre” (the Moor himself at sea,/ And is in full commission here for Cyprus) (2.1).

Commoner
Há um sentido arcaico de “prostituta”. Otelo chama Desdêmona de “Ó mulher pública!” (O thou public commoner!) (4.2).

Companion
Tem o sentido de “má companhia” nesta fala de Emília: “Ó céu, que não denuncia estas más companhias” (O heaven, that such companions thou’ldst unfold) (4.2).

Composition
Há um sentido de “harmonia” ou “congruência” nesta fala do doge: “Não há congruência nestas notícias/ que lhes dê crédito” (There is no composition in these news/ That gives them credit) (1.3).

Conceit 1
É o mesmo que “pensamento” (thought) ou “idéia” (idea), como nesta fala de Otelo para Iago: “E você contraiu e enrugou a testa,/ como se tivesse prendido no cérebro/ alguma idéia horrível” (And didst contract and purse thy brow together,/ As if thou then hadst shut up in thy brain/ Some horrible conceit) (3.3).

Conceit 2
Como verbo, é “pensar” (to imagine, to think), como nesta fala de Iago, ao pedir a Otelo que não dê atenção a alguém como ele [Iago] “que pensa tão imperfeitamente” (that so imperfectly conceits) (3.3).

Conceive
É o mesmo que “conceber”, com os mesmos sentidos em ambas as línguas, de conceber biologicamente (to become pregnant) e pelo uso da imaginação (to imagine). Emília, referindo-se a Otelo, pergunta a Desdêmona: “Ai, o que este senhor está imaginando?” (Alas, what does this gentleman conceive?) (4.2).

Conduct
Trata-se de “conduzir” no sentido de “mostrar o caminho” ou “acompanhar”, como nesta instrução de Otelo: “Acompanhe-os, alferes, você conhece melhor o lugar” (Ancient, conduct them: you best know the place) (1.3).

Conjunctive
É o mesmo que “unido”, do latim conjunctivus, como nesta fala de Iago para Rodrigo, referindo-se a Otelo: “Sejamos unidos na nossa vingança contra ele” (Let us be conjunctive in our revenge against him) (1.3).

Consul
Os cônsules (do latim consulere, deliberar) eram conselheiros do doge de Veneza, como se depreende desta fala de Cássio: “E muitos dos cônsules se levantaram e se reuniram/ e já estão com o doge” (And many of the consuls, raised and met,/ Are at the duke’s already) (1.2).

Contention
Deriva do latim contendere (contender ou disputar), como nesta fala de Cássio sobre a tempestade que dispersou os navios: “A grande disputa entre o mar e os céus/ separou nosso grupo” (The great contention of the sea and skies/ Parted our fellowship) (2.1).

Cope
O verbo to cope (with) significa hoje “arcar com um problema”, mas tem um sentido arcaico de “encontrar” (to meet), como nesta fala de Iago para Otelo, referindo-se a Cássio e Desdêmona: “Farei com que ele repita a história:/ onde, como, com que freqüência, há quanto tempo e quando encontro sua esposa” (For I will make him tell the tale anew,/ Where, how, how oft, how long ago, and when/ He hath, and is again to cope your wife) (4.1).

Counsel
É o mesmo que “conselho” (advice), mas há um sentido arcaico de “segredo” (secret) nesta fala de Otelo para Iago, referindo-se a Cássio: “ele conhecia meus segredos” (he was of my counsel) (3.3).

Counter-caster
Para Iago, Cássio não passa de um teórico, um “fazedor de contas” (counter-caster) (1.1), talvez numa referência à movimentação (to cast, lançar) das “contas” (counters) de um ábaco. “Fazer contas”, na época, era to cast accompt.

Counterfeit
O substantivo, aqui usado no plural, tem o sentido de “cilada”, nesta fala de Ludovico: “Duas ou três pessoas estão gemendo: a noite está escura:/ pode ser uma cilada” (Two or three groan: it is a heavy night:/ These may be counterfeits) (5.1). Em outras palavras, os gemidos podem ser falsidades ou contrafações.

Course
Pode ser “curso”, no sentido de “andamento”, como nesta fala de Iago para Cássio, referindo-se ao desmaio de Otelo: “A letargia precisa ter seu curso tranqüilo” (The lethargy must have his quiet course) (4.1).

Couser
Trata-se de “corcel”, do latim cursor (corredor), como neste trocadilho intraduzível de Iago para Brabâncio: “Você terá corcéis como primos e ginetes como parentes” (you’ll have coursers for cousins and gennets for germans) (1.1).

Cover
É “cobrir”, no sentido de “acasalar”, como nesta fala de Iago para Brabâncio: “Você terá sua filha coberta por um cavalo da Barbária e netos que relincharão para você” (you’ll have your daughter covered with a Barbary horse; you’ll have your nephews neigh to you) (1.1).

Coxcomb
A expressão deriva de cock’s comb (crista do galo) e também designa o gorro usado pelo bufão da corte. Emília emprega o termo no sentido figurado de “imbecil”, dirigindo-se a Otelo: “Oh, imbecil assassino! O que faria um tolo assim/ com uma mulher tão boa!” (O murderous coxcomb! what should such a fool/ Do with so good a woman?) (5.2).

Cozen
O verbo to cozen significa “trapacear” (to cheat). Emília atribui as calúnias contra Desdêmona a “algum patife fraudador e trapaceiro” (Some cogging, cozening slave) (4.2).

Cruzado
Várias moedas antigas de ouro e prata, cunhadas em Portugal e na Espanha, tinham este nome, que deriva de uma cruz estampada na face. O termo é desta fala de Desdêmona, ao lamentar a perda do lenço: “Eu teria preferido perder minha bolsa/ cheia de cruzados” (I had rather have lost my purse/ Full of crusadoes) (3.4).

Cry
Normalmente é “grito”, mas tem o sentido de “boato” (gossip, rumour), nesta fala de Iago para Cássio, referindo-se a Bianca: “Por minha fé, corre o boato de que você vai casar com ela” (Faith, the cry goes that you shall marry her) (4.1).

Cuckold
A fêmea do “cuco” costuma pôr o ovo no ninho de outras aves, razão pela qual simboliza o marido cuja mulher lhe é infiel, como nesta exclamação de Otelo: “Cornear-me!” (Cuckold me!) (4.1).

Cudgel
Como substantivo é um porrete curto e grosso. Aparece como verbo, no sentido de “apanhar”, nesta fala de Rodrigo: “Já apanhei boas cacetadas esta noite” (I have been to-night exceedingly well cudgelled) (2.3).

Cunning
É o mesmo que “astuto”, como nesta fala, na qual Brabâncio acusa Otelo de “práticas do inferno astuto” (practises of cunning hell) (1.3) para seduzir Desdêmona.

Customer
Embora hoje signifique “cliente” ou “freguês”, há um sentido arcaico de “prostituta”, quando Cássio nega a notícia de seu casamento com Bianca: “Eu, casar com ela? O quê? Uma prostituta!” (I marry her! What? A customer!) (4.1).

Cyprus
Trata-se de Chipre, uma ilha situada no leste do Mediterrâneo, ao sul da Turquia. Sua capital é Nicósia. É citada algumas vezes na peça.

Daff
Este verbo arcaico significa “deixar de lado” (to thrust aside), mas tem o sentido de “enganar”, nesta fala de Rodrigo: “Cada dia que passa você me engana com alguma artimanha, Iago” (Every day thou daffest me with some device, Iago) (4.2).

Dam
É uma palavra arcaica para “mãe”, derivada de dame (dama), como nesta imprecação de Bianca para Cássio: “Que o diabo e sua mãe o assombrem!” (Let the devil and his dam haunt you!) (4.1).

Darling
É “querido”, tanto como substantivo como quanto adjetivo. Tem o sentido de “presente” ou “lembrança” nesta fala de Otelo para Desdêmona, referindo-se ao lenço: “Faça dele uma lembrança tão preciosa quanto seus olhos” (Make it a darling like your precious eye) (3.4).

Dash
O verbo tem o sentido de “perturbar” nesta fala de Iago para Otelo: “Acho que isto perturbou um pouco seu espírito” (I see this hath a little dash’d your spirits) (3.3).

Daw
É o mesmo que “gralha” (jackdaw) e tem em ambas as línguas o sentido figurado de “pessoa faladeira”, como nesta fala de Iago: “usarei o coração na manga,/ para que as gralhas o biquem” (I will wear my heart upon my sleeve/ For daws to peck at) (1.1).

Defeat 1
Deriva do latim disfacere, desfazer. O significado usual é “derrotar”, mas pode ter o sentido de “disfarçar” (to disguise), como nesta fala de Iago para Rodrigo: “disfarce sua aparência com uma barba postiça” (defeat thy favour with an usurped beard) (1.3).

Defeat 2
Pode ter o sentido de “destruir”, nesta fala de Desdêmona para Iago: “A crueldade pode muito;/ e sua crueldade pode destruir minha vida” (Unkindness may do much;/ And his unkindness may defeat my life) (4.2).

Delation
É o mesmo que “delação” ou “acusação”, do latim delatio. Otelo diz a Iago que as reticências deste são “acusações veladas” (close delations) (3.3).

Delicate
Tem o sentido de “hábil” (skilled) quando Otelo elogia Desdêmona por ser: “tão hábil com sua agulha” (so delicate with her needle) (4.1).

Demerit
Embora hoje signifique “demérito”, tem um sentido arcaico de “mérito”, como nesta fala de Otelo: “meus méritos/ podem falar de igual para igual com qualquer fortuna tão altiva/ quanto esta que alcancei” (my demerits/ May speak unbonneted to as proud a fortune/ As this that I have reach’d) (1.2).

Depute
O verbo to depute (deputar) tem o sentido de “incumbir” nesta fala de Ludovico, referindo-se a Otelo: “Pois, segundo creio, eles o mandaram de volta para casa,/ incumbindo Cássio de seu governo” (For, as I think, they do command him home,/ Deputing Cassio in his government) (4.1).

Despite
É um termo arcaico para “desprezo”, do latim despicere (olhar de cima), como nesta queixa de Emília sobre os maridos que “reduzem nosso orçamento habitual por desprezo” (scant our former having in despite) (4.3).

Destruction
Tem o sentido de “maldição” ou “ruína” nesta fala de Brabâncio: “Se ela confessar que é uma das partes enamoradas,/ que a maldição caia sobre minha cabeça” (If she confess that she was half the wooer,/ Destruction on my head) (1.3).

Devest
Deriva do latim devestire (despir). Nesta fala, Iago refere-se à boa paz reinante entre os presentes antes da confusão provocada por Cássio: “como noiva e noivo,/ despindo-se para o leito” (like bride and groom/ Devesting them for bed) (2.3).

Device
Pode ser “dispositivo” (apparatus), mas também um “truque” (trick) ou “artimanha”, como nesta fala de Rodrigo: “Cada dia que passa você me engana com alguma artimanha, Iago” (Every day thou daffest me with some device, Iago) (4.2).

Devise
É o mesmo que “planejar” (to plan) ou “inventar” (to invent). Segundo Emília, “que me enforquem se algum eterno vilão/…/ não inventou esta calúnia” (I will be hang’d, if some eternal villain,/…/ Have not devised this slander) (4.2).

Diablo
Iago usa o termo no original espanhol: “Quem está tocando o sino? _ Que diabo!” (Who’s that which rings the bell? _ Diablo, ho!) (2.3).

Dian
Diana, na mitologia romana, era a deusa virgem da Lua e da caça, mencionada por Otelo nesta fala, referindo-se a Desdêmona: “seu nome, que era puro/ como a face de Diana, está agora embaciado e negro” (Her name, that was as fresh/ As Dian’s visage, is now begrimed and black) (3.3).

Diet 1
Como verbo, tem o sentido de “suprir” ou “alimentar”, como neste solilóquio de Iago, no qual ele reconhece que Desdêmona serve, em parte, “para alimentar minha vingança” (to diet my revenge) (2.1).

Diet 2
Como substantivo, é “dieta”, como neste comentário de Cássio para Desdêmona, referindo-se a uma “dieta delicada e aguada” (nice and waterish diet) (3.3).

Dilatory
É o mesmo que “dilatório”, ou seja, sujeito a “dilações” (adiamentos, prorrogações). Iago diz a Rodrigo que “a inteligência está sujeita às dilações do tempo” (wit depends on dilatory time) (2.3).

Displanting
É um termo arcaico para “demissão” (dismissal) ou “destituição”. Iago refere-se à “destituição de Cássio” (the displanting of Cassio) (2.1).

Displeasure 1
Há um sentido arcaico de “desventura” nesta fala de Emília para Cássio: “Bom dia, meu bom tenente: sinto muito/ por sua desventura” (Good morrow, good Lieutenant: I am sorry/ For your displeasure) (3.1).

Displeasure 2
É “desagrado” ou “insatisfação”, do latim dis (não) e placere (prazer), como nesta fala de Desdêmona: “E me tornei alvo de seu desagrado” (And stood within the blank of his displeasure) (3.4).

Disport
É uma palavra arcaica para “prazer” ou “diversão”, como nesta fala de Otelo: “Se meus prazeres corromperem e mancharem minhas ocupações,/ que as donas de casa façam uma frigideira de meu elmo” (That my disports corrupt and taint my business,/ Let housewives make a skillet of my helm) (1.3).

Dispose
Este substantivo tem um sentido arcaico de “maneiras” ou “temperamento” (disposition) neste solilóquio de Iago: “Ele tem aspecto e maneiras agradáveis/ para levantar suspeitas e é talhado para tornar as mulheres infiéis” (He hath a person and a smooth dispose/ To be suspected, framed to make women false) (1.3).

Disproportion 1
Embora signifique “falta de proporção”, tem o sentido de “contraditório”, nesta fala de um dos senadores, sobre as notícias recebidas: “De fato, são contraditórias;/ minhas cartas dizem que são cento e sete galeras” (Indeed, they are disproportion’d;/ My letters say a hundred and seven galleys) (1.3).

Disproportion 2
Trata-se de “desproporção” ou “desequilíbrio” entre os humores que, acreditava-se, governavam o comportamento humano. Iago diz a Otelo que Desdêmona revela “uma grosseira desproporção [de humores] e pensamentos contrários à natureza” (Foul disproportion, thoughts unnatural) (3.3).

Disprove
É o mesmo que “desmentir” ou “contradizer” (to contradict), como nesta fala de Emília para Iago, referindo-se a Otelo: “Desminta este vilão, se você for homem” (Disprove this villain, if thou be’st a man) (5.2).

Dissemble
É o mesmo que “dissimular”, do francês antigo dessembler, como nesta fala de Otelo: “Oh, a dificuldade de dissimular!” (O, hardness to dissemble!) (3.4).

Distempering
O verbo to distemper (destemperar) foi usado por Brabâncio no sentido de “embriagar”, ao repreender Rodrigo por procurá-lo “cheio de alguma ceia e de goles que o destemperaram” (Being full of supper and distempering draughts) (1.1).

Divine
É o mesmo que “adivinhar” (to guess), como nesta fala de Cássio: “É algo de Chipre, pelo que posso adivinhar” (Something from Cyprus as I may divine) (1.2).

Divorcement
É o mesmo que divorce (divórcio), como nesta fala de Desdêmona para Iago, na qual ela confirma seu amor a Otelo “mesmo que ele se livre de mim/ num divórcio semelhante ao de um mendigo” (though he do shake me off/ To beggarly divorcement) (4.2).

Dote 1
Tem o sentido de “venerar” ou “idolatrar”, nesta fala de Iago para Otelo, ao se referir aos minutos terríveis pelos quais passa “quem venera, no entanto duvida; suspeita, mas ama apaixonadamente” (Who dotes, yet doubts; suspects, yet strongly loves!) (3.3).

Dote 2
Pode ser simplesmente “estar apaixonado”. Iago refere-se a Bianca como “uma criatura que está apaixonada por Cássio” (a creature/ That dotes on Cassio) (4.1).

Down
O substantivo down pode significar “penugem” ou “lanugem”. Otelo diz aos senadores que o costume da guerra fê-lo acostumar-se a camas de pedra e aço como se fossem um “leito de plumas” (bed of down) (1.3).

Dram
Trata-se do “dracma”, uma unidade de volume do sistema inglês, equivalente a 1/8 de uma “onça fluida” (fluid ounce), mas tem um sentido simbólico de “poção” (beberagem). Segundo Brabâncio, Desdêmona foi enfeitiçada por Otelo “com alguma poção” (with some dram) (1.3).

Dress
Por ser “vestir” e também “fazer curativo” ou “pensar” (aplicar um penso), como nesta fala de Iago: “Bondosos senhores, vamos ver fazerem o curativo do pobre Cássio” (Kind gentlemen, let’s go see poor Cassio dress’d) (5.1).

Drowsy
É o mesmo que “soporífero” ou “soporífico” (soporific). Segundo Iago, nada trará de volta o doce sono de Otelo, “nem todos os xaropes soporíferos do mundo” (Nor all the drowsy syrups of the world) (3.3).

Duck
Como verbo, pode ser “mergulhar”, a exemplo desta fala de Otelo: “Que o navio laborioso suba montes no mar,/ altos como o Olimpo, e mergulhe tanto/ quanto o inferno dista do céu!” (And let the labouring bark climb hills of seas/ Olympus-high and duck again as low/ As hell’s from heaven!) (2.1).

Duke
Trata-se do “doge”, o magistrado supremo da antiga república de Veneza, citado neste pedido de Desdêmona: “Graciosíssimo doge,/ empreste um ouvido favorável às minhas explicações” (Most gracious duke,/ To my unfolding lend your prosperous ear) (1.3).

Dungeon
Pode ser um “calabouço”, uma prisão subterrânea, ou, em sentido figurado, um lugar úmido e sombrio. Otelo diz que “preferiria ser um sapo/ e viver da atmosfera de um calabouço” (I had rather be a toad,/ And live upon the vapour of a dungeon) (3.3), a compartilhar com outros a mulher que ama.

Durst
É um passado arcaico de to dare (ousar), usado na forma condicional nesta fala, na qual Emília dirige-se a Otelo em defesa de Desdêmona: “Eu ousaria, meu senhor, apostar que ela é honesta” (I durst, my lord, to wager she is honest) (4.2).

Duties
No plural tem o sentido de “respeitos” (cumprimentos, saudações), como nesta fala de Otelo: “Dê estas cartas, Iago, ao comandante do navio,/ e mande por ele meus respeitos ao Senado” (These letters give, Iago, to the pilot;/ And by him do my duties to the senate) (3.2).

Earnest
Em geral é “sério”, mas tem o sentido de “insistente” nesta pergunta de Emília para Iago, sobre o lenço de Desdêmona: “O que você fará com ele, já que foi tão insistente/ para que eu o surrupiasse?” (What will you do with ’t, that you have been so earnest/ To have me filch it?) (3.3).

Ebb
Trata-se da “maré baixa” (ebb tide). Otelo diz que o mar do Ponto “nunca experimenta a maré vazante, mas sempre avança” (Ne’er feels retiring ebb, but keeps due on) (3.3).

Echo
Trata-se do “eco”, mas como verbo significa “repetir (palavras)”, a exemplo desta fala de Otelo para Iago: “Pelo céu, ele me repete como um eco” (By heaven, he echoes me) (3.3).

Ecstasy
Tem um sentido de “desmaio”, nesta fala de Iago para Otelo: “Cássio esteve aqui: eu o mandei embora/ e dei uma boa desculpa sobre o seu desmaio” (Cassio came hither: I shifted him away,/ And laid good ’scuse upon your ecstasy) (4.1).

Egregiously
O advérbio deriva de egregious (egrégio), do latim e(x) (fora de), e grex, (rebanho), no sentido de “fora do comum”, como neste solilóquio de Iago, que promete a si mesmo “fazer dele [Otelo], egregiamente, um asno” (making him egregiously an ass) (2.1).

Egyptian
Antigamente acreditava-se que o “cigano” (gypsy) era proveniente do Egito. Desta forma, pode-se traduzir como “egípcia”, “cigana” ou “sibila” (pelo “furor profético” mencionado). Otelo diz a Desdêmona que “aquele lenço/ foi dado à minha mãe por uma egípcia” (That handkerchief/ Did an Egyptian to my mother give) (3.4).

Election
Pode ser “eleição” e também “escolha”, como nesta fala de Iago, referindo-se a Cássio: “Mas ele, senhor, foi o escolhido” (But he, sir, had the election) (1.1).

Embay
O verbo deriva de bay (baía) e significa “abrigar-se numa baía”, como nesta fala de Montano: “Se a frota turca/ não se protegeu nem se abrigou numa baía, eles se afogaram” (If that the Turkish fleet/ Be not enshelter’d and embay’d, they are drown’d) (2.1).

Encave
O verbo deriva de cave (caverna) e tem o sentido de “esconder-se”. Iago pede a Otelo que “fique escondido” (Do but encave yourself) (4.1) para observar a reação de Cássio.

Enchafe
É o mesmo que to chafe (irritar, encolerizar). Um cavalheiro no porto compara a tempestade no mar a uma “inundação colérica” (enchafed flood) (2.1).

Enfetter
O verbo deriva do substantivo fetter, uma corrente que prende os pés de um prisioneiro. Iago diz, num solilóquio, que a alma de Otelo está “presa ao amor de Desdêmona” (enfetter’d to her love) (2.3).

Engender
É o mesmo que “engendrar”, do latim ingenerare, como nesta fala de Iago: “Já tenho o plano. Está engendrado. O inferno e a noite/ devem trazer esta monstruosa concepção para a luz do mundo” (I have’t. It is engender’d. Hell and night/ Must bring this monstrous birth to the world’s light) (1.3).

Engine 1
O sentido é de “engenho de guerra”, nesta fala de Otelo: “Ó engenhos mortais, cujas gargantas rudes/ imitam os clamores letais do imortal Júpiter” (O you mortal engines, whose rude throats/ The immortal Jove’s dead clamours counterfeit) (3.3).

Engine 2
Pode ser um “instrumento de tortura”, como nesta fala de Iago, ao assegurar a Rodrigo que, se este não conquistar Desdêmona, “tire-me deste mundo à traição e crie instrumentos de tortura contra minha vida” (take me from this world with treachery and devise engines for my life) (4.2).

Englut
É o mesmo que “engolir” (do francês engloutir). Como o verbo to swallow tem o mesmo significado, Brabâncio repete enfaticamente que sua dor é tal “que ela deglute e engole os demais pesares” (That it engluts and swallows other sorrows) (1.3).

Enmesh
O verbo deriva de mesh (malha) e significa “colher numa rede”, como nesta fala de Iago: “E com a bondade dela tecerei uma rede/ que colherá a todos” (And out of her own goodness make the net/ That shall enmesh them all) (2.3).

Ensteep
Trata-se de uma variante de to insteep (submergir). Cássio refere-se aos rochedos e bancos de areia como “traidores submersos para obstruírem a quilha inocente [dos navios]” (Traitors ensteep’d to clog the guiltless keel) (2.1).

Entertainment
Tem um sentido arcaico de “acolhida”, do latim inter (entre) e tenere (ter). Trata-se aqui de acolher Cássio de volta ao antigo posto, como nesta fala de Iago para Otelo: “Observe se sua senhora insiste no retorno de Cássio,/ com alguma importunidade forte ou veemente” (Note, if your lady strain his entertainment/ With any strong or vehement importunity) (3.3).

Epithet
O “epíteto” (do grego epitheton) é uma palavra ou frase que qualifica uma pessoas ou uma coisa. Aqui tem o sentido de “argumento”. Iago conta como sua promoção foi recusada por Otelo “com uma linguagem bombástica,/ horrivelmente recheada com argumentos militares” (with a bombast circumstance/ Horribly stuff’d with epithets of war) (1.1).

Equinox
Trata-se do “equinócio”, do latim aequus (igual) e nox (noite). Quando o Sol corta o equador, nos dias 21 de março e 23 de setembro, registra-se uma duração igual do dia e da noite. Iago diz que o vício da bebida em Cássio e sua virtude militar formam “um perfeito equinócio,/ ambos do mesmo tamanho” (a just equinox,/ The one as long as the other) (2.3).

Err 1
O verbo to err (do latim errare) significa “errar” (cometer erros), como nesta indagação de Emília: “É a fragilidade que erra assim?” (Is’t frailty that thus errs?) (4.3).

Err 2
Iago refere-se a Otelo como um “bárbaro errante” (erring barbarian) (1.3), no sentido de quem “vaga sem destino”.

Err 3
O verbo pode ter o sentido de “perder o rumo” ou “afastar-se de si mesmo”, como nesta fala de Otelo: “E, no entanto, quando a natureza se afasta de si mesma -” (And yet, how nature erring from itself -) (3,3).

Escape
Além de “fuga”, tem um sentido arcaico de “capricho” ou “desejo impulsivo”, como nesta fala de Brabâncio, referindo-se a Desdêmona: “Pois seu capricho me ensinaria a ser tirano” (For thy escape would teach me tyranny) (1.3).

Estimation
Pode ter o sentido de “renome” ou “reputação”. Otelo diz aos senadores que se o casamento atrapalhar suas funções, que as adversidades “oponham-se à minha reputação” (Make head against my estimation) (1.3).

Evade
Deriva do latim evadere (fugir, esquivar-se), que gerou em português “evadir”. Iago conta que Otelo “esquiva-se deles [os partidários de Iago] com uma linguagem bombástica” (Evades them, with a bombast circumstance) (1.1).

Evermore
É uma forma poética de “sempre” ou “constantemente”, como nesta fala de Emília, referindo-se ao lenço de Desdêmona: “ela sempre o traz consigo” (she reserves it evermore about her) (3.3).

Exception
Há um sentido legal de “objeção” (objection) nesta fala de Iago para Rodrigo: “Você tem contra mim um objeção muito justa” (thou hast taken against me a most just exception) (4.2).

Exhibition 1
Pode ser “exposição” ou, num sentido arcaico, uma “remuneração”, como neste pedido de Otelo, referindo-se a Desdêmona, de “trato adequado à sua posição social e uma remuneração” (Due reference of place and exhibition) (1.3).

Exhibition 2
Pode ser um presente (gift), como nesta fala de Emília: “Nossa, eu não faria algo assim por um anel barato, […] nem por nenhum presentinho” (Marry, I would not do such a thing for a/ joint-ring, […] nor any petty exhibition) (4.3).

Expectancy
Trata-se de “expectativa”, com um sentido de “esperança” (hope), como nesta fala de um cavalheiro no porto: “Pois a cada minuto há a esperança/ de uma nova chegada” (For every minute is expectancy/ Of more arrivance) (2.1).

Expert
Normalmente é “perito”, mas tem o sentido de “experiente”, nesta fala de Cássio: “Seu inglês é tão experiente assim em sua bebida?” (Is your Englishman so expert in his drinking?) (2.3).

Expostulate
É o mesmo que “discutir”, do latim expostulare, que gerou em português “expostulação” (reclamação ou queixa). Otelo recusa-se a discutir com Desdêmona, para evitar que sua beleza o desarme: “Não discutirei com ela” (I’ll not expostulate with her) (4.1).

Exquisite 1
Há um sentido de “requintado” ou “refinado”, nesta fala de Cássio sobre Desdêmona: “Ela é uma senhora muito requintada” (She’s a most exquisite lady) (2.3).

Exquisite 2
Há ainda um sentido de “elaborado”, nesta fala de Cássio: “Ora, esta é uma canção mais elaborada do que a outra” (Why, this is a more exquisite song than the other) (2.3).

Exsufflicate
Deriva do latim sufflare (soprar, inchar). Otelo refere-se, em linguagem figurada, “às conjecturas vãs e infundadas” (exsufflicate and blown surmises) (3.3) de Iago.

Extravagant
Não se trata de “excessivo”, mas sim “errante”, dentro da etimologia latina de “vagar além dos limites” (extra + vagare). Rodrigo refere-se a Otelo como “um estrangeiro errante e nômade” (an extravagant and wheeling stranger) (1.1).

Extremity
Pode ser “extremidade” (end) e também “extremo” (extreme measure), como nesta fala de Otelo para Emília: “Oh, eu estaria amaldiçoado abaixo de toda profundidade do inferno,/ exceto que procedi por razões justas/ até este extremo” (O, I were damn’d beneath all depth in hell,/ But that I did proceed upon just grounds/ To this extremity) (5.2).

Fain
A expressão arcaica would fain significa “gostaria de”, como nesta fala de Iago, dizendo a Cássio que “aqui fora está um grupo os galantes de Chipre gostariam de beber à saúde do negro Otelo” (here without are a brace of Cyprus gallants that would fain have a measure to the health of black Othello) (2.3).

Faith 1
Normalmente é “fé”, do latim fides, mas pode ter o sentido de “fidelidade”. Brabâncio diz a Otelo que Desdêmona enganou o pai e poderia muito bem enganá-lo. Otelo retruca: “Aposto minha vida pela fidelidade dela!” (My life upon her faith!) (1.3).

Faith 2
Pode ser uma forma reduzida de in faith (por minha fé), como nesta fala de Emília para Iago, ao negar que tivesse furtado o lenço de Desdêmona: “Não, por minha fé; ela o deixou cair por descuido” (No, faith; she let it drop by negligence) (3.3).

Fantastical
O sentido é de “inacreditável”, quando Iago diz a Rodrigo que Desdêmona apaixonou-se pelo mouro “apenas pelas bravatas e mentiras inacreditáveis que ele contava” (but for bragging and telling her fantastical lies) (2.1).

Fated
O adjetivo tem o sentido de “determinado pelo destino (fate)”, como nesta fala de Otelo: “Este flagelo bifurcado está fatalmente destinado a nós/ assim que ganhamos vida” (this forked plague is fated to us/ When we do quicken) (3.3).

Fathom
Trata-se de uma unidade de medida da profundidade da água, equivalente a 6 pés (cerca de 1,8m). Iago usa o termo num sentido simbólico de “experiência”, referindo-se a Otelo: “Eles não têm outro com a experiência dele” (Another of his fathom they have none) (1.1).

Favour 1
Este substantivo tem um sentido arcaico de “aparência” ou “feições”, como nesta fala de Iago para Rodrigo: “disfarce sua aparência com uma barba postiça” (defeat thy favour with an usurped beard) (1.3).

Favour 2
Pode ter o sentido de “obséquio” neste pedido de Cássio ao bufão: “dia a ela que há/ um certo Cássio que roga o obséquio de falar um pouco com ela” (tell her there’s/ one Cassio entreats her a little favour of speech) (3.1).

Favour 3
Há uma idéia de “aprovação” ou “benevolência” nesta fala do doge para Brabâncio: “Deixe-me falar em seu lugar e dizer algumas palavras/ que, como uma plataforma ou degrau, possam ajudar estes amantes/ a conquistarem sua aprovação” (Let me speak like yourself, and lay a sentence,/ Which, as a grise or step, may help these lovers/ Into your favour) (1.3).

Fell 1
Como verbo, é o passado do verbo to fall (cair), como na “canção do salgueiro”, entoada por Desdêmona: “Suas lágrimas salgadas caíam e amoleciam as pedras” (Her salt tears fell from her, and soften’d the stones) (4.3).

Fell 2
Como adjetivo, é sinônimo de “feroz” ou “cruel”, como nesta fala de Ludovico, referindo-se a Iago: “Mais cruel do que a angústia, a fome e o mar!” (More fell than anguish, hunger, or the sea!) (5.2).

Fellowship
É o mesmo que “grupo” (group), como nesta fala de Cássio sobre a tempestade que dispersou os navios: “A grande disputa entre o mar e os céus/ separou nosso grupo” (The great contention of the sea and skies/ Parted our fellowship) (2.1).

Fife
Trata-se do “pífaro”, um flautim militar, de som agudo e estridente, utilizado juntamente com o tambor. Otelo faz referência ao “pífaro estridente” (ear-piercing fife) (3.3).

Fig 1
É o mesmo que “figo”, do latim ficus, ou “figa”. Esta última é, entre nós, um amuleto, mas é um gesto considerado ofensivo nos países de língua inglesa, como explica sua origem latina fica (vulva). Pode ser algo de pouco valor, como na expressão not worth a fig (não vale um figo) e nesta exclamação de Iago para Rodrigo: “Coragem? Uma figa!” (Virtue? A fig!) (1.3). Neste contexto, virtue (virtude) tem o sentido de “coragem”.

Fig 2
Iago volta a usar a palavra ao comentar um elogio de Rodrigo a Desdêmona: “Angelical, um rabo de figo!” (Blessed fig’s-end!) (2.1). Aqui blessed (abençoada) tem o sentido de “angelical”.

Filch
É o mesmo que “surrupiar”, como nesta pergunta de Emília para Iago, sobre o lenço de Desdêmona: “O que você fará com ele, já que foi tão insistente/ para que eu o surrupiasse?” (What will you do with ’t, that you have been so earnest/ To have me filch it?) (3.3).

Finder of occasions
Trata-se de um “oportunista”, como nesta fala de Iago, ao descrever Cássio como “um patife escorregadio e sutil,/ um oportunista” (a slipper and subtle knave, a/ finder of occasions) (2.1).

Fineless
O adjetivo deriva do latim finis (fim) e quer dizer “sem limites” (endless), como nesta fala de Iago: “Mas as riquezas ilimitadas são tão pobres quanto o inverno,/ para quem teme empobrecer” (But riches fineless is as poor as winter/ To him that ever fears he shall be poor) (3.3).

Finger
Pode ser “dedo” e também “ponteiro de relógio”, como nesta fala de Otelo: “mas, ai, fazer de mim/ uma imagem fixa para que o tempo do desprezo/ aponte seu ponteiro lento e inexorável” (but, alas, to make me/ A fixed figure for the time of scorn/ To point his slow unmoving finger at!) (4.2).

Fit 1
Tem o sentido de “digno”, nesta fala de Iago, referindo-se a Cássio: “Ele é um soldado digno de estar ao lado de César” (He is a soldier fit to stand by Caesar) (2.3).

Fit 2
Pode ser “adequado”, como neste pedido de Cássio para Emília: “Se você acha adequado, ou que isto pode ser feito,/ dê-me a oportunidade de conversar um pouco/ com Desdêmona em particular” (If you think fit, or that it may be done,/ Give me advantage of some brief discourse/ With Desdemona alone) (3.1).

Fit 3
Há uma idéia de “próprio” nesta fala de Desdêmona: “Precisamos considerar que os homens não são deuses,/ nem esperar deles as atenções/ próprias do dia do casamento” (we must think men are not gods,/ Nor of them look for such observances/ As fit the bridal) (3.4).

Fit 4
Pode ser “bem disposto” ou “receptivo”, nesta fala de Desdêmona para Cássio, referindo-se a Otelo: “Se eu o encontrar bem disposto, defenderei sua causa” (If I do find him fit, I’ll move your suit) (3.4).

Fitchew
Trata-se da “fuinha” (polecat), um animal considerado lascivo, como o bode e o macaco, também citados na peça. Cássio nesta fala refere-se a Bianca: “Esta é uma outra fuinha! Nossa, é das perfumadas” (’Tis such another fitchew! Marry a perfumed one) (4.1).

Fleer
Trata-se de um “sorriso de zombaria” (sneer). Cássio pede que Otelo se esconda “e observe os sorrisos de zombaria” (And mark the fleers) (4.1) de Cássio.

Fond 1
Normalmente é “carinhoso” (loving), mas tem um sentido arcaico de “tolo” (foolish), como nesta fala de Rodrigo: “Confesso que é uma vergonha ser assim tão tolo” (I confess it is my shame to be so fond) (1.3).

Fond 2
Há um sentido de “incomodado” nesta fala de Iago para Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Se o senhor está tão incomodado com a iniqüidade dela, dê-lhe licença para transgredir” (If you are so fond over her iniquity, give her patent to offend) (4.1).

Fond 3
Pode ser “estimar” na expressão to be fond of, como nesta fala de Emília, referindo-se a Desdêmona: “Ela estimava muito a escolha horrorosa que fizera” (She was too fond of her most filthy bargain) (5.2).

Footing
Literalmente é o “ato de colocar os pés em terra”, significando “chegada”, como nesta fala de Cássio, referindo-se a Desdêmona “cuja chegada aqui antecipa nossas previsões/ em uma semana” (Whose footing here anticipates our thoughts/ A se’nnight’s speed) (2.1).

Fordo
Este verbo, hoje arcaico, significa “destruir” ou “arruinar”, como nesta fala de Iago: “Esta é a noite/ que fará minha fortuna ou me arruinará completamente” (This is the night/ That either makes me or fordoes me quite) (5.1).

Forfend
Significa “proibir” (to forbid), como nesta fala de Otelo: “Não, que o céu não permita!” (No; heaven forfend!) (5.2).

Forsake 1
Tem o sentido de “renunciar a alguma coisa” nesta fala de Emília, referindo-se a Desdêmona: “Ela renunciou a tantos nobres pretendentes,/ […]/ para ser chamada de prostituta?” (Hath she forsook so many noble matches,/ […]/ To be call’d whore?) (4.2).

Forsake 2
Pode ser “abandonar”. Desdêmona refere-se a uma criada de sua mãe nesta fala: “Ela estava apaixonada e aquele a quem ela amava desentendeu-se/ e a abandonou” (She was in love, and he she loved proved mad/ And did forsake her) (4.3).

Forsake 3
É simplesmente “deixar”, nesta fala de Ludovico a Otelo: “Você deve deixar este quarto e vir conosco” (You must forsake this room, and go with us) (5.2).

Forsooth
É o mesmo que “na verdade”, nesta fala de Iago: “Na verdade, um grande aritmético,/ um tal Miguel Cássio” (Forsooth, a great arithmetician,/ One Michael Cassio) (1.1).

Forswear
O sentido é de “abandonar”, nesta fala na qual Desdêmona jura inocência para Iago: “Que o conforto me abandone!” (Comfort forswear me!) (4.2). Em outras palavras, “que eu nunca mais tenha paz!”.

Found
É o mesmo que “basear”, do latim fundare (ter como fundamento). Desdêmona diz a Otelo que Cássio é “um homem que sempre/ baseou sua boa fortuna em sua [de Otelo] amizade” (A man that all his time/ Hath founded his good fortunes on your love) (3.4).

Fraught
Trata-se de freight (carga), nesta fala de Otelo: “Dilate, peito, com sua carga/ pois ela é de línguas de áspides” (Swell, bosom, with thy fraught,/ For ’tis of aspics’ tongues!) (3.3).

Fresh 1
Em geral é “fresco”, mas tem o sentido de “novo”, nesta fala de Otelo para Iago: “Você acha que eu levaria uma vida de ciúme,/ seguindo sempre as mudanças da lua/ com novas suspeitas?” (Think’st thou I’ld make a life of jealousy,/ To follow still the changes of the moon/ With fresh suspicions?) (3.3).

Fresh 2
Tem o sentido de “puro” nesta fala de Otelo para Iago, referindo-se a Desdêmona: “Seu nome, que era puro/ como a face de Diana, está agora sujo e sombrio/ como minha própria face” (Her name, that was as fresh/ As Dian’s visage, is now begrimed and black/ As mine own face) (3.3).

Front
Pode ser “frente de batalha” e “fronte” (testa). Emília diz a Cássio que Otelo pretende “tomar a ocasião mais propícia pela fronte e trazê-lo de volta” (To take the safest occasion by the front/ To bring you in again) (3.1).

Fustian
Normalmente é “fustão”, um tecido grosseiro de algodão ou linho. Como adjetivo, tem um sentido de “desvairado”, nesta fala de Cássio ao repreender a si mesmo como alguém capaz de embebedar-se “e conversar desvairado com sua própria sombra” (and discourse fustian with one’s own shadow) (2.3).

Futurity
É o mesmo que future (futuro). Cássio pede ajuda a Desdêmona para voltar a privar da amizade de Otelo e se refere aos seus “propósitos meritórios para o futuro” (purposed merit in futurity) (3.4).

Gall
A palavra deriva do latim fel (fel) e tem um sentido figurado de “mau humor”, como nesta fala de Emília: “Ora, temos fel, e embora tenhamos alguma graça,/ somos capazes de vingança” (Why, we have galls, and though we have some grace,/ Yet have we some revenge) (4.3).

Galley
Trata-se da “galera” ou “galé”, um antigo navio, comprido e estreito, impulsionado por remos (operados por escravos ou prisioneiros) e velas. É citada pela primeira vez na peça nesta fala de Cássio: “as galeras mandaram uma dúzia de mensagens consecutivas” (the galleys have sent a dozen sequent messengers) (1.2).

Game
Pode ser “jogo”, no sentido de diversão ou passatempo, e também “atividade sexual”, como nesta observação maliciosa de Iago para Cássio: “Posso garantir, ela é muito prendada para a coisa” (And, I’ll warrant her, fun of game) (2.3).

Garland
É o mesmo que “grinalda” (do francês guirlande e do italiano ghirlanda), como neste verso da “canção do slagueiro”: “Cantem todos, um verde salgueiro deve ser minha grinalda” (Sing all a green willow must be my garland) (4.3).

Garner
Pode ser substantivo, do latim granarium (celeiro, depósito), e verbo, como nesta fala de Otelo: “ali, onde depositei meu coração” (there, where I have garner’d up my heart) (4.2).

Gastness
É o mesmo que ghastliness (terror), como nesta fala de Iago, para incriminar Bianca: “Vocês percebem o terror nos olhos dela?” (Do you perceive the gastness of her eye?) (5.1).

Generous
Além de “generoso”, há um sentido arcaico de “pertencente à nobreza”, como nesta fala de Desdêmona: “Seu jantar, e os nobres insulares/ que você convidou, esperam sua presença” (Your dinner, and the generous islanders/ By you invited, do attend your presence) (3.3).

Gennet
É um cavalo pequeno conhecido como “ginete”, citado neste trocadilho intraduzível de Iago para Brabâncio: “Você terá corcéis como primos e ginetes como parentes” (you’ll have coursers for cousins and gennets for germans) (1.1). Também se escreve jennet (do espanhol jinete).

German
É o mesmo que “parente”, do latim germen (germe, rebento), como nesta fala de Iago para Brabâncio: “Você terá corcéis como primos e ginetes como parentes” (you’ll have coursers for cousins and gennets for germans) (1.1).

Get 1
Normalmente é “conseguir” ou “arranjar”, como nesta ordem de Brabâncio: “Arrangem armas, vamos!” (Get weapons, ho!) (1.1).

Get 2
Nesta fala do mesmo Brabâncio, desapontado com Desdêmona, o verbo to get está usado no lugar de to beget (gerar): “Antes tivesse adotado uma criança em lugar de gerá-la” (I had rather to adopt a child than get it) (1.3).

Give breath
Tem o sentido de “dizer”, nesta fala de Otelo para Iago: “Eu sei que você é amigo e honrado,/ e que pesa suas palavras antes de dizê-las” (I know thou’rt full of love and honesty,/ And weigh’st thy words before thou givest them breath) (3.3).

Give over
É o mesmo que “desistir” (to give up), nesta fala de Rodrigo para Iago, referindo-se a Desdêmona: “Se ela devolver minhas jóias, desistirei de cortejá-la e arrepender-me-ei de meu intento ilícito” (if she will return me my jewels, I will give over my suit and repent my unlawful solicitation) (4.2).

Gnaw 1
Tem o sentido de “corroer” nesta fala de Iago: “pensar nisto/ corrói minhas entranhas como um veneno mineral” (the thought whereof/ Doth, like a poisonous mineral, gnaw my inwards) (2.1).

Gnaw 2
O significado mais usual é “roer”, como nesta imprecação de Emília: “E que o inferno roa seus ossos!” (and hell gnaw his bones!) (4.2).

Gnaw 3
Há uma conotação de “morder”, nesta fala de Desdêmona para Otelo: “Ai, por que você morde assim seu lábio inferior?” (Alas, why gnaw you so your nether lip?) (5.2).

Go between
Como substantivo, um go-between é um “intermediário” das relações amorosas entre duas pessoas. Otelo comenta com Iago que Cássio era seu intermediário nos contatos com Desdêmona: “Oh, sim, ele com freqüência servia de intermediário entre nós” (O, yes; and went between us very oft) (3.3).

God be with you
É o mesmo que good-bye (adeus), como nesta fala de Iago, fazendo-se de vítima para Otelo: “Adeus; tome meu cargo (de volta)” (God be wi’ you; take mine office) (3.3).

God bless the mark
Iago lamenta que Cássio tenha sido promovido em seu lugar:: “E eu, que Deus me perdoe, o alferes de Sua Senhoria moura” (And I, God bless the mark! His Moorship’s ancient) (1.1). A expressão bless the mark pode significar “com o perdão da palavra”, como nesta fala de Lança, referindo-se ao comportamento de seu cão, em Dois Cavalheiros de Verona: “ele não ficou lá ― com o perdão da palavra ― o tempo para fazer um xixi, mas toda a sala sentiu o cheiro dele” (he had not been there ― bless the mark ― a pissing-while, but all the chamber smelt him) (4.4).

Gondolier
O termo vem do italiano gondoliere, o condutor das gôndolas dos canais de Veneza. Iago refere-se a “um patife de aluguel, um gondoleiro” (a knave of common hire, a gondolier) (1.1) que transportou Desdêmona na fuga.

Government 1
Em geral é “governo”, como nesta fala de Ludovico, referindo-se a Otelo: “Pois, segundo creio, eles o mandaram de volta para casa,/ incumbindo Cássio de seu governo” (For, as I think, they do command him home,/ Deputing Cassio in his government) (4.1).

Government 2
Pode ser “autocontrole”, como nesta fala de Otelo para Iago: “Não tema meu autocontrole” (Fear not my government) (3.3).

Gradation
Normalmente significa “gradação”, mas aqui tem o sentido de “promoção por antigüidade”. Iago refere-se à “antiga promoção por antigüidade, segundo a qual cada segundo era herdeiro do primeiro” (old gradation, where each second/ Stood heir to the first) (1.1).

Grain
É o mesmo que “grão”, do latim granum (semente de cereais), como nesta fala de Emília, referindo-se a Iago: “Se ele disse isso, que sua alma perniciosa/ apodreça meio grão por dia!” (If he say so, may his pernicious soul/ Rot half a grain a day!) (5.2).

Grange
Originalmente era um depósito de cereais, também do latim granum visto no verbete acima, mas o conceito estendeu-se para “granja”, como nesta fala de Brabâncio: “minha casa não é uma granja” (my house is not a grange) (1.1).

Greedy
Normalmente é “cobiçoso”, derivado de greed (cobiça), mas tem o sentido de “ávido”, quando Otelo conta que Desdêmona ouvia suas histórias “com um ouvido ávido” (with a greedy ear) (1.3).

Green 1
Normalmente é “verde”, como na triste “canção do salgueiro”, entoada por Desdêmona: “Cantem todos um verde salgueiro” (Sing all a green willow) (4.3).

Green 2
Pode ter o sentido de “imaturo”. Segundo Iago, Cássio “tem todos aqueles requisitos que as mentes levianas e imaturas procuram” (hath all those requisites in him that folly and green minds look after) (2.1).

Green-eyed monster
Iago define o ciúme como “o monstro de olhos verdes” (the green-eyed monster) (3.3). Em O Mercador de Veneza, Pórcia também se refere ao “ciúme de olhos verdes” (green-ey’d jealousy) (3.2).

Grieve
O verbo vem do latim gravare (pesar sobre) e tem o sentido de “afligir”, como nesta fala de Emília para Desdêmona: “posso assegurar que o caso aflige meu marido/ como se fosse com ele” (I warrant it grieves my husband,/ As if the case were his) (3.3).

Grise
É o mesmo que “degrau” (step), como nesta fala do doge, que pede a palavra “para que, como uma plataforma ou degrau, possa ajudar estes amantes” (Which, as a grise or step, may help these lovers) (1.3).

Gross 1
Este adjetivo vem do latim grossus (espesso), mas tem o sentido de “grosseiro”, nesta fala do preconceituoso Rodrigo, ao relatar que Desdêmona foi levada por um gondoleiro “para os abraços grosseiros de um mouro lascivo” (To the gross clasps of a lascivious Moor) (1.1).

Gross 2
Há um sentido de “grave”, nesta fala do mesmo Rodrigo: “Sua filha, se o senhor não lhe deu licença,/ digo-o de novo, cometeu uma grave falta” (Your daughter, if you have not given her leave,/ I say again, hath made a gross revolt) (1.1).

Guardage
É o mesmo que guardianship (guarda, proteção). Para Brabâncio, Desdêmona “fugiu da guarda paterna” (Run from her guardage) (1.2).

Guinea hen
Trata-se da “galinha-da-guiné”, um sinônimo de “prostituta”, na gíria da época. Iago diz a Rodrigo que “antes que eu dissesse que me afogaria pelo amor de uma galinha-da-guiné, eu trocaria minha natureza humana pela de um babuíno” (Ere I would say, I would drown myself for the love of a guinea-hen, I would change my humanity with a baboon) (1.3).

Gutter
O verbo to gutter tem o sentido de “desgastar pela ação da água”, do latim gutta (gota). Cássio refere-se ao perigo das “rochas desgastadas pela água e bancos de areia” (The gutter’d rocks and congregated sands) (2.1).

Gyve
É uma palavra arcaica para “grilhão” ou “algema para os pés” (fetter, shackle), como neste comentário à parte de Iago, sobre o galante Cássio: “vou acorrentá-lo em sua própria cortesia” (I will gyve thee in thine own courtship) (2.1).

Haggard
Trata-se de um falcão não domesticado, como nesta fala de Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Se eu concluísse que ela é um falcão selvagem/…/eu a soltaria com um assovio e a deixaria à mercê do vento” (If I do prove her haggard/…/I’ld whistle her off and let her down the wind) (3.3).

Hair-breath
Literalmente é “pela largura (breath) de um fio de cabelo (hair)”. Entre suas aventuras, Otelo relata “escapadas por um triz” (hair-breadth scapes) (1.3). Curiosamente, a expressão “por um triz” tem o mesmo significado, por derivar do grego trikhós (cabelo).

Halter
Pode ser o cabresto do cavalo ou a corda da forca. Emília refere-se ao patife que transtornou o juízo de Otelo com a expressão “Que a corda da forca o perdoe!” (A halter pardon him!) (4.2).

Hand
A expressão by this hand significa “(juro) por esta mão”. Quando Otelo pergunta a Iago se o lenço de Cássio era o que ele [Otelo] dera de presente a Desdêmona, o alferes confirma: “Era o seu, por esta mão!” (Yours by this hand) (4.1).

Haply
Esta é uma forma arcaica de “por acaso” (by chance), como nesta fala de Desdêmona para Otelo: “Se, por acaso, você suspeitar que meu pai/ é responsável por você ter sido chamado de volta,/ não ponha a culpa em mim” (If haply you my father do suspect/ An instrument of this your calling back,/ Lay not your blame on me) (4.2).

Hardness
Pode ser “dureza” e também “dificuldade”, como nesta fala de Otelo: “Oh, a dificuldade de dissimular!” (O, hardness to dissemble!) (3.4).

Harlotry
Hoje harlotry significa “prostituição”, mas tem o sentido de “prostituta” (harlot) quando Iago, referindo-se a Cássio, diz a Rodrigo: “Hoje ele janta com uma prostituta” (He sups to-night with a harlotry) (4.2).

Haunt 1
Normalmente significa “assombrar” (como um fantasma), como nesta imprecação de Bianca para Cássio: “Que o diabo e sua mãe o assombrem!” (Let the devil and his dam haunt you!) (4.1).

Haunt 2
Tem o sentido de “rondar”, nesta fala de Brabâncio para Rodrigo: “Já lhe ordenei que não rondasse pelas minhas portas” (I have charged thee not to haunt about my doors) (1.1).

Haunt 3
Pode ser “perseguir”, a exemplo desta fala de Cássio, referindo-se a Bianca: “Ela estava aqui agora mesmo; persegue-me em todos os lugares” (She was here even now; she haunts me in every place) (4.1).

Have
O verbo to have tem o sentido de “conversar”, nesta fala de Iago, ao se despedir de Rodrigo: “Falaremos mais disto amanhã. Adeus” (We will have more of this to-morrow. Adieu) (1.3).

Hazard
É o mesmo que “arriscar”, do árabe az-zahr (flor), porque se pintava uma flor numa das faces do dado de jogar. Montano diz a a Cássio: “É uma pena que o nobre mouro/ arrisque um lugar tão importante […]/ com alguém com um vício tão arraigado” (And ’tis great pity that the noble Moor/ Should hazard such a place […]/ With one of an ingraft infirmity) (2.3).

Head and front
O sentido é de “toda a extensão”, como nesta fala de Otelo para o Senado, ao relatar que seu casamento com Desdêmona foi “toda a extensão de minha ofensa” (The very head and front of my offending) (1.3).

Hearted 1
O sentido é de “arraigado no coração”, nesta fala de Iago: “Deteste o mouro: minha causa está arraigada no coração” (I hate the Moor: my cause is hearted) (1.3).

Hearted 2
Pode ser “enamorado”, como nesta fala de Otelo: “Ceda, ó amor, sua coroa e o trono enamorado/ ao ódio tirânico” (Yield up, O love, thy crown and hearted throne/ To tyrannous hate!) (3.3).

Heathen
É o mesmo que “pagão”. Iago conta que esteve com Otelo “em Rodes, Chipre e outros terrenos,/ cristãos e pagãos” (At Rhodes, at Cyprus and on other grounds/ Christian and heathen) (1.1).

Hellespont
Trata-se do estreito de Dardanelos, que une o mar Egeu ao mar de Mármara. Otelo refere-se “ao Propôntide e ao Helesponto” (To the Propontic and the Hellespont) (3.3).

Helm
É uma forma arcaica de helmet (capacete ou elmo), como nesta fala de Otelo: “Que as donas de casa façam uma frigideira de meu elmo” (Let housewives make a skillet of my helm) (1.3).

Hem
É uma interjeição que designa um som de tosse, para limpar a garganta ou avisar alguém de alguma coisa. Otelo pede que Emília saia, feche a porta e “tussa, ou diga ‘ah’, se alguém vier” (Cough, or cry ‘hem,’ if any body come) (4.2).

Hence 1
Esta interjeição, hoje arcaica, significa “fora daqui”, como nesta fala de Otelo, ao expulsar Desdêmona de sua presença: “Fora daqui, vá embora!” (Hence, avaunt!) (4.1).

Hence 2
A expressão from hence significa “de agora em diante”, como esta fala de Brabâncio, referindo-se a Desdêmona: “Pais, de agora em diante não confiem mais nas mentes de suas filhas,/ mas no que as virem fazer” (Fathers, from hence trust not your daughters’ minds/ By what you see them act) (1.1).

Hence 3
Como advérbio de lugar, é o mesmo que “daqui”, como nesta fala de Emília para Iago, referindo-se a Otelo: “Ele saiu daqui ainda agora” (He went hence but now) (3.4).

Hie
É o mesmo que “apressar-se” (to hasten). Desdêmona instrui Emília, referindo-se a Otelo: “Por favor, apresse-se; ele chegará logo” (Prithee, hie thee; he’ll come anon) (4.3).

Hip
Embora normalmente signifique “quadril”, aqui tem o sentido de “flanco”. No contexto da fala de Iago, pode ser um termo de caça: “Pegarei nosso Miguel Cássio pelo flanco” (I’ll have our Michael Cassio on the hip) (2.1).

Ho
É um grito de alerta, como “Parem!” (Stop!), a exemplo desta fala de Otelo: “Ora, o que é isto, parem! (Why, how now, ho!) (2.3).

Hobby-horse
Trata-se do “cavalo de pau”, usado numa antiga dança de origem moura, designada morris dance (de Moorish, mouro). O sentido é pejorativo, de “montaria” ou “mulher sem-vergonha”, como nesta fala de Bianca para Cássio, referindo-se ao lenço de Desdêmona: “Tome, dê à sua sem-vergonha”(There; give it your hobby-horse) (4.1).

Hollander
É o mesmo que Dutch (holandês), como nesta referência de Iago ao “holandês barrigudo” (swag-bellied Hollander) (2.3).

Holy Writ
É o mesmo que Sacred Writ (Sagrada Escritura). Iago comenta consigo mesmo que, para o ciumento, ninharias leves como o ar são “como provas da Sagrada Escritura” (As proofs of Holy Writ) (3.3).

Homage
A expressão to do homage significa “prestar homenagem” ou “reverenciar”. Iago refere-se aos empregados que trabalham servindo aos seus próprios interesses e depois “reverenciam a si mesmos” (Do themselves homage) (1.1).

Home 1
Além de “casa” ou “lar” pode ser “claramente” ou “sem rodeios”, como nesta fala de Cássio, referindo-se a Iago: “Ele fala sem rodeios, minha senhora. Ele é mais agradável como soldado do que como letrado” (He speaks home, madam: You may relish him more in the soldier than in the scholar) (2.1).

Home 2
Pode ser “até o fundo” (deeply), como nesta recomendação de Iago a Rodrigo: “Mantenha seu florete desembainhado e enfie-o até o fundo” (Wear thy good rapier bare, and put it home) (5.1).

Horologe
É o mesmo que “relógio”, do grego horologion (literalmente, dizer as horas), como nesta fala de Iago, referindo-se a Cássio: “Ele estará de vigília por duas voltas do relógio,/ se a bebida não embalar seu berço” (He’ll watch the horologe a double set,/ If drink rock not his cradle) (2.3).

Hot
Aqui “quente” tem o sentido de “excitado”. Iago comenta a dificuldade de surpreender os amantes, “mesmo que estivessem luxuriosos como bodes ou excitados como macacos” (Were they as prime as goats, as hot as monkeys) (3.3).

How now
A expressão equivale a “O que é isto?” (What is this?), a exemplo desta fala de Cássio para Bianca: “O que é isto, minha doce Bianca! O que é isto! O que é isto!” (How now, my sweet Bianca! how now! how now!) (4.1).

Howbeit
É o mesmo que how be it, um termo arcaico para “embora” (although), como neste solilóquio de Iago: “O mouro, embora eu não o suporte,/ é de uma natureza constante, amável e nobre” (The Moor, howbeit that I endure him not,/ Is of a constant, loving, noble nature) (2.1).

Humour 1
Deriva do latim humor (líquido). Desdêmona diz a Emília que não considera Otelo ciumento, pois o sol de sua terra natal “secou todos estes humores dele” (Drew all such humours from him) (3.4). Acreditava-se que a saúde e o temperamento dependiam do “equilíbrio dos humores”.

Humour 2
Pode ser simplesmente “estado de espírito”. Iago diz a Desdêmona que não se preocupe com o comportamento estranho de Otelo: “É apenas seu estado de espírito” (’tis but his humour) (4.2).

Hydra
A Hidra é uma serpente mitológica de nove cabeças, que se regeneravam quando cortadas, finalmente morta por Hércules. Cássio, em conversa com Iago, refere-se a ela, dizendo que “mesmo que eu tivesse tantas bocas quanto a Hidra, uma resposta assim faria calar todas elas” (Had I as many mouths as Hydra, such an answer would stop them all) (2.3).

Ice-brook
Literalmente significa “arroio de água gelada”, referindo-se a um processo de têmpera pelo qual a lâmina em brasa era mergulhada em água gelada. As cidades espanholas de Toledo e Bilbao eram famosas à época por suas espadas, como nesta fala de Otelo: “É uma espada da Espanha, temperada em água gelada” (It is a sword of Spain, the ice-brook’s temper) (5.2).

Idle 1
Tem o sentido de “vã” ou “frívola”, nesta fala de Brabâncio: “A minha não é uma causa frívola” (Mine’s not an idle cause) (1.2).

Idle 2
Pode ser “inativo” no sentido de “árido” ou “inóspito”, como neste relato de Otelo, falando “de vastas cavernas e desertos áridos” (of antres vast and deserts idle) (1.3).

Ill-starred
Literalmente é “nascido sob uma má estrela”, com o sentido de “desafortunado”. Otelo refere-se a Desdêmona, após a morte desta, como “jovem desafortunada” (ill-starr’d wench) (5.2).

Import
O verbo to import tem o significado arcaico de “referir-se a”, como nesta proclamação do arauto sobre “certas notícias que acabam de chegar, referindo-se à perda total da frota turca” (certain tidings now arrived, importing the mere perdition of the Turkish fleet) (2.2).

Imposition
Trata-se de “imposição”, do latim impositio, mas aqui tem o sentido de “conceito”. Iago tenta consolar Cássio dizendo-lhe que “a reputação é um conceito vazio e bastante falso, que se adquire muitas vezes sem mérito e se perde sem razão” (Reputation is an idle and most false imposition: oft got without merit, and lost without deserving) (2.3).

Impudent
É o mesmo que “impudente” ou “impudico”, do latim in (falta de) e pudere (ter vergonha ou pudor). Otelo chama Desdêmona de “Prostituta impudente!” (Impudent strumpet!) (4.2).

Incontinently
É uma forma arcaica de “imediatamente” ou “sem demora”, como nesta fala do desesperançado Rodrigo: “Vou afogar-me imediatamente” (I will incontinently drown myself) (1.3). O dicionário Houaiss registra o equivalente português “incontinente”.

Indict
É o mesmo que “indiciar” ou “acusar”, como nesta fala de Desdêmona para Emília, referindo-se a Otelo que, segundo ela, “está acusado falsamente” (he’s indicted falsely) (3.4).

Indign
É o mesmo que “indigno” (unworthy), do latim indignus. Otelo refere-se “adversidades indignas e baixas” (indign and base adversities) (1.3).

Indirect
Pode ter um sentido de “furtivo” ou “desonesto”, como nesta pergunta de um senador a Otelo: “Mas Otelo, diga:/ Você não tentou, por meios desonestos ou forçados,/ subjugar e envenenar as afeições desta jovem donzela?” (But, Othello, speak:/ Did you by indirect and forced courses/ Subdue and poison this young maid’s affections?) (1.3).

Indue
O sentido aqui é de “induzir” (to induce), do latim inducere (in, para dentro, e ducere, conduzir), como nesta fala de Desdêmona: “Quando nos dói um dedo, ele induz/ os outros membros saudáveis a uma sensação/ de dor” (For let our finger ache, and it indues/ Our other healthful members even to that sense/ Of pain) (3.4).

Industry
É o mesmo que “indústria”, no sentido de “astúcia”, “engenho” ou “esforço contínuo”. Iago refere-se à terra “cultivada industriosamente” (manured with industry) (1.3).

Ingener
Trata-se de uma variante de engenderer, um “inventor” ou “artista”. Cássio diz a Montano que Desdêmona “nos dons naturais que a revestem,/ excede a imaginação do artista” (in the essential vesture of creation/ Does tire the ingener) (2.1).

Ingraft
É o mesmo que “enxertado”, mas tem o sentido de “arraigado” nesta fala de Montano, referindo-se a Cássio: “É uma pena que o nobre mouro/ arrisque um lugar tão importante como seu próprio segundo/ com alguém com um vício tão arraigado” (And ’tis great pity that the noble Moor/ Should hazard such a place as his own second/ With one of an ingraft infirmity) (2.3). Os enxertos parecem um “estilete” (para escrever em cera), do latim graphium.

Inhibited
Não se trata de “inibido”, mas sim de “proibido”, como nesta fala de Brabâncio, acusando Otelo de ser “um praticante/ de artes proibidas e à margem da lei” (a practiser/ Of arts inhibited and out of warrant) (1.2).

Injoint
É o mesmo que “unir-se”, como nesta fala de um mensageiro: “Os otomanos, […]/ dirigindo-se diretamente para a ilha de Rodes,/ lá se uniram com uma frota posterior” (The Ottomites, […]/ Steering with due course towards the isle of Rhodes,/ Have there injointed them with an after fleet) (1.3).

Innovation
O sentido é de “perturbação” ou “estrago”, como nesta fala de Cássio: “Só bebi um copo hoje à noite e, ainda assim, astutamente adulterado com água e veja o estrago que me fez” (I have drunk but one cup to-night, and that was craftily qualified too, and, behold, what innovation it makes here) (2.3).

Insinuate
Assim como em português, “insinuar-se” pode ter o sentido de “captar simpatia”. Emília atribui o estranho comportamento de Otelo a “algum patife intrometido e insinuante” (Some busy and insinuating rogue) (4.2).

Instrument
Pode ter o sentido de “responsável”, do latim instruere (instruir ou contribuir para um determinado resultado). Desdêmona diz a Otelo: “Se, por acaso, você suspeitar que meu pai/ é responsável por você ter sido chamado de volta,/ não ponha a culpa em mim” (If haply you my father do suspect/ An instrument of this your calling back,/ Lay not your blame on me) (4.2).

Intendment
É um termo arcaico para “intenção” (intention, purpose), como nesta fasla de Rodrigo para Iago: “Sim, eu não disse nada além do que asseguro minha intenção de fazer” (Ay, and said nothing but what I protest intendment of doing) (4.2).

Intentively
O sentido aqui é de “consecutivamente” ou “do princípio ao fim”, como nesta fala de Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Ela tinha ouvido algo a respeito [de minhas proezas], mas nada do princípio ao fim” (she had something heard,/ But not intentively) (1.3).

Interim
Esta palavra latina equivale à expressão “neste ínterim” (enquanto isso), como nesta fala de Ludovico, referindo-se a uma carta encontrada no bolso de Rodrigo: “Ele pretendia enviá-la a este maldito vilão;/ Provavelmente, enquanto isso, Iago/ veio e lhe deu as explicações necessárias” (Roderigo meant to have sent this damned villain;/ But that belike Iago in the interim/ Came in and satisfied him) (5.2).

Intrude
Em geral é “intrometer”, mas tem o sentido etimológico de “introduzir” (do latim intrudere, impelir à força), como nesta fala de Iago para Otelo: “Onde está aquele palácio no qual as coisas vis/ algumas vezes não se introduzem?” (As where’s that palace whereinto foul things/ Sometimes intrude not?) (3.3).

Invention
Pode ser “engenho”, “criatividade” ou “inspiração”, como nesta fala de Iago: “Minha inspiração está presa em minha cabeça como um visgo” (my invention/ Comes from my pate as birdlime) (2.1).

Inwards
No plural, é o mesmo que “entranhas” (entrails), como nesta fala de Iago: “pensar nisto/ corrói minhas entranhas como um veneno mineral” (the thought whereof/ Doth, like a poisonous mineral, gnaw my inwards) (2.1).

Iterance
É o mesmo que iteration (iteração ou repetição), do latim iteratio, como nesta fala de Otelo para Emília: “Que necessidade há desta repetição, mulher?” (What needs this iterance, woman?) (5.2).

Janus
Na mitologia romana, Jano era um deus que guardava os portais, os começos, as entradas e saídas. É representado com duas faces, que olham para a frente e para trás. O mês de janeiro era consagado a ele. Aparece uma única vez na peça, numa exclamação de Iago, dirigindo-se a Otelo: “Por Jano, acho que não” (By Janus, I think no) (1.2).

Jess
Trata-se de um pió, uma correia com a qual se prende a perna de um falcão, como nesta fala de Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Mesmo que seus piós me fossem tão caros quanto as fibras de meu coração,/ eu a soltaria com um assovio e a deixaria à mercê do vento,/ para buscar sua presa ao sabor da sorte” (Though that her jesses were my dear heartstrings,/ I’ld whistle her off and let her down the wind,/ To pray at fortune) (3.3).

Joint-ring
Trata-se de um anel barato, dividido em duas partes (split ring), como nesta fala de Emília: “Nossa, eu não faria algo assim por um anel barato” (Marry, I would not do such a thing for a joint-ring) (4.3).

Jot
Trata-se da letra iota, a menor do alfabeto grego, equivalente ao nosso “i”. Aqui simboliza algo de pouca importância. Otelo diz a Iago que as suspeitas deste com relação a Desdêmona não o abalam “nem um pouco, nem um pouco” (Not a jot, not a jot) (3.3).

Jove 1
Júpiter, o deus supremo da mitologia romana, aparece como senhor dos ventos nesta fala de Cássio: “Grande Júpiter, proteja Otelo,/ e infle-lhe a vela com seu poderoso sopro” (Great Jove, Othello guard,/ And swell his sail with thine own powerful breath) (2.1).

Jove 2
Iago refere-se à atraente Desdêmona como “um petisco para Júpiter” (sport for Jove) (2.3).

Jove 3
Júpiter é o senhor dos raios nesta fala de Otelo: “Ó engenhos mortais, cujas gargantas rudes/ imitam os clamores letais do imortal Júpiter” (O you mortal engines, whose rude throats/ The immortal Jove’s dead clamours counterfeit) (3.3).

Judgment
Este substantivo também pode significar “razão” ou “juízo”, como nesta fala de Otelo: “e a cólera, tendo obscurecido meu melhor juízo” (And passion, having my best judgment collied) (2.3).

Jump 1
O verbo to jump, referindo-se a números, tem o sentido de “estar de acordo”. Segundo um dos senadores, as diversas estimativas recebidas da composição da frota turca “não conduzem a uma avaliação precisa” (they jump not on a just account) (1.3).

Jump 2
Existe um sentido hoje arcaico de “precisamente” ou “justamente”, como nesta fala de Iago: “Enquanto isso, levarei o mouro à parte,/ justamente quando ele puder encontrar Cássio/ fazendo o pedido a Desdêmona” (Myself the while to draw the Moor apart,/ And bring him jump when he may Cassio find/ Soliciting his wife) (2.3).

Keep time
A idéia é de “fazer (algo) no seu devido tempo”, como neste conselho de Iago a Otelo: “Faça tudo no seu devido tempo” (keep time in all) (4.1).

Kin
É o mesmo que “parente”, mas aqui tem o significado arcaico de “parentesco” (kinship). Há ainda um sentido de “relação” (relationship) nesta fala de Rodrigo para Iago: “Por minha fé, já ouvi demais. Suas palavras e suas ações não têm a menor relação entre si” (’Faith, I have heard too much, for your words and performances are no kin together) (4.2).

Knave
O substantivo pode referir-se ao valete do jogo de cartas, a um jovem servidor ou a uma pessoa desonesta ou traiçoeira. Iago refere-se ao gondoleiro que transportou Desdêmona na fuga como “um patife de aluguel” (a knave of common hire) (1.1).

Knee-crooking
Com este adjetivo Iago refere-se ao “patife de joelho flexível” (knee-crooking knave) (1.1), como símbolo de um empregado obediente e servil.

Ladyship
É o equivalente feminino de Lordship (Senhoria), como nesta fala de Cássio para Desdêmona: “Agradeço humildemente a Vossa Senhoria” (I humbly thank your ladyship) (3.4).

Lash
Como substantive é whip (chicote). Como verbo, é “chicotear” ou “açoitar”. Emília gostaria que os céus “pusessem um chicote nas mãos de cada cidadão honesto/ para açoitar nus os canalhas do mundo inteiro” (put in every honest hand a whip/ To lash the rascals naked through the world) (4.2).

Lawn
Pode ser “gramado”, mas também “cambraia de linho”, nome derivado da cidade francesa de Laon. Emília refere-se numa fala a “peças de cambraia de linho” (measures of lawn) (4.3).

Learn
Normalmente é “aprender”, mas pode ser “ensinar” (to teach), como nesta fala de Desdêmona para o pai: “Minha vida e minha educação me ensinam ambas/ a respeitá-lo” (My life and education both do learn me/ How to respect you) (1.3).

Lewd
É o mesmo que “lascivo”. Otelo, atormentado de ciúmes, exclama para Iago, referindo-se a Desdêmona: “Dane-se a lasciva ordinária!” (Damn her, lewd minx!) (3.3).

Liberal
Há um sentido arcaico de “sensual” ou “libidinoso”, como nesta fala de Otelo, referindo-se às mãos úmidas de Desdêmona: “Isto anuncia fecundidade e coração libidinoso” (This argues fruitfulness and liberal heart) (3.4).

Light
A expressão light of brain tem o sentido de “de miolo mole”, nesta pergunta de Ludovico a Iago, referindo-se a Otelo: “Ele está em seu juízo perfeito? Não está de miolo mole?”(Are his wits safe? is he not light of brain?) (4.1).

Line
Pode significar “forrar”, tanto no sentido de aplicar um revestimento (lining), quando de ganhar dinheiro desonestamente. Iago refere-se aos empregados que trabalham até “que forrem os [bolsos dos] casacos” (when they have lined their coats) (1.1).

Linger
É o mesmo que “prolongar”, como nesta última fala de Otelo para Desdêmona: “Eu que sou cruel, no entanto sou misericordioso;/ não quero prolongar seu sofrimento” (I that am cruel, am yet merciful;/ I would not have thee linger in thy pain) (5.2).

Lip
É o mesmo que “beijar” (to kiss), nesta fala de Iago para Otelo: “Beijar uma mulher lasciva num leito legítimo e supor que seja inocente!” (To lip a wanton in a secure couch,/ and to suppose her chaste!) (4.1).

List
É um verbo arcaico para “querer” (to wish). Segundo Iago, Otelo está tão apaixonado por Desdêmona “que ela pode fazer, desfazer e realizar o que ela quiser” (That she may make, unmake, do what she list) (2.3).

Locust
Trata-se de “gafanhoto”, mas pode se referir a uma outra iguaria cujo significado se perdeu. É mencionada por Iago nesta fala, referindo-se a Otelo: “O alimento/ que para ele parece agora tão saboroso quanto gafanhotos, será/ em breve tão amargo quanto a coloquíntida” (The food/ That to him now is as luscious as locusts, shall be/ To him shortly as bitter as coloquintida) (1.3).

Lodge
É “alojar-se”, como nesta pergunta de Desdêmona ao bufão, sobre o alojamento do tenente Cássio “Ande logo: onde ele se aloja?” (Go to: where lodges he?) (3.4).

Lodging
Trata-se de “alojamento”, como nesta fala de Iago: “Perderei este lenço no alojamento de Cássio,/ e deixarei que ele o encontre” (I will in Cassio’s lodging lose this napkin,/ And let him find it) (3.3).

Love
Pode ser “amizade”, como neste comentário de Iago para Otelo: “daqui em diante/ não terei amizade a amigo nenhum” (from hence/ I’ll love no friend) (3.3).

Lown
É o mesmo que “ladrão” ou “tratante”, como neste verso de uma canção tradicional, entoada por Iago: “Com isso chamava o alfaiate de ladrão” (With that he call’d the tailor lown) (2.3).

Lust
É o mesmo que “desejo sexual”. Iago, conversando com Rodrigo, refere-se a “desejos desenfreados” (unbitted lusts) (1.3).

Made
A expressão “estar feito” (to be made) tem o sentido de “ter sucesso na vida”, nesta fala de Iago: “Por minha fé, esta noite ele abordou uma carraca de terra:/ se a presa for considerada legal, ele está feito para sempre” (’Faith, he to-night hath boarded a land carrack:/ If it prove lawful prize, he’s made for ever) (1.2).

Magnifico
Trata-se de um nobre da antiga Veneza, como nesta fala de Iago: “Fique certo disto:/ o magnífico é muito estimado” (Be assured of this,/ That the magnifico is much beloved) (1.2). O termo aparece também na peça O Mercador de Veneza.

Make for
O verbo to make for significa “navegar para”. Segundo um marinheiro, a expedição turca “navega para Rodes” (makes for Rhodes) (1.3).

Make head against
É o mesmo que “opor-se” ou “fazer frente” a alguém ou alguma coisa. Otelo diz aos senadores que se o casamento atrapalhar suas funções, que as adversidades “oponham-se à minha reputação” (Make head against my estimation) (1.3).

Make light
O sentido é de “aliviar” (tornar leve) nesta fala de Otelo: “Eu sei, Iago,/ sua honradez e amizade atenuam este assunto,/ tornando-o leve para Cássio” (I know, Iago,/ Thy honesty and love doth mince this matter,/ Making it light to Cassio) (2.3).

Malice 1
O sentido usual é de “maldade”, como nesta fala de Desdêmona para Iago: “Mas que elogio você faria a uma mulher de mérito, uma que com sua autoridade desafiasse o testemunho da própria maldade?” (But what praise couldst thou bestow on a deserving woman indeed, one that, in the authority of her merit, did justly put on the vouch of very malice itself?) (2.1).

Malice 2
Há um sentido de “ressentimento” (resentment) nesta fala de Iago para Cássio, ao comentar que a punição deste ocorrera “mais por uma questão política do que por ressentimento” (more in policy than in malice) (2.3).

Malice 3
Há uma conotação de “desentendimento” nesta fala de Iago para Bianca: “Este que jaz assassinado aqui, Cássio,/ era um grande amigo meu: Que desentendimento havia entre vocês?” (He that lies slain here, Cassio,/Was my dear friend: what malice was between you?) (5.1).

Malice 4
Há um sentido de “rancor” (rancour) nesta fala de Otelo: “Quando narrarem estes feitos desafortunados,/ falem de mim como sou; nada atenuem,/ nem relatem nada por rancor” (When you shall these unlucky deeds relate,/ Speak of me as I am; nothing extenuate,/ Nor set down aught in malice) (5.1).

Mammer
É o mesmo que “hesitar” ou “vacilar”, como nesta fala de Desdêmona para Otelo: “Minha alma se pergunta/ o que você poderia pedir que eu negasse,/ ou ficaria assim hesitando” (I wonder in my soul,/ What you would ask me, that I should deny,/ Or stand so mammering on) (3.3).

Man
O verbo to man tem o sentido de “dirigir” ou “apontar” nesta fala de Otelo: “Apontem apenas um junco contra o peito de Otelo/ e ele recuará” (Man but a rush against Othello’s breast,/ And he retires) (5.2).

Mandate
Trata-se de um “mandado”, uma ordem escrita emitida por uma autoridade. Deriva do latim mandatum (literalmente, entregue em mãos, de manus (mão) e datum, particípio passado de dare, dar). Otelo diz a Ludovico: “Senhor, eu obedeço ao mandado/ e retornarei a Veneza” (Sir, I obey the mandate,/ And will return to Venice) (4.1).

Mandragora
A raiz da “mandrágora” (mandrake) era usada como narcótico. Ela é mencionada nesta fala de Iago, segundo o qual nada trará de volta o doce sono de Otelo: “Nem a papoula, nem a mandrágora” (Not poppy, nor mandragora) (3.3).

Mangle
O verbo significa “mutilar” ou “desfigurar”. Na forma adjetiva, há um sentido de “desconjuntado” nesta fala do doge para Brabâncio: “Considere este assunto desconjuntado da melhor forma possível” (Take up this mangled matter at the best) (1.3).

Manure
É o mesmo que “cultivar”, do francês manouvrer (trabalhar com as mãos). Iago refere-se à terra “cultivada industriosamente” (manured with industry) (1.3). Pode ser também “adubar” ou “fertilizar”.

Mark
Pode ter o sentido de “reparar” ou “notar”, como nesta fala de Iago para Rodrigo, referindo-se a Desdêmona: “Você não viu como ela pegava na palma da mão dele? Não reparou?” (Didst thou not see her paddle with the palm of his hand? Didst not mark that?) (2.1).

Marry
É uma forma reduzida de Virgin Mary (Virgem Maria). Equivale à interjeição “Nossa!”, no sentido de “Nossa Senhora!”. Cássio nesta fala refere-se a Bianca: “Esta é uma outra fuinha! Nossa, é das perfumadas” (’Tis such another fitchew! Marry a perfumed one) (4.1).

Match 1
Como substantivo, pode ser “pretendente”, como nesta fala de Iago, referindo-se a Desdêmona e aos “muitos pretendentes que se apresentavam” (many proposed matches) (3.3).

Match 2
O verbo pode ter o sentido de “comparar”, como nesta fala de Iago para Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Sua alma, voltando atrás para um melhor juízo,/ pode chegar a compará-lo às pessoas de sua terra” (Her will, recoiling to her better judgment,/ May fall to match you with her country forms) (3.3).

Mazzard
É um termo antigo para “cabeça”, como nesta advertência de Cássio para Montano: “Solte-me, senhor,/ ou ficará com a cabeça quebrada” (Let me go, sir,/ Or I’ll knock you o’er the mazzard) (2.3). Existe também na grafia mazard.

Meet
O verbo to meet aparece várias vezes na peça no seu significado usual de “encontrar”. Como adjetivo, significa “adequado” ou “apropriado”, mas tem o sentido de “justo” neste lamento de Desdêmona, falando para si mesma: “É justo que eu seja tratada assim, muito justo” (’Tis meet I should be used so, very meet) (4.2).

Mere 1
Em geral é “mero” ou “simples”, como neste comentário de Iago sobre Cássio: “mero falatório, sem prática” (mere prattle, without practise) (1.1).

Mere 2
Há um sentido arcaico de “imaculado”, do latim merus (puro), nesta fala de Iago para Rodrigo, acusando Cássio de oportunista, capaz de “revestir-se das formas imaculadas de uma aparência educada e generosa” (putting on the mere form of civil and humane seeming) (2.1).

Mere 3
Pode ter um sentido também arcaico de “total” ou “absoluto”, como nesta proclamação do arauto sobre “certas notícias que acabam de chegar, referindo-se à perda total da frota turca” (certain tidings now arrived, importing the mere perdition of the Turkish fleet) (2.2).

Mess
É o mesmo que “pequeno pedaço”, como nesta fala de Otelo: “Vou cortá-la a machado em pedacinhos: cornear-me!” (I will chop her into messes: cuckold me!) (4.1).

Might 1
Como substantivo é “poder” (power). Iago diz a Otelo que o senador Brabâncio poderá usar contra ele (Otelo) “a lei, com todo o poder que ele [Brabâncio] tem para aplicá-la” (The law, with all his might to enforce it on) (1.2).

Might 2
Como verbo, pode ser uma forma condicional do verbo to may (poder), a exemplo desta fala de Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Oh, o mundo não tem uma criatura mais adorável: ela poderia repousar ao lado de um imperador e dar-lhe ordens” (O, the world hath not a sweeter creature: she might lie by an emperor’s side and command him tasks) (4.1).

Mince
O verbo, do latim minutus (pequeno), tem o sentido de “atenuar” nesta fala de Otelo: “Eu sei, Iago,/ sua honradez e amizade atenuam este assunto,/ tornando-o leve para Cássio” (I know, Iago,/ Thy honesty and love doth mince this matter,/ Making it light to Cassio) (2.3).

Mineral
Pode ter um sentido arcaico de “substância inorgânica usada como droga”. Brabâncio acusa Otelo de debilitar Desdêmona com “drogas ou minerais” (with drugs or minerals) (1.2).

Minion
A palavra vem do francês mignon e tem vários significados como “delicado” e “gentil”. Há um sentido irônico de “minha pequena”, nesta fala de Otelo para si mesmo, referindo-se a Desdêmona: “Minha pequena, seu amante jaz morto,/ e seu destino maldito se apressa” (Minion, your dear lies dead,/ And your unblest fate hies) (5.1).

Minister 1
Como verbo pode ter o sentido de “mostrar”, como nesta fala na qual Iago pede a Rodrigo que “encontre alguma ocasião para irritar Cássio, seja falando muito alto […] ou de qualquer outra forma que você julgue conveniente, que a ocasião se incumbirá de mostrar” (do you find some occasion to anger Cassio, either by speaking too loud [… discipline; or from what other course you please, which the time shall more favourably minister) (2.1).

Minister 2
Como substantivo pode ser “servo”, como nesta fala de Iago referindo-se à luz como “servo flamejante” (flaming minister) (5.2).

Minx
O termo é de origem incerta e é sinônimo de “mulher promíscua”, como nesta fala de Bianca para Cássio: “É a lembrança de alguma vagabunda, e eu devo copiar o trabalho?” (This is some minx’s token, and I must take out the work?) (4.1).

Miscarry
É o mesmo que “falhar” (to fail), como neste apelo de Rodrigo para Iago: “Fique por perto, à mão; eu posso falhar no golpe” (Be near at hand; I may miscarry in’t) (5.1).

Misuse
Trata-se de um “uso” (use) incorreto ou impróprio, mas tem o sentido de “falta” neste solilóquio de Desdêmona: “Como tenho me comportado, para que ele possa atribuir/ a menor suspeita à minha mais leve falta?” (How have I been behaved, that he might stick/ The small’st opinion on my least misuse?) (4.2).

Modern
Pode ter o sentido de “comum” ou “irrelevante”, como nesta fala do doge, acusando Brabâncio de basear-se em “pobres verossimilhanças de uma probabilidade irrelevante” (poor likelihoods/ Of modern seeming) (1.3).

Moe
É uma forma reduzida de more (mais), como nesta canção entoada por Desdêmona: “Se eu cortejar mais mulheres, você dormirá com mais homens!” (If I court moe women, you’ll couch with moe men!) (4.3).

Moist
É o mesmo que “úmido”, do latim mucus (muco). Otelo acha a mão de Desdêmona “quente e úmida” (hot and moist) (3.4), para ele um símbolo de um temperamento lascivo.

Molestation
Em geral é algo importuno ou impertinente, mas tem o sentido de “tempestuoso”, nesta fala de um cavalheiro no porto: “Nunca vi nada tempestuoso assim” (I never did like molestation view) (2.1).

Monument
Há um sentido obsoleto de “mausoléu”, do latim monumentum, cuja raiz é o verbo monere (lembrar). Otelo refere-se à pele de Desdêmona como “suave como o alabastro dos mausoléus” (smooth as monumental alabaster) (5.2).

Moorship
Trata-se de um neologismo irônico criado por Iago, um misto de His Lordship (Sua Senhoria) e Moor (mouro). Ele se considera “o alferes de Sua Senhoria moura” (His Moorship’s ancient) (1.1).

Moraller
É um termo arcaico para “moralista” (moralist, moralizer), como nesta fala de Iago para Cássio: “Ora, você é um moralista severo demais” (Come, you are too severe a moraller) (2.3).

Mortal engine
O “engenho mortal” desta fala de Otelo é o “canhão” (cannon): “Ó engenhos mortais, cujas gargantas rudes/ imitam os clamores letais do imortal Júpiter” (O you mortal engines, whose rude throats/ The immortal Jove’s dead clamours counterfeit) (3.3).

Mortise
É um tipo de “junção” (joint) de peças da carpintaria naval, designado mortise and tenon joint, no qual um “pino retangular” (tenon) de uma peça encaixa-se no “furo” (mortise) de outra. Montano, referindo-se à tempestade, pergunta: “Que balizas de carvalho, quando as montanhas (de água) se derramam sobre elas,/ conseguem segurar o encaixe?” (What ribs of oak, when mountains melt on them,/ Can hold the mortise?) (2.1).

Moth
É o mesmo que “mariposa” ou “traça” (clothes-moth), mas tem o sentido de “parasita” ou “pessoa inútil”. Desdêmona diz ao doge que não quer ficar para trás, como um “parasita em tempos de paz” (moth of peace) (1.3), enquanto o marido vai à guerra.

Motion 1
Em geral é “movimento”, mas tem o sentido de “sensibilidade” nesta acusação de Brabâncio a Otelo: “Abusou de sua juventude delicada com drogas ou minerais/ que debilitam a sensibilidade” (Abused her delicate youth with drugs or minerals/ That weaken motion) (1.2).

Motion 2
Há um sentido de “emoções” nesta fala de Iago para Rodrigo: “temos a razão para esfriar nossas emoções violentas” (we have reason to cool our raging motions) (1.3).

Mountebank
Trata-se de um charlatão, isto é, alguém que “monta num banco” para anunciar seus produtos. Segundo Brabâncio, Desdêmona foi vitimada “por sortilégios e remédios comprados de charlatães” (By spells and medicines bought of mountebanks) (1.3).

Move
O verbo to move tem o sentido de “irritar” nesta fala de Ludovico, referindo-se a Otelo: “Talvez a carta o tenha irritado,/ pois, segundo creio, eles o mandaram de volta para casa” (May be the letter moved him/ For, as I think, they do command him home) (4.1).

Mummy
A palavra deriva do persa mum (cera ou bálsamo) e significa “múmia” (corpo embalsamado). Há um sentido de “líquido escorrido”, nesta fala de Otelo para Desdêmona, sobre as propriedades de um lenço “que foi tingido com o líquido escorrido de corações mumificados de virgens, habilidosamente conservados” (And it was dyed in mummy which the skilful/ Conserved of maidens’ hearts) (3.4).

Mystery
Pode ter o sentido de “afazeres”, do latim ministerium (ofício ou mister). Otelo dispensa Emília dizendo: “Aos seus afazeres, aos seus afazeres” (Your mystery, your mystery) (4.2)

Naked
Pode ser “nu” e também “desarmado”, como nesta ameaça de Otelo para Graciano: “Ou, desarmado como estou, assaltá-lo-ei” (Or, naked as I am, I will assault thee) (5.2).

Napkin
Embora normalmente seja “guardanapo” (table napkin), pode ser também “lenço” (hankerchief), como nesta fala de Iago: “Perderei este lenço no alojamento de Cássio,/ e deixarei que ele o encontre” (I will in Cassio’s lodging lose this napkin,/ And let him find it) (3.3).

Necessaries
No plural, significa “bagagens”, como nesta fala de Iago para Rodrigo, referindo-se a Otelo: “Preciso ir buscar as bagagens dele no cais” (I must fetch his necessaries ashore) (2.1).

Needle
Trata-se de “agulha”, uma metonímia para os trabalhos de costura ou de bordado. Otelo elogia Desdêmona, “tão hábil com sua agulha” (so delicate with her needle) (4.1).

Negligence
Pode ter o sentido de “descuido” (carelessness), como nesta fala de Emília para Iago, referindo-se ao lenço de Desdêmona: “Não, por minha fé; ela o deixou cair por descuido” (No, faith; she let it drop by negligence) (3.3).

Nephew
Em geral é “sobrinho”, do latim nepos, mas tem um sentido arcaico de “neto” nesta fala de Iago para Brabâncio: “Você terá sua filha coberta por um cavalo da Barbária e netos que relincharão para você” (you’ll have your daughter covered with a Barbary horse; you’ll have your nephews neigh to you) (1.1).

Nether
É o mesmo que “inferior”. Emília, referindo-se a Ludovico, diz: “Conheço uma senhora em Veneza que teria ido descalça à Palestina por um toque de seu lábio inferior” (I know a lady in Venice would have walked barefoot to Palestine for a touch of his nether lip) (4.3).

Night-cap
Trata-se de “gorro de dormir”, como um eufemismo de uma desconfiança de Iago: “Pois temo que Cássio também tenha usado meu gorro de dormir” (For I fear Cassio with my night-cap too) (2.1).

Nonsuit
O verbo deriva do termo jurídico nonsuit (desistência da ação). A forma verbal é usada aqui no sentido de “contestar”. Iago conta que Otelo “contesta meus intercessores” (Nonsuits my mediators) (1.1), ao referir-se à sua promoção negada.

Nuptial
É o mesmo que “casamento” (marriage, wedding), como neste convite do arauto, referindo-se a Otelo: “é a celebração de suas núpcias” (it is the celebration of his nuptial) (2.2).

Obey the time
Literalmente é “obedecer ao tempo”, mas tem o sentido de “aproveitar ao máximo o pouco tempo que temos”, como nesta fala de Otelo: “Venha, Desdêmona, tenho apenas uma hora/ […]/ para passar com você: precisamos obedecer ao tempo” (Come, Desdemona: I have but an hour/ […]/ To spend with thee: we must obey the time) (1.3).

Ocular
O termo “ocular”, do latim oculus (olho), tem o sentido de “que meus olhos possam ver”, nesta ordem de Otelo para Iago: “Dê-me uma prova ocular” (give me the ocular proof) (3.3).

Odd-even
Literalmente significa “noite ímpar”, onde even é uma forma poética de evening (noite). A expressão tem o sentido de “hora imprópria”, nesta fala de Rodrigo: “Nesta hora imprópria e escura vigília da noite” (At this odd-even and dull watch o’ the night) (1.1).

Off-capped
O verbo to off-cap (tirar o chapéu) é de uso raro. Ele é usado como particípio passado nesta fala, na qual Iago conta que três grandes da cidade foram pedir a promoção dele a tenente, “com o chapéu na mão” (off-capp’d) (1.1). Existe em português o verbo “deschapelar-se”, de uso igualmente raro. Há em ambas as línguas um sentido figurado de “pedir humildemente”.

Offend 1
Pode ser “incomodar” nesta fala de Otelo: “Tenho um resfriado persistente e desagradável que me incomoda;/ dê-me seu lenço” (I have a salt and sorry rheum offends me;/ Lend me thy handkerchief) (3.4).

Offend 2
Há um sentido obsoleto de “transgredir” nesta fala de Iago para Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Se o senhor está tão incomodado com a iniqüidade dela, dê-lhe licença para transgredir” (If you are so fond over her iniquity, give her patent to offend) (4.1).

Office 1
Há o sentido de “préstimos” ou “bons ofícios” quando Cássio pede ajuda a Desdêmona para voltar a privar da amizade de Otelo, “a quem, com todos os bons ofícios de meu coração/ honro inteiramente” (Whom I with all the office of my heart/ Entirely honour) (3.4).

Office 2
Há um sentido de “emprego” quando Emília atribui as calúnias contra Desdêmona a algum patife desejoso de “conseguir algum emprego” (to get some office) (4.2).

Olympus
Trata-se do monte Olimpo, a morada dos deuses na mitologia grega, citado nesta fala de Otelo: “Que o navio laborioso suba montes no mar,/ altos como o Olimpo” (And let the labouring bark climb hills of seas/ Olympus-high) (2.1).

One
Este numeral pode ter o sentido levemente depreciativo de “um tal”, como nesta fala de Iago: “Na verdade, um grande aritmético,/ um tal Miguel Cássio” (Forsooth, a great arithmetician,/ One Michael Cassio) (1.1). Analogamente, um cavalheiro refere-se a “um tal Iago, alferes do general” (one Iago, ancient to the general) (2.1).

Opinion 1
Tem um sentido de “opinião geral” ou “consenso”, nesta fala do doge, ao justificar a indicação de Otelo para a missão em Chipre com base na “opinião geral, a senhora soberana das circunstâncias” (opinion, a sovereign mistress of effects) (1.3).

Opinion 2
É o mesmo que “suspeita” neste solilóquio de Desdêmona: “Como tenho me comportado, para que ele possa atribuir/ a menor suspeita à minha mais leve falta?” (How have I been behaved, that he might stick/ The small’st opinion on my least misuse?) (4.2).

Ottoman
Trata-se do “otomano”, como nesta fala do doge: “Valente Otelo, precisamos empregá-lo imediatamente/ contra nosso inimigo comum, o otomano” (Valiant Othello, we must straight employ you/ Against the general enemy Ottoman) (1.3).

Ottomite
É o mesmo que Ottoman. Otelo, dirigindo-se ao doge, refere-se a “estas guerras atuais contra os otomanos” (These present wars against the Ottomites) (1.3).

Out of 1
Há um sentido de “por causa de” (because of), como nesta fala de Iago para Rodrigo: “por causa disto farei com que os de Chipre se amotinem” (out of that will I cause these of Cyprus to mutiny) (2.1).

Out of 2
O sentido é o mesmo nesta fala de Iago para Otelo: “Eu não gostaria que sua natureza franca e nobre,/ por sua bondade natural, fosse enganada” (I would not have your free and noble nature,/ Out of self-bounty, be abused) (3.3).

Out of fashion
A expressão quer dizer “fora do costume habitual” (do latim facere, fazer), como nesta fala de Otelo, ao encontrar Desdêmona em Chipre: “Oh, minha querida, falo como um tagarela, fora do costume habitual” (O my sweet, I prattle out of fashion) (2.1).

Out of the way
Literalmente é “fora do caminho”, mas tem o sentido de “despropositado” nesta fala de Iago, dirigindo-se a Rodrigo: “Nada desta idéia de se afogar! É completamente despropositada” (A pox of drowning thyself! it is clean out of the way) (1.3).

Out of warrant
É o mesmo que “ilegal” (unlawful) ou “à margem da lei”, como nesta fala de Brabâncio, acusando Otelo de ser “um praticante/ de artes proibidas e à margem da lei” (a practiser/ Of arts inhibited and out of warrant) (1.2).

Out-run
É o mesmo que “escapar” (correndo de alguém que o persegue), como neste relato de Iago: “ele, veloz,/ escapou de meu propósito de alcançá-lo” (he, swift of foot,/ Outran my purpose) (2.3).

Out-tongue
Há um sentido arcaico de “falar mais alto” ou “suplantar” nesta fala de Otelo: “Meus serviços […]/ falarão mais alto do que as queixas dele” (My services […]/ Shall out-tongue his complaints) (1.2).

Owe
Normalmente o verbo significa “dever”, tem um sentido arcaico de “ter”, como neste comentário de Rodrigo para Iago: “Que sorte tem o beiçudo/ se consegue levar as coisas assim” (What a full fortune does the thick-lips owe/ If he can carry ’t thus!) (1.1).

Paddle
Dentre outros significados (remar, patinhar com os pés na água), há um sentido obsoleto de “brincar com os dedos”, como nesta fala de Iago para Rodrigo, referindo-se a Desdêmona: “Você não viu como ela pegava na palma da mão dele? Não reparou?” (Didst thou not see her paddle with the palm of his hand? Didst not mark that?) (2.1).

Pagan
É o mesmo que “pagão” (heathen), como nesta fala de Brabâncio: “Se tais ações tiverem livre curso,/ escravos e pagãos serão nossos governantes” (For if such actions may have passage free,/ Bond-slaves and pagans shall our statesmen be) (1.2).

Pageant
Normalmente é “cortejo” ou “desfile alegórico”, mas tem o sentido de “artifício”, nesta fala de um senador sobre a ameaça turca à ilha de Rodes: “É um artifício/ para nos manter mirando [um objetivo] falso” (’tis a pageant,/ To keep us in false gaze) (1.3).

Paragon
Como substantivo é um “modelo” ou “padrão”, mas como verbo tem um sentido arcaico de “exceder”. Cássio, referindo-se a Desdêmona, diz que ela “supera qualquer descrição” (paragons description) (2.1).

Parcel
Hoje é sinônimo de “pacote” (package), mas a expressão by parcels tem um sentido de “em parte” ou “por etapas”. Otelo, referindo-se a Desdêmona, fala de suas aventuras, “das quais em parte ela tinha ouvido falar” (Whereof by parcels she had something heard) (1.3).

Parley
Trata-se de uma “trégua para parlamentação com o inimigo”, do francês parler (falar). Iago usa o termo no sentido figurado de “convite” ou “chamado”, ao se referir ao olhar de Desdêmona: “Que olhar ela tem! Parece-me soar um convite para a provocação” (What an eye she has! methinks it sounds a parley of provocation) (2.3).

Part
O verbo vem do latim partire (dividir, separar). Um cavalheiro no cais, referindo-se a Cássio e Otelo, diz que “eles foram separados/ por uma horrível e violenta tempestade) (they were parted/ With foul and violent tempest) (2.1).

Party
Pode ser “cúmplice”, do latim pars, parte, como nesta fala de Iago, referindo-se a Bianca: “Cavalheiros, suspeito que esta desqualificada/ seja cúmplice desta traição” (Gentlemen all, I do suspect this trash/ To be a party in this injury) (5.1).

Passing
Hoje é “passageiro” ou “fugaz”, mas há um sentido arcaico de “muito” (very) ou “excessivamente” (exceedingly). Otelo conta que Desdêmona achava suas aventuras “muito estranhas” (passing strange) (1.3).
Passion 1
Normalmente significa “paixão”, mas pode ter o sentido de “cólera”, como nesta fala de Otelo: “e a cólera, tendo obscurecido meu melhor juízo” (And passion, having my best judgment collied) (2.3).

Passion 2
Pode ter o sentido de “emoção”, como nesta outra fala de Otelo: “Oh, emoção bem representada!” (O well-painted passion!) (4.1)

Patent
Há um sentido de “licença” nesta fala de Iago para Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Se o senhor está tão incomodado com a iniqüidade dela, dê-lhe licença para transgredir” (If you are so fond over her iniquity, give her patent to offend) (4.1).

Peck
É o mesmo que “bicar”, mas tem o sentido figurado de “criticar”, como nesta fala de Iago: “usarei o coração na manga,/ para que as gralhas o biquem” (I will wear my heart upon my sleeve/ For daws to peck at) (1.1).

Peculiar
Há um sentido de “particular”, referindo-se à própria pessoa. Desdêmona, dirigindo-se a Otelo, refere-se a “um benefício particular/ para sua própria pessoa” (a peculiar profit/ To your own person) (3.3).

Peer
Na Inglaterra é um “par”, um membro da “Câmara dos Lordes” (House of Lords), como neste verso de uma canção tradicional, entoada por Iago: “O Rei Estevão era um digno par” (King Stephen was a worthy peer) (2.3).

Peg
Trata-se de uma “cravelha”, uma peça de madeira ou metal destinada a ajustar a tensão das cordas de um instrumento musical, como nesta fala de Iago: “Mas afrouxarei as cravelhas que fazem esta música” (But I’ll set down the pegs that make this music) (2.1).

Perdition 1
Tem o sentido de “desgraça” nesta fala de Otelo para Desdêmona. Se ela perdesse o lenço, “seria uma tal desgraça/ que nada mais se compararia a ela” (were such perdition/ As nothing else could match) (3.4).
Perdition 2
O sentido é de “perda” nesta proclamação do arauto sobre “certas notícias que acabam de chegar, referindo-se à perda total da frota turca” (certain tidings now arrived, importing the mere perdition of the Turkish fleet) (2.2).

Period
Pode ter o sentido de “desenlace” ou “fim”, como neste comentário de Ludovico, após o suicídio de Otelo: “Oh, desenlace sangrento!” (O bloody period!) (5.2).

Perjure
Trata-se de “perjurar” (jurar falso), como nesta fala de Otelo para Desdêmona: “Ó mulher perjura!” (O perjured woman!) (5.2).

Perjury
Trata-se de “perjúrio” (ato de jurar falso), como nesta fala também de Otelo para Desdêmona: “Doce alma, tome cuidado,/ tome cuidado com o perjúrio; você está em seu leito de morte” (Sweet soul, take heed,/ Take heed of perjury; thou art on thy death-bed) (5.2).

Pioner
Trata-se de um “sapador”, um soldado que exercia o trabalho mais rude de cavar trincheiras em operações militares. Otelo, refrindo-se a Desdêmona, diz que se sentiria melhor se todo o acampamento, “os sapadores e os demais, tivessem provado seu doce corpo” (Pioners and all, had tasted her sweet body) (3.3), desde que ele de nada soubesse.

Pish
É uma exclamação de impaciência, usada por Iago, em conversa com Rodrigo, referindo-se a Cássio: “Ora!” (Pish!) (2.1).

Pitch
Tem o sentido de “piche” (tar), nesta fala de Iago, referindo-se a Desdêmona: “Assim, transformarei sua virtude em piche” (So will I turn her virtue into pitch) (2.3).

Pith
Trata-se da “medula”, mas tem um sentido arcaico de “vigor”, como neste relato de Otelo aos senadores sobre sua experiência “desde que estes meus braços tinham o vigor dos meus sete anos” (since these arms of mine had seven years’ pith) (1.3).

Place 1
Há um sentido de “ofício” nesta fala do senador Brabâncio ao doge: “Não foi meu ofício, nem nada que eu tenha ouvido dos negócios [de Estado],/ que me fez levantar da cama” (Neither my place nor aught I heard of business/ Hath raised me from my bed) (1.3).

Place 2
Pode ter o sentido de “posição social”, como neste pedido de Otelo, referindo-se a Desdêmona, de “trato adequado à sua posição social” (Due reference of place) (1.3).

Plague 1
Como verbo, pode ser “atormentar”, a exemplo desta fala de Iago para Rodrigo, referindo-se a Brabâncio: “Atormente-o com moscas” (Plague him with flies) (1.1).

Plague 2
O substantivo “praga” tem um sentido de “castigo”, nesta fala de Otelo: “Contudo, este é o castigo dos grandes;/ Eles têm menos privilégios do que os de condição inferior” (Yet, ’tis the plague of great ones;/ Prerogatived are they less than the base) (3.3).

Plague 3
Pode ser “flagelo”, como nesta fala de Otelo: “Este flagelo bifurcado está fatalmente destinado a nós/ assim que ganhamos vida” (this forked plague is fated to us/ When we do quicken) (3.3). O “flagelo bifurcado” são os “chifres”.

Pledge
Deriva do latim praebere (oferecer), mas tem um sentido de “penhor” nesta fala de Otelo, na qual ele se refere ao lenço dado de presente a Desdêmona como “símbolo e penhor de amor” (recognizance and pledge of love) (5.2).

Plume up
Literalmente é “enfeitar com plumas”, mas tem o sentido de adornar, neste plano de Iago: “Conseguir o lugar dele e adornar meu propósito/ numa esperteza dupla” (To get his place and to plume up my will/ In double knavery) (1.3).

Plumed
É o mesmo que “empenachado” (enfeitado com penachos). Entristecido, Otelo pensa em dar adeus à “tropa empenachada” (plumed troop) (3.3).

Poise 1
É o mesmo que “equilibrar” ou “contrabalançar”, do latim vulgar pesum. Iago refere-se à balança de nossas vidas, que tem “um prato de razão para equilibrar um outro de sensibilidade” (one scale of reason to poise another of sensuality) (1.3).

Poise 2
Há um sentido figurado de algo “de peso” ou difícil de conseguir. Desdêmona diz a Otelo que só testaria o amor dele com algo “de grande peso” (full of poise) (3.3).

Pole
Pode ser o Pólo Norte (North Pole) ou a Estrela Polar (Polestar). Segundo um cavalheiro, a tempestade é tão forte que parece querer “apagar os guardas da sempre fixa Estrela Polar” (quench the guards of the ever-fixed pole) (2.1). Os “guardas” são as demais estrelas da constelação Ursa Menor.

Pontic sea
Trata-se do “mar do Ponto” (Pontic sea) (3.3), mencionado por Otelo. O nome vem do grego Pontikos (mar do Ponto, hoje mar Negro). O equivalente latino é Pontus Euxinus.

Poppy
Trata-se da “papoula”, da qual se obtém o ópio, mencionada nesta fala de Iago, segundo o qual nada trará de volta o doce sono de Otelo: “Nem a papoula, nem a mandrágora,/ nem todos os xaropes soporíferos do mundo” (Not poppy, nor mandragora,/ Nor all the drowsy syrups of the world) (3.3).

Portance
Deriva do latim portare (portar). É o mesmo que “procedimento” ou “conduta” (conduct). Otelo comenta o interesse de Desdêmona no “relato de minha conduta ao longo das viagens” (And portance in my travels’ history) (1.3).

Post-haste
A expressão refere-se à “pressa” (haste) característica do “correio a cavalo” (post). Cássio intensifica a expressão ao dizer a Otelo que o doge requisita “sua presença com toda urgência” (your haste-post-haste appearance) (1.2).

Potation
Deriva do latim potare (beber). É o mesmo que drink (drinque). Iago diz que Rodrigo bebeu “drinques de meio galão” (potations pottle-deep) (2.3).

Pottle 1
Trata-se de uma antiga unidade de medida equivalente a meio galão, citada na fala acima de Iago.

Pottle 2
É o mesmo que “caneco”, como neste trecho de uma fala de Iago: “antes que encham o caneco seguinte” (ere the next pottle can be filled) (2.3).

Pox
Trata-se de qualquer uma de diversas enfremidades que produzem erupções cutâneas, como a “varíola” (small pox) e a “sífilis” (French pox). Iago usa o termo para expressar impaciência ou irritação, dirigindo-se a Rodrigo: “Nada desta idéia de se afogar! É completamente despropositada” (A pox of drowning thyself! it is clean out of the way) (1.3).

Practice 2
Há um sentido arcaico de “trama” (plot, scheme). Desdêmona atribui o mau humor de Otelo a “alguma trama oculta” (some unhatch’d practise) (3.4) revelada a ele em Chipre.

Practice 3
Outro sentido arcaico é de “intriga” (intrigue), quando Ludovico repreende Otelo por ter caído “na intriga de um maldito patife” (in the practise of a damned slave) (5.2).

Practise 1
Em geral é “prática”, como nesta fala, na qual Brabâncio acusa Otelo de “práticas do inferno astuto” (practises of cunning hell) (1.3) para seduzir Desdêmona.

Prank 1
É o mesmo que “travessura”, nesta fala de Iago para Emília e Desdêmona: “Não há nenhuma feia ou tola/ que não faça as grandes travessuras das belas e sábias” (There’s none so foul and foolish thereunto,/ But does foul pranks which fair and wise ones do) (2.1).

Prank 2
Há um sentido de “burla”, nesta fala sobre as mulheres, de Iago para Otelo: “Em Veneza elas deixam que o céu testemunhe as burlas,/ que elas não ousam mostrar aos seus maridos” (In Venice they do let heaven see the pranks/ They dare not show their husbands) (3.3).

Prattle 1
É o mesmo que “tagarelice” ou “falatório”. Para Iago, Cássio é “só falatório, sem prática” (mere prattle, without practise) (1.1).

Prattle 2 – Como verbo é “tagarelar”, a exemplo desta fala de Otelo, ao encontrar Desdêmona em Chipre: “Oh, minha querida, falo como um tagarela, fora do costume habitual” (O my sweet, I prattle out of fashion) (2.1).

Pray
Pode ser “orar” e “pedir”. Equivale também a “por favor”, numa forma simplificada de I pray you (peço-lhe), a exemplo deste pedido de Otelo para Desdêmona: “Por favor, querida, venha cá” (Pray, chuck, come hither) (4.2).

Prefer
Além de “preferir”, pode ser “apresentar”. Segundo o doge, a acusação contra Brabâncio requer mais do que as “pobres verossimilhanças/ de uma probabilidade irrelevante que apresentam contra ele” (poor likelihoods/ Of modern seeming do prefer against him) (1.3).

Preferment
É o mesmo que “promoção” (promotion). Segundo Iago, “a promoção é obtida por carta [de recomendação] e por amizade” (Preferment goes by letter and affection) (1.1).

Pregnant
Deriva do latim pregnans (grávida), mas pode ter um sentido simbólico de “fértil”. Iago, em conversa com Rodrigo, refere-se a uma “situação provável e natural” (pregnant and unforced position) (2.1), isto é, com possibilidades de gerar frutos.

Preposterous
Como adjetivo, preposterous é “absurdo” ou “ridículo”. Nesta fala, como advérbio de modo, o sentido é de “de forma contrária à razão”. Brabâncio refere-se à escolha equivocada (para ele) de Desdêmona, ao afirmar que “a natureza não erraria de forma tão contrária à razão” (For nature so preposterously to err) (1.3), se ela não estivesse enfeitiçada.

Prerogative
É “prerrogativa” ou “privilégio”. Está numa forma verbal nesta fala de Otelo: “Contudo, este é o castigo dos grandes;/ Eles têm menos privilégios do que os de condição inferior” (Yet, ’tis the plague of great ones;/ Prerogatived are they less than the base) (3.3).

Present 1
Pode ser “urgente”, como nesta fala de Otelo, convocado pelo doge, para tratar de “algum assunto urgente de Estado” (some present business of the state) (1.2).

Present 2
Há um sentido de “apresentar” ou “relatar”, nesta fala de Otelo: “Relatarei/ como conquistei o amor desta bela dama,/ e ela o meu” (I’ll present/ How I did thrive in this fair lady’s love,/ And she in mine) (1.3).

Present 3
Pode ser simplesmente “presente”, como nesta convite do arauto “desde a presente hora de cinco da tarde até que o sino tenha tocado as onze horas da noite” (from this present hour of five till the bell have told eleven) (2.2).

Present 4
Há uma idéia hoje arcaica de “pronta” ou “sem demora”, neste pedido de Dedêmona para Otelo de uma “pronta reconciliação” (present reconciliation) (3.3) dele com Cássio.

Present 5
Pode ser “atual”. Cássio refere-se aos seus “pesares atuais” (present sorrows) (3.4), em conversa com Desdêmona.

Prick
O significado usual é “picar” ou “alfinetar”. Há um sentido figurado de “estimular”, nesta fala de Iago para Otelo, justificando ter entrado no assunto “estimulado por sentimentos tolos de honestidade e amizade” (Prick’d to’t by foolish honesty and love) (3.3).

Pride 1
Normalmente é “orgulho”, como nesta referência de Otelo ao “orgulho, pompa e circunstância da guerra gloriosa” (Pride, pomp and circumstance of glorious war!) (3.3).

Pride 2
Há um sentido arcaico de “cio” neste comentário de Iago sobre a dificuldade de surpreender os amantes, mesmo que estivessem “lúbricos como lobos no cio” (salt as wolves in pride) (3.3).

Prime
Hoje é “primeiro” ou “principal”, mas há um sentido arcaico de “luxurioso”. Iago comenta a dificuldade de surpreender os amantes, “mesmo que estivessem luxuriosos como bodes ou excitados como macacos” (Were they as prime as goats, as hot as monkeys) (3.3).

Prithee
É um equivalente arcaico de “por favor” (please), numa forma simplificada de I pray thee (peço-lhe), como nesta fala de Desdêmona para Emília, referindo-se a Otelo: “Por favor, apresse-se; ele chegará logo” (Prithee, hie thee; he’ll come anon) (4.3).

Prize
Originalmente era “presa”, derivada do latim prehendere (prender), com o sentido de carga apreendida de um navio inimigo, como nesta fala de Iago: “Por minha fé, esta noite ele abordou uma carraca de terra:/ se a presa for considerada legal, ele está feito para sempre” (’Faith, he to-night hath boarded a land carrack:/ If it prove lawful prize, he’s made for ever) (1.2).

Probal
Trata-se de uma forma reduzida de probable (provável), como nesta fala de Iago, referindo-se ao seu próprio conselho dado a Cássio como “digno de consideração” (probal to thinking) (2.3).

Probation
Deriva do latim proba (prova) e tem este sentido nesta fala de Otelo para Iago: “então prove-o,/ mas que a comprovação não deixe dobradiças nem laços” (so prove it,/ That the probation bear no hinge nor loop) (3.3).

Profit 1
Normalmente é “lucro”, mas tem um sentido arcaico de “benefício” (benefit). Desdêmona, dirigindo-se a Otelo, refere-se a “um benefício particular/ para sua própria pessoa” (a peculiar profit/ To your own person) (3.3).

Profit 2
Pode ter o sentido figurado de “lição” ou “ganho de experiência”, como neste comentário irônico de Iago para Otelo: “Agradeço por esta lição; daqui em diante/ não terei amizade a amigo nenhum, já que a amizade provoca este tipo de ofensa” (I thank you for this profit; and from hence/ I’ll love no friend, sith love breeds such offence) (3.3).

Promethean
Prometeu (Prometheus), na mitologia grega, era um Titã que roubou o fogo dos deuses, em benefício da humanidade. Como castigo, Zeus o amarrou a uma rocha e um abutre bicava-lhe diariamente o fígado, que Zeus restaurava à noite. Otelo refere-se, num solilóquio, ao “fogo de Prometeu” (Promethean heat) (5.2).

Proper 1
Entre vários significados, pode ser “próprio” (own), como nesta fala do doge, autorizando Brabâncio a utilizar todo o rigor da lei, “mesmo que nosso próprio filho estivesse implicado nesta sua ação” (though our proper son stood in your action) (1.3).

Proper 2
Há um sentido de handsome (atraente ou bonito), nesta fala de Desdêmona para Emília: “Este Ludovico é um homem bonito” (This Lodovico is a proper man) (4.3).

Propontic
Trata-se do Propôntide, um nome antigo do mar de Mármara. Ele se une ao mar Egeu pelo estreito de Dardanelos e ao mar Negro pelo estreito de Bósforo. Otelo refere-se “ao Propôntide e ao Helesponto” (To the Propontic and the Hellespont) (3.3). É mais comum a grafia Propontis. O nome vem do grego pro (antes) e Pontikos (mar do Ponto, hoje mar Negro).

Propriety
Otelo refere-se à condição natural ou própria da ilha, isto é, ao seu sossego: “Parem aquele sino horrível: ele assusta a ilha/ no seu sossego” (Silence that dreadful bell: it frights the isle/ From her propriety) (2.3).

Prosperous
Pode ter um sentido de “favorável” (que conduz ao sucesso), como neste pedido de Desdêmona: “Graciosíssimo doge,/ empreste um ouvido favorável às minhas explicações” (Most gracious duke,/ To my unfolding lend your prosperous ear) (1.3).

Protest
Assim como em português, existe o sentido de “afirmar” ou “assegurar”, do latim pro (a favor) e testare (testemunhar), como nesta fala de Rodrigo para Iago: “Sim, eu não disse nada além do que asseguro minha intenção de fazer” (Ay, and said nothing but what I protest intendment of doing) (4.2).

Provender
É o mesmo que “forragem” (capim para a alimentação do gado). Iago compara o empregado obediente a uma besta de carga, que trabalha “somente para a forragem” (For nought but provender) (1.1).

Puddle
Como substantivo é “poça” (pool) ou “atoleiro” (mire). Como verbo é “turvar”, a exemplo desta fala de Desdêmona, sobre Otelo, ao comentar que algo “turvou seu claro espírito” (Hath puddled his clear spirit) (3.4).

Puny
É o mesmo que “menor”, do francês puis, depois e né, nascido. Tem um sentido de “inferior” nesta fala de Otelo: “Nem valente sou mais,/ qualquer iniciante menor toma minha espada” (I am not valiant neither,/ But every puny whipster gets my sword) (5.2).

Purse 1
Como substantivo é “bolsa” (bag). Iago recomenda a Rodrigo que “ponha dinheiro na bolsa” (put money in thy purse) (1.3).

Purse 2
Como verbo pode ser “enrugar” ou “franzir”, a exemplo desta fala de Otelo para Iago: “E você contraiu e enrugou a testa,/ como se tivesse prendido no cérebro/ alguma idéia horrível” (And didst contract and purse thy brow together,/ As if thou then hadst shut up in thy brain/ Some horrible conceit) (3.3).

Put in
É o mesmo que “aportar”. Um dos cavalheiros presentes no cais anuncia: “O navio aportou aqui,/ uma Veronesa” (The ship is here put in,/ A Veronesa) (2.1).

Put in mind
É o mesmo que “ser informado”, como nesta fala de Montano: “seria bom/ que o general fosse informado disto” (It were well/ The general were put in mind of it) (2.3).

Put on 1
O sentido mais usual é de “vestir”, como nesta fala de Iago para Brabâncio: “Pelas chagas de Cristo, o senhor foi roubado; que vergonha, vista seu roupão” (’Zounds, sir, you’re robb’d; for shame, put on your gown) (1.1).

Put on 2
Pode ser “revestir-se”, como nesta fala de Iago para Rodrigo, acusando Cássio de oportunista, capaz de “revestir-se das formas imaculadas de uma aparência educada e generosa” (putting on the mere form of civil and humane seeming) (2.1).

Put on 3
Pode ser “tentar”, no sentido de “instigar”, como nesta fala de Iago: “Quando os demônios tentam com os piores pecados,/ eles inicialmente insinuam-se com aparências celestiais” (When devils will the blackest sins put on,/ They do suggest at first with heavenly shows) (2.3).

Qualification
É “apaziguamento” (allaying) ou “pacificação”, como nesta fala de Iago para Rodrigo: “por causa disto farei com que os de Chipre se amotinem; sua pacificação só será possível com a destituição de Cássio” (out of that will I cause these of Cyprus to mutiny; whose qualification shall come into no true taste again but by the displanting of Cassio) (2.1).

Qualify
Em vez de “qualificar”, o sentido é de “alterar” ou “enfraquecer”, como nesta fala de Cássio: “Só bebi um copo hoje à noite e, ainda assim, astutamente adulterado com água” (I have drunk but one cup to-night, and that was craftily qualified too) (2.3). Pode ter o sentido oposto de “reforçar”, como o chá ou café qualified with brandy (reforçado com conhaque).

Quat
É o mesmo que “pústula”, como nesta fala de Iago, referindo-se a Rodrigo: “Esfreguei esta jovem pústula quase que até irritá-la” (I have rubb’d this young quat almost to the sense) (5.1). Há um sentido figurado de “pessoa desprezível” em ambas as línguas.

Quest
O substantivo deriva do latim quaerere (procurar, buscar), mas tem o sentido de “patrulha” como nesta fala de Cássio para Otelo: “O Senado enviou três patrulhas distintas/ para procurá-lo” (The senate hath sent about three several quests/ To search you out) (1.2).

Quicken
É o mesmo que “ganhar vida”, como nesta fala de Otelo para Desdêmona: “Oh, sim, como as moscas de verão no matadouro,/ que ganham vida mal seus ovos são postos” (O, ay; as summer flies are in the shambles,/ That quicken even with blowing) (4.2).

Quillet
A palavra deriva da expressão latina quid libet (o que lhe agradar) e tem o sentido de “sofisma” ou “sutileza”, como neste pedido de Cássio ao bufão: “Por favor, deixe de sutilezas” (Prithee, keep up thy quillets) (3.1).
Quirk
É o mesmo que “floreio” (flourish) de um texto escrito, como nesta fala de Cássio, segundo o qual Desdêmona é “alguém que excede os floreios das penas que a descrevem” (One that excels the quirks of blazoning pens) (2.1).

Rack
Trata-se do antigo suplício da roda, pelo qual se atava uma vítima a uma roda que se fazia girar. É mencionado nesta fala de Otelo para Iago: “Fora! Vá embora! Você já me colocou no suplício da roda” (Avaunt! be gone! thou hast set me on the rack) (3.3).

Rascal
É o mesmo que “canalha”, do francês antigo rascaille (na grafia atual, racaille). Trata-se, por assim dizer, da “raspa” da sociedade. Emília gostaria que os céus pusessem um chicote nas mãos de cada cidadão honesto “para açoitar nus os canalhas do mundo inteiro” (To lash the rascals naked through the world) (4.2).

Raven
Trata-se do “corvo”, citado por Otelo, ao ser lembrado por Iago do lenço perdido por Desdêmona: “ele vem à minha memória/ como um corvo sobre uma casa infectada,/ pressagiando [o mal] para todos” (it comes o’er my memory,/ As doth the raven o’er the infected house,/ Boding to all) (4.1).

Recognizance
É uma variante arcaica de recognition (reconhecimento). Tem um sentido obsoleto de “símbolo” nesta fala de Otelo, na qual ele se refere ao lenço dado de presente a Desdêmona como “símbolo e penhor de amor” (recognizance and pledge of love) (5.2).

Recoil
É o mesmo que “recuar” (do francês reculer), mas tem o sentido de “voltar atrás” nesta fala de Iago para Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Sua alma, voltando atrás para um melhor juízo,/ pode chegar a compará-lo às pessoas de sua terra” (Her will, recoiling to her better judgment,/ May fall to match you with her country forms) (3.3).

Relume
Trata-se de um neologismo de Shakespeare, derivado de re (novamente) e illume, uma forma poética de illuminate (iluminar). Este verbo aparece apenas em Otelo, nesta fala de seu personagem principal: “Não sei onde está aquele fogo de Prometeu/ que possa reacender sua luz” (I know not where is that Promethean heat/ That can thy light relume) (5.2).

Remorse 1
Em geral é “remorso”, do latim remordere, que deu origem ao nosso pouco usado “remordimento”, mas tem um sentido de “piedade” nesta fala de Otelo para Iago: “Deixe de lado toda piedade” (abandon all remorse) (3.3).

Remorse 2
Tem um sentido de “obrigação solene”, nesta fala de Iago: “Que ele ordene,/ pois obedecer será para mim uma obrigação solene,/ por sangrenta que seja a ordem” (Let him command,/ And to obey shall be in me remorse,/ What bloody business ever) (3.3).

Repair
O verbo pode significar “efetuar reparos” e também “dirigir-se a” (do latim re, de volta, e patria, terra natal), como nesta fala de Otelo para Iago: “Isto feito, percorrerei as fortificações./ Encontre-me lá” (That done, I will be walking on the works;/ Repair there to me) (3.2).

Repeal
Hoje é “revogar” ou “cancelar” (por exemplo, uma lei), mas há um sentido arcaico de “chamar de volta” (to call back), do latim reappellare, nesta fala de Iago: “Derramarei esta pestilência no ouvido dele [Otelo]:/ ela [Desdêmona] quer chamá-lo de volta [Cássio] por luxúria” (I’ll pour this pestilence into his ear,/ That she repeals him for her body’s lust) (2.3).

Reprobation
Trata-se de “perdição”, como nesta fala de Graciano, referindo-se ao pai de Desdêmona, já falecido, que se visse a filha morta, “amaldiçoaria seu anjo bom e o afastaria de seu lado,/ e cairia na perdição” (curse his better angel from his side,/ And fall to reprobation) (5.2).

Requite
Normalmente significa “retribuir” ou “recompensar”, mas tem o sentido de “punir”, nesta fala de Emília, ao negar para Otelo que Desdêmona seja infiel: “Se algum miserável meteu isso em sua cabeça,/ que o céu o puna com a maldição da serpente!” (If any wretch have put this in your head,/ Let heaven requite it with the serpent’s curse!) (4.2).

Reserve
Normalmente é “reservar”, mas tem o sentido de “trazer”, como nesta fala de Emília, referindo-se ao lenço de Desdêmona: “ela sempre o traz consigo” (she reserves it evermore about her) (3.3).

Rest 1
Normalmente é “descansar”, como nesta fala de Desdêmona para Cássio: “Meu senhor nunca descansará” (my lord shall never rest) (3.3).

Rest 2
Pode ser “permanecer”, do latim restare, quando Ludovico dá voz de prisão a Otelo: “Você permanecerá um prisioneiro confinado” (You shall close prisoner rest) (5.2). Equivale ao francês rester.

Revolt
É “revolta”, mas há um sentido de “falta” (desobediência ao pai), nesta fala de Rodrigo: “Sua filha, se o senhor não lhe deu licença,/ digo-o de novo, cometeu uma grave falta” (Your daughter, if you have not given her leave,/ I say again, hath made a gross revolt) (1.1).

Rheum
A palavra deriva do grego rheuma (corrimento), com um sentido de “resfriado” nesta fala de Otelo: “Tenho um resfriado persistente e desagradável que me incomoda;/ dê-me seu lenço” (I have a salt and sorry rheum offends me;/ Lend me thy handkerchief) (3.4).

Rhodes
Trata-se de Rodes, a maior ilha do Dodecaneso, um grupo de ilhas gregas no mar Egeu, citada algumas vezes na peça.

Rib
Em geral é “costela”, mas aqui é “baliza”, uma das várias peças curvas que se prendem à quilha de um navio, formando o “esqueleto” do casco. Montano, referindo-se à tempestade, pergunta: “Que balizas de carvalho, quando as montanhas (de água) se derramam sobre elas,/ conseguem segurar o encaixe?” (What ribs of oak, when mountains melt on them,/ Can hold the mortise?) (2.1).

Riches
Como substantivo plural, significa “riquezas”, a exemplo desta fala de Iago: “Mas as riquezas ilimitadas são tão pobres quanto o inverno,/ para quem teme empobrecer” (But riches fineless is as poor as winter/ To him that ever fears he shall be poor) (3.3).

Rogue
É o mesmo que “patife”, possivelmente derivado do latim rogare (pedir). Emília atribui o estranho comportamento de Otelo a “algum patife intrometido e insinuante” (Some busy and insinuating rogue) (4.2).

Round
Como adjetivo, pode ser “redondo” e também “simples”, como nesta fala de Otelo, defendendo-se das acusações de Brabâncio: “Contarei uma história simples e sem enfeites” (I will a round unvarnish’d tale deliver) (1.3).

Rouse 1
Como verbo é o mesmo que “despertar” (to wake), como neste incentivo de Iago para Rodrigo: “Chame o pai dela,/ desperte-o” (Call up her father,/ Rouse him) (1.1).

Rouse 2
Como substantivo, é “bebedeira”, como neste comentário de Cássio: “Juro por Deus, já me deram uma bebedeira” (’Fore God, they have given me a rouse already) (2.3).

Rout
É o mesmo que “distúrbio” ou “confusão”, como nesta pergunta de Otelo: “Digam-me/ como começou esta confusão horrível e quem a instigou” (Give me to know/ How this foul rout began, who set it on) (2.3). Não confundir com riot (rebelião, motim).

Ruminate
É o mesmo que “ruminar”, no sentido de “meditar” ou “ponderar”, como nesta fala de Otelo para Iago: “Por favor, fale-me de seus pensamentos,/ do que você rumina” (I prithee, speak to me as to thy thinkings,/ As thou dost ruminate) (3.3).

Rush
Em geral significa “pressa” (hurry), mas é “junco” nesta fala de Otelo: “Apontem apenas um junco contra o peito de Otelo/ e ele recuará” (Man but a rush against Othello’s breast,/ And he retires) (5.2).

Sagittary
Trata-se de um nome próprio derivado do latim sagitta (flecha), representado por um centauro (um ente fantástico, meio homem, meio cavalo) que dispara seu arco, e também um dos signos do zodíaco, como nesta recomendação de Iago a Brabâncio: “Levem ao Sagitário a equipe incumbida da busca” (Lead to the Sagittary the raised search) (1.1).

Salt 1
Em geral é “salgado”, como na referência a “lágrimas salgadas” (salt tears) (4.3) na “canção do salgueiro”.

Salt 2
Há um sentido de “lúbrico” neste comentário de Iago sobre a dificuldade de surpreender os amantes, mesmo que estivessem “lúbricos como lobos no cio” (salt as wolves in pride) (3.3).

Sans
A preposição francesa sans (sem) é também usada. Brabâncio afirma que Otelo não poderia ter conquistado Desdêmona “sem feitiçaria” (sans witchcraft) (1.3).

’Sblood
Esta interjeição é a primeira palavra dita por Iago na peça. É uma contração de “(pelo) sangue de Deus” (God’s blood) (1.1). Aparece uma única vez no texto.

Scale
Este substantivo pode significar “prato de balança”. Iago refere-se à balança de nossas vidas, que tem “um prato de razão para equilibrar um outro de sensibilidade” (one scale of reason to poise another of sensuality) (1.3).

Scan – Modernamente é “digitalizar um documento impresso”, mas tem o sentido original de “esquadrinhar” ou “examinar detidamente”, como nesta fala de Iago pedindo para Otelo “não enquadrinhar mais este assunto” (To scan this thing no further) (3.3).

Scant
Como adjetivo é “escasso”, mas como verbo tem o sentido de “reduzir”, nesta queixa de Emília sobre os maridos que “reduzem nosso orçamento habitual por desprezo” (scant our former having in despite) (4.3).

Scatter
Normalmente o verbo significa “espalhar” ou “dispersar”. Aqui é usado no gerúndio, com o sentido de “vago”, quando Iago pede a Otelo que não “crie para o senhor mesmo um problema/ por uma observação vaga e incerta” (build yourself a trouble/ Out of his scattering and unsure observance) (3.3).

Scion
É o mesmo que “enxerto” (graft), como nesta fala irônica de Iago para Rodrigo: “acho que isto que você chama amor é uma muda ou um enxerto” (I take this that you call love to be a sect or scion) (1.3).

Score
Pode significar “vintena” (grupo de vinte), como nesta fala de Bianca para Cássio: “Quê? Ficar uma semana fora? Sete dias e sete noites?/ Oito vintenas e oito horas?” (What, keep a week away? seven days and nights?/ Eight score eight hours?) (3.4).

Scurvy
Como adjetivo é “mesquinho” ou “vil”. Iago diz a Otelo que o senador Brabâncio referiu-se a ele (Otelo) em “termos vis e provocadores” (scurvy and provoking terms) (1.2). Como substantivo é o “escorbuto”, causado pela deficiência de vitamina C.

Sea-mark
Trata-se de um “ponto de referência” ou “farol” em terra, para orientação dos navios. Otelo reconhece que chegou ao fim da jornada, ao “ao próprio farol para o qual navego pela última vez” (very sea-mark of my utmost sail) (5.2).

Sect
É uma forma reduzida de section (corte), do latim secare (cortar). Trata-se de um “muda”, um pequeno galho que se remove para plantar em outro local, como na fala de Iago para Rodrigo citada acima em Scion.

Secure
O sentido aqui é de “despreocupado”, do latim securus (de sine, sem, e cura, cuidado, preocupação). Iago recomenda que Otelo, ao observar Desdêmona “use os olhos sem ser ciumento nem despreocupado” (Wear your eye thus, not jealous nor secure) (3.3).

Seel
O verbo to seel, do latim cilium (cílio), é da falcoaria e significa “vendar os olhos” de um falcão. O sentido é de “cegar”, quando Otelo promete aos senadores que a presença de Desdêmona não seria capaz de “cegar com voluptuosa indolência/ minhas faculdades de pensamento e ação” (seel with wanton dullness/ My speculative and offic’d instruments) (1.3).

Seem 1
É o mesmo que “parecer” (to appear), mas pode ter o sentido de “aparentar”. Iago comenta que não segue Otelo por amizade ou dever, “mas se assim aparento, é para meus fins particulares” (But seeming so, for my peculiar end) (1.1).

Seem 2
Há um sentido de “fingir” ou “disfarçar”, nesta fala de Desdêmona, preocupada com o atraso do navio de Otelo: “Não estou contente, mas engano/ aquilo que sou, fingindo o contrário” (I am not merry; but I do beguile/ The thing I am, by seeming otherwise) (2.1).

Segregation
Tem o sentido de “dispersão”, num comentário de um cavalheiro à beira do cais, sobre “a dispersão da frota turca” (segregation of the Turkish fleet) (2.1).

Self-bounty
Trata-se de “bondade natural” ou “generosidade”, como nesta fala de Iago para Otelo: “Eu não gostaria que sua natureza franca e nobre,/ por sua bondade natural, fosse enganada” (I would not have your free and noble nature,/ Out of self-bounty, be abused) (3.3).

Sennight
É uma palavra arcaica para “semana”, derivada de seven nights (sete noites), como nesta fala de Cássio, referindo-se a Desdêmona “cuja chegada aqui antecipa nossas previsões/ em uma semana” (Whose footing here anticipates our thoughts/ A se’nnight’s speed) (2.1).

Sense 1
Pode ser “senso”, como nesta fala de Rodrigo: “Não creia que,/afastando-me de todo senso de civilidade,/ eu fosse capaz de brincar com o senhor e ridicularizá-lo” (Do not believe/ That, from the sense of all civility,/ I thus would play and trifle with your reverence) (1.1).

Sense 2
É “interpretação”, quando o doge autoriza Brabâncio a aplicar “o livro sangrento da lei,/ cuja letra amarga você próprio lerá,/ segundo sua própria interpretação” (the bloody book of law/ You shall yourself read in the bitter letter/ After your own sense) (1.3).

Sense 3
Pode ser um “sentido fisiológico”, nesta referência de Desdêmona a “meus olhos, ouvidos, ou qualquer outro sentido” (mine eyes, mine ears, or any sense) (4.2).

Sequent
Tem o sentido de “consecutivo” nesta fala de Cássio: “as galeras mandaram uma dúzia de mensagens consecutivas” (the galleys have sent a dozen sequent messengers) (1.2).

Sequester
Não se trata de “seqüestro” (kidnap), mas sim de “separação” ou “segregação”. Há um sentido de “privação” nesta fala de Otelo, segundo o qual as mãos úmidas de Desdêmona são um símbolo de lubricidade, que requer “privação da liberdade, jejum e oração” (A sequester from liberty, fasting and prayer) (3.4).

Sequestration
É também “separação”, como nesta fala de Iago: “foi um começo violento e você/ verá uma separação correspondente” (it was a violent commencement, and thou/shalt see an answerable sequestration) (1.3).

Set on 1
Há um sentido arcaico de “atacar” (to attack) nesta fala de Iago: “Cássio foi atacado aqui, no escuro,/ por Rodrigo e outros indivíduos que escaparam” (Cassio hath here been set on in the dark/ By Roderigo and fellows that are ’scap’d) (5.1).

Set on 2
Há um sentido igualmente arcaico de “instigar” (to instigate), como nesta pergunta de Otelo: “Digam-me/ como começou esta confusão horrível e quem a instigou” (Give me to know/ How this foul rout began, who set it on) (2.3).

Shake off
É o mesmo que “livrar-se” (to get rid of), como nesta fala de Desdêmona para Iago, na qual ela confirma seu amor a Otelo “mesmo que ele se livre de mim/ num divórcio semelhante ao de um mendigo” (though he do shake me off/ To beggarly divorcement) (4.2).

Shambles
É o mesmo que “matadouro” (slaughterhouse), do latim scamnum (tamborete, banco), como nesta fala de Otelo para Desdêmona: “Oh, sim, como as moscas de verão no matadouro,/ que ganham vida mal seus ovos são postos” (O, ay; as summer flies are in the shambles,/ That quicken even with blowing) (4.2).

Show
Pode ser uma demonstração falsa, superficial ou fingida, como nesta fala de Iago sobre empregados que “dão apenas aparências de serviço para seus senhores” (throwing but shows of service on their lords) (1.1).

Shrift
Trata-se de uma palavra arcaica para “confissão” (confession), mas aqui tem o sentido de “confessionário”, do latim confessione. Desdêmona promete a Cássio que ele terá seu posto de volta. Ela insistirá tanto com Otelo que “seu leito parecerá uma escola e sua mesa, um confessionário” (His bed shall seem a school, his board a shrift) (3.3).

Shroud
Pode ser o substantivo “mortalha” e o verbo “amortalhar”, como neste pedido de Desdêmona para Emília: “Se eu morrer antes de você, por favor, amortalhe-me/ num destes mesmos lençóis” (If I do die before thee prithee, shroud me/ In one of those same sheets) (4.3).

Sibyl
Trata-se de uma feiticeira, mencionada por Otelo nesta fala, dirigindo-se a Desdêmona, referindo-se ao lenço que lhe dera de presente: “Uma sibila […]/ em seu furor profético bordou o tecido” (A sibyl [ ]/ In her prophetic fury sew’d the work) (3.4).

Siege 1
É o mesmo que “assédio”, do latim absedius (ab, contra, e sedes, assento, sede), como nesta fala de Otelo, referindo-se a Brabâncio: “Sempre me perguntava a história de minha vida,/ que contasse ano a ano as batalhas, assédios e sortes,/ pelos quais passei” (Still question’d me the story of my life,/ From year to year, the battles, sieges, fortunes,/ That I have passed) (1.3).

Siege 2
Pode ser um termo arcaico para “estirpe” ou “posição social”. Otelo refere-se a “homens de estirpe real” (men of royal siege) (1.2).

Signior
Esta é a grafia inglesa das formas italianas signore (sem anteceder um nome próprio) ou signor (antecedendo um nome próprio). Aparece diversas vezes na peça, como nesta fala de Rodrigo: “Signor Brabâncio, olá!” (Signior Brabantio, ho!) (1.1).

Signiory
Aqui “Senhoria” tem o sentido de “governo (de Veneza)”, como nesta fala de Otelo: “Os serviços que tenho prestado à Senhoria/ falarão mais alto do que as queixas dele [Brabâncio]” (My services which I have done the signiory/ Shall out-tongue his complaints) (1.2).

Sith
É o mesmo que since (já que, visto que), como neste comentário de Iago para Otelo: “daqui em diante/ não terei amizade a amigo nenhum, já que a amizade provoca este tipo de ofensa” (from hence/ I’ll love no friend, sith love breeds such offence) (3.3).

Skillet
É o mesmo que “frigideira” (frying pan), do latim scutella, como nesta fala de Otelo: “Que as donas de casa façam uma frigideira de meu elmo” (Let housewives make a skillet of my helm) (1.3).

Slander
Deriva do latim scandalum (escândalo), mas tem o sentido de “calúnia”. Segundo Emília, “que me enforquem se algum eterno vilão/…/ não inventou esta calúnia” (I will be hang’d, if some eternal villain,/…/ Have not devised this slander) (4.2).

Slave
Pode ser “escravo” e também “patife”. Emília atribui as calúnias contra Desdêmona a “algum patife fraudador e trapaceiro” (Some cogging, cozening slave) (4.2).

Slime
Trata-se de um termo genérico para limo, lodo ou qualquer secreção viscosa, como nesta fala de Otelo, referindo-se a Iago: “Ele é um homem honesto, que detesta a lama/ que adere nas ações sujas” (An honest man he is, and hates the slime/ That sticks on filthy deeds) (5.2). Em Antônio e Cleópatra, Marco Antônio refere-se ao “limo do Nilo” (Nilus’ slime) (1.3). No fim da peça, um dos guardas descobre o rastro viscoso da serpente que vitimou Cleópatra: “estas folhas de figueira têm um rastro viscoso sobre elas” (these fig-leaves have slime upon them) (5.2).

Slip
É o mesmo que “deslize” (erro ou lapso). Em conversa com Otelo, Iago refere-se a um “deslize venial” (venial slip) (4.1).

Slipper
No inglês de hoje seria slippery (escorregadio), nesta fala de Iago, ao descrever Cássio como “um patife escorregadio e sutil,/ um oportunista” (a slipper and subtle knave, a/ finder of occasions) (2.1).

Slubber
É “sujar” (to soil), mas aqui tem o sentido de “ofuscar”. O doge, ao atribuir uma nova missão a Otelo, diz-lhe: “Você deve portanto resignar-se a/ ofuscar o brilho de suas novas fortunas/ com esta expedição mais rude e turbulenta” (you must therefore be content to/ slubber the gloss of your new fortunes with this/ more stubborn and boisterous expedition) (1.3).

Snipe
Trata-se da “narceja” (do gênero Capella), uma ave do brejo, de bico longo e flexível. Assim como a “galinhola” (woodcock), simboliza o “tolo”, como nesta fala de Iago: “Eu profanaria meu conhecimento acumulado/ se perdesse tempo com um tolo como este” (For I mine own gain’d knowledge should profane,/ If I would time expend with such a snipe) (1.3).

So
Aparece algumas vezes na peça no sentido de “assim” , para enfatizar a execução de um determinado gesto. Neste exemplo, Iago pede uma liga emprestada e com ela faz um curativo em Cássio: “Emprestem-me uma liga. Assim… Oh, tragam uma cadeira,/ para levá-lo daqui mais facilmente” (Lend me a garter. So. O, for a chair,/ To bear him easily hence!) (5.1).

Soft 1
Pode ter o sentido de “agradável”, como nesta fala de Otelo, segundo o qual falta-lhe “a conversação agradável que têm os cortesãos” (soft parts of conversation/ That chamberers have) (3.3).

Soft 2
Como interjeição, tem um significado arcaico de “espere(m) um pouco”, como neste pedido de Otelo a Ludovico: “Esperem: uma ou duas palavras antes de vocês irem” (Soft you; a word or two before you go) (5.2).

Soldiership
É “experiência militar”, como nesta fala de Iago sobre Cássio: “só falatório, sem prática,/ é toda sua experiência” (mere prattle, without practise,/ Is all his soldiership) (1.1).

Solicitor
É o mesmo que “advogado” (lawyer), como nesta fala de Desdêmona para Cássio: “Pois seu advogado preferirá morrer/ a abandonar sua causa” (For thy solicitor shall rather die/ Than give thy cause away) (3.3).

Spartan
Ludovico, na última fala da peça, chama Iago de “cão espartano” (Spartan dog) (5.2), no sentido de “insensível”, à semelhança dos temíveis guerreiros de Esparta.

Spinster
Pode ser “mulher solteira” e também “fiandeira”. Para Iago, Cássio “não conhece a disposição de uma batalha/ mais do que uma fiandeira” (Nor the division of a battle knows/ More than a spinster) (1.1).

Spirit-stirring
Literalmente é “animador de espíritos”. Entre outros símbolos da vida militar, Otelo faz referência ao “tambor encorajante” (spirit-stirring drum) (3.3).

Spleen
Trata-se do “baço”, tido na época como símbolo de várias emoções negativas, como a melancolia, o desânimo e a irritação, a exemplo nesta fala de Iago para Otelo: “Ora, paciência;/ ou direi que o senhor é todo irritação,/ sem nada de homem” (Marry, patience;/ Or I shall say you are all in all in spleen,/ And nothing of a man) (4.1).

Sport 1
Normalmente é “diversão”. Iago diz que não perderia tempo com um tolo como Rodrigo, “exceto por diversão e proveito” (for my sport and profit) (1.3).

Sport 2
Pode ser “prazer sexual”. Iago, dirigindo-se a Rodrigo, refere-se ao sangue “enfadado pela ação [rotineira] do sexo” (made dull with the act of sport) (2.1), referindo-se a um possível desinteresse de Desdêmona por Otelo, com o passar do tempo.

Stake
Os condenados à morte na fogueira eram amarrados a uma estaca (stake), da qual deriva a expressão lay down at stake, isto é, “arriscar na fogueira”. Nesta fala, Emília dirige-se a Otelo em defesa de Desdêmona: “Eu ousaria, meu senhor, apostar que ela é honesta,/ arriscaria minha alma” (I durst, my lord, to wager she is honest,/ Lay down my soul at stake) (4.2).

Stead
O verbo tem um sentido arcaico de “ajudar”, nesta fala de Iago para Rodrigo: “Eu nunca poderia ajudá-lo melhor do que agora” (I could never better stead thee than now) (1.3).

Steed
É o mesmo que “corcel”. Entristecido, Otelo pensa em dar adeus à tropa e ao seu “corcel relinchante” (neighing steed) (3.3).

Still
Pode ser o advérbio de modo “sempre” como nesta fala de Otelo, referindo-se a Brabâncio: “Sempre me perguntava a história de minha vida” (Still question’d me the story of my life) (1.3).

Stillness
É o mesmo que “quietude”, mas tem um sentido de “placidez” ou “sobriedade”, nesta fala de Otelo para Montano: “A gravidade e a placidade de sua juventude/ tem sido observada pelo mundo” (The gravity and stillness of your youth/ The world hath noted) (2.3).

Stone
Como verbo, tem o sentido de “transformar em pedra”, nesta fala de Otelo para Desdêmona: “Ó mulher perjura! Você transforma meu coração em pedra” (O perjured woman! thou dost stone my heart) (5.2).

Stoup
Trata-se de uma jarra para vinho, como neste convite de Iago para Cássio: “Venha, tenente, tenho uma jarra de vinho” (Come, lieutenant, I have a stoup of wine) (2.3).

Stow
Normalmente é “guardar”, mas tem o sentido de “esconder”, nesta fala de Brabâncio para Otelo: “Ó, ladrão odioso, onde você escondeu minha filha?” (O thou foul thief, where hast thou stow’d my daughter?) (1.2).

Strain 1
Deriva do latim stringere (apertar, restringir), mas tem o sentido de “estender”, nesta fala de Iago para Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Peço que o senhor não estenda minhas palavras/ a conclusões mais graves nem a um alcance maior/ do que uma suspeita” (I am to pray you not to strain my speech/ To grosser issues nor to larger reach/ Than to suspicion) (3.3).

Strain 2
Tem o sentido de “insistir” ou “pressionar”, nesta fala de Iago para Otelo: “Observe se sua senhora insiste no retorno de Cássio,/ com alguma importunidade forte ou veemente” (Note, if your lady strain his entertainment/ With any strong or vehement importunity) (3.3).

Strike
Pode ter o sentido de “bater em” (to hit), como nesta fala de Ludovico para Iago, referindo-se a Otelo: “O quê? Bater na própria esposa!” (What, strike his wife!) (4.1).

Strike off
Literalmente é “apagar” (to erase), mas tem o sentido é de “saldar uma conta”, nesta fala de Cásio ao prometer a Bianca: “saldarei a conta desta ausência com intervalos de tempo mais continuados” (But I shall, in a more continuate time,/ Strike off this score of absence) (3.4).

String 1
Pode ser “cordão”, como nesta primeira fala de Rodrigo: “você, Iago, que sempre usou minha bolsa/ Como se os cordões fossem seus” (thou, Iago, who hast had my purse/ As if the strings were thine) (1.1).

String 2
Tem o sentido de “fibra”, numa fala na qual Otelo se refere às “fibras de meu coração” (my dear heartstrings) (3.3).

Strumpet
É o mesmo que “prostituta” (whore), como nesta fala de Iago: “Esta é a praga das prostitutas:/ Enganar a muitos e ser enganada por um só” (’tis the strumpet’s plague/ To beguile many and be beguiled by one) (4.1).

Stuff 1
O verbo to stuff significa “rechear”. Iago conta como sua promoção foi recusada por Otelo “com uma linguagem bombástica,/ horrivelmente recheada com argumentos militares” (with a bombast circumstance/ Horribly stuff’d with epithets of war) (1.1).

Stuff 2
Pode ser “estofo”, no sentido de “essência” ou “idéia principal”, como nesta fala de Iago para o general “Embora eu tenha matado no ofício da guerra,/ considero como verdadeiro estofo da consciência/ não matar premeditadamente” (Though in the trade of war I have slain men,/ Yet do I hold it very stuff o’ the conscience/ To do no contrived murder) (1.2).

Sue
Hoje tem o sentido jurídico de “processar”, mas é simplesmente “pedir”, neste conselho de Iago para Cássio, referindo-se à patente perdida: “peça-lhe novamente e ele será seu” (sue to him again, and he’s yours) (2.3).

Suffice
É o mesmo que “ser suficiente”, como nesta fala de Desdêmona para Cássio: “O que eu puder fazer, farei; e farei ainda mais/ do que ousaria para mim mesma: que isto lhe seja suficiente” (What I can do I will; and more I will/ Than for myself I dare: let that suffice you) (3.4).

Suggest
Tem o sentido de “insinuar”, nesta fala de Iago: “Quando os demônios tentam com os piores pecados,/ eles inicialmente insinuam-se com aparências celestiais” (When devils will the blackest sins put on,/ They do suggest at first with heavenly shows) (2.3).

Suit
É o mesmo que “pedido”. Iago conta a Rodrigo que três grandes da cidade dirigiram-se a Otelo “num pedido pessoal para fazer de mim seu tenente” (In personal suit to make me his lieutenant) (1.1).

Surgeon
Hoje é “cirurgião”, mas havia um sentido mais genérico de “médico”, do grego kheir (mão) e ergon (trabalhar), como nesta fala de Otelo para Montano: “Senhor, para seus ferimentos, eu mesmo serei seu médico” (Sir, for your hurts, myself will be your surgeon) (2.3).

Surgery
Em geral é “cirurgia”, mas tem um sentido de “cura” quando Iago pergunta se Cássio está ferido e este responde: “Sim, além de qualquer cura” (Ay, past all surgery) (2.3).

Swag-bellied
É o mesmo que “barrigudo” (de to swag, pender e belly, barriga), como nesta referência de Iago ao “holandês barrigudo” (swag-bellied Hollander) (2.3).

Sweat
É o mesmo que “suar”, mas pode ter o sentido de “esforçar-se”, como nesta fala de Iago, segundo o qual o inglês bebe tanto que “nem sua para derrubar o alemão” (he sweats not to overthrow your Almain) (2.3).

Sympathy
O sentido etimológico é de “compaixão”, isto é, igualdade ou afinidade de sentimentos, do grego syn (com) e pathos (paixão, sofrimento). Iago sugere que Desdêmona e Cássio têm “a mesma idade” (sympathy in years) (2.1).

Syrup
É o mesmo que “xarope”, do árabe sharab (bebida). Segundo Iago, nada trará de volta o doce sono de Otelo, “nem todos os xaropes soporíferos do mundo” (Nor all the drowsy syrups of the world) (3.3).

Taint 1
O verbo deriva do latim tingere (tingir), mas tem o sentido de “contaminar” ou “manchar”, nesta fala de Desdêmona: “a crueldade dele pode destruir minha vida,/ Mas nunca contaminar meu amor” (his unkindness may defeat my life,/ But never taint my love) (4.2).

Taint 2
Pode ter o sentido de “desacreditar”, como nesta fala de Iago para Rodrigo: “encontre alguma ocasião para irritá-lo, seja falando muito alto, ou desacreditando sua disciplina” (find some occasion to anger Cassio, either by speaking too loud, or tainting his discipline) (2.1).

Take
Dentre os muitos significados do verbo to take, inclui-se presumir ou supor, como nesta fala irônica de Iago para Rodrigo: “acho que isto que você chama amor é uma muda ou um enxerto” (I take this that you call love to be a sect or scion) (1.3).

Take heed
É o mesmo que “tomar cuidado” (to take care), como nesta fala de Otelo para Desdêmona: “Doce alma, tome cuidado,/ tome cuidado com o perjúrio; você está em seu leito de morte” (Sweet soul, take heed,/ Take heed of perjury; thou art on thy death-bed) (5.2).

Take leave
Significa “despedir-se”, como nesta de Cássio para Desdêmona: “Minha senhora, preciso me despedir” (Madam, I’ll take my leave) (3.3).

Take out
Referindo-se a um bordado, é o mesmo que “copiar” (bordar um trabalho igual), como nesta fala de Bianca para Cássio: “É a lembrança de alguma vagabunda, e eu devo copiar o trabalho?” (This is some minx’s token, and I must take out the work?) (4.1).

Take up 1
Há um sentido de “considerar” nesta fala do doge para Brabâncio: “Considere este assunto desconjuntado da melhor forma possível” (Take up this mangled matter at the best) (1.3).

Take up 2
Pode ser simplesmente “apanhar” algo que caiu, como nesta fala de Emília para Iago, ao contar como achou o lenço de Desdêmona: “Eu, estando aqui, apanhei-o do chão” (I, being here, took’t up) (3.3).

Taper
Curiosamente, a palavra deriva do latim papyrus (papiro), usado como mecha pelos antigos. Pode ser “vela” (candle) ou “tocha” (torch), como nesta fala de Brabâncio: “Tragam mais tochas:/ Acordem minha parentela” (Get more tapers:/ Raise all my kindred) (1.1).

Teem
Hoje o verbo é mais usado como “abundar” ou “pulular”, mas tem um sentido arcaico de “procriar”, nesta fala de Otelo: “se terra pudesse procriar pelas lágrimas de uma mulher/, cada gota que ela derramasse geraria um crocodilo” (If that the earth could teem with woman’s tears,/ Each drop she falls would prove a crocodile) (4.1).

Temple
Pode ser “templo”, do latim templum, e “têmpora” (cada uma das porções laterais da cabeça), do latim tempora. Otelo está desmaiado e Cássio recomenda a Iago: “Friccione-lhe as têmporas” (Rub him about the temples) (4.1).

Tent
É o mesmo que “tenda” (barraca de lona). Otelo refere-se ao campo de batalha como “campo coberto de tendas” (tented field) (1.3).

Theoric
O sentido aqui é do substantivo “teórico” (no inglês moderno, theoretician ou theorist), isto é, um especialista numa teoria. Iago considera Cássio um “teórico livresco” (bookish theoric) (1.1).

Thicklips
Rodrigo refere-se pejorativamente a Otelo como “beiçola” (thicklips) (1.1). Numa tradução literal, “lábios grossos”.

Thing
A “coisa” pode ser um eufemismo para o órgão sexual feminino, como nesta resposta propositadamente dúbia de Iago para Emília: “Uma coisa para mim? É uma coisa comum…” (A thing for me? it is a common thing) (3.3). Curiosamente, common pode ser também “público” ou “promíscuo”, reforçando a ambiguidade.

Thrice-driven
O sentido aqui é “triplamente refinado”. Otelo diz aos senadores que o costume da guerra fê-lo acostumar-se a camas de pedra e aço como se fossem um “leito de plumas triplamente refinado” (thrice-driven bed of down) (1.3). Isto é, um macio leito de plumas.

Thrive 1
De uma maneira geral é “prosperar” ou “progredir”, como nesta fala de Iago sobre empregados que “dão apenas aparências de serviço para seus senhores,/ e progridem utilizando-se deles” (throwing but shows of service on their lords,/ Do well thrive by them) (1.1).

Thrive 2
Há um sentido de “ter sucesso” na conquista de Desdêmona, nesta fala de Otelo: “Relatarei/ como conquistei o amor desta bela dama,/ e ela o meu” (I’ll present/ How I did thrive in this fair lady’s love,/ And she in mine) (1.3).

Tire
Normalmente é “cansar”, mas aqui tem o sentido de “exceder”. Cássio diz a Montano que Desdêmona “nos dons naturais que a revestem,/ excede a imaginação do artista” (in the essential vesture of creation/ Does tire the ingener) (2.1).

Toged
É o mesmo que “togado”, isto é, que usa a “toga” (toga) de um magistrado. Iago refere-se a “cônsules togados” (toged consuls) (1.1). A grafia atual é togaed.

Token
É o mesmo que “lembrança” (souvenir), como nesta fala de Otelo: “Era um lenço, uma lembrança antiga” (It was a handkerchief, an antique token) (5.2).

Toy
Normalmente significa “brinquedo”, mas pode ter o sentido de “ninharia”. Emília espera que a inquietação de Otelo se deva a algum assunto de Estado e não a um “ciúme por ninharia” (jealous toy) (3.4).

Tranquil
É o mesmo que “tranqüilo” (peaceful), como nesta fala de Otelo: “Oh, agora, para sempre,/ adeus espírito tranqüilo!” (O, now, for ever/ Farewell the tranquil mind!) (3.3).

Trash 1
Pode ser “traste” (pessoa imprestável). Iago refere-se a Rodrigo como um “este pobre traste de Veneza, que trago na coleira” (this poor trash of Venice, whom I trash) (2.1).

Trash 2
Na mesma fala acima pode ser um termo arcaico para “coleira” (leash) e para o verbo “trazer na coleira”, num sentido figurado de “ter alguém sob controle”.

Trash 3
Pode ser “lixo”, como nesta fala de Iago: “Quem furta minha bolsa, furta lixo” (Who steals my purse steals trash) (3.3).

Trash 4
Há um sentido de “pessoa desqualificada”, nesta fala também de Iago, referindo-se a Bianca: “Cavalheiros, suspeito que esta desqualificada/ seja cúmplice desta traição” (Gentlemen all, I do suspect this trash/ To be a party in this injury) (5.1).

Traverse
Deriva do latim transversare “atravessar”, mas tem o sentido de uma expressão de ânimo, nesta fala de Iago para Rodrigo: “A caminho! Vamos, providencie o dinheiro” (Traverse! go, provide thy money) (1.3).

Trick
Normalmente é “truque”, mas tem o sentido de “desvario” ou “loucura” nesta pergunta de Iago para Desdêmona, referindo-se a Otelo: “Como lhe veio esta loucura?” (How comes this trick upon him?) (4.2).

Trim
O verbo pode significar “revestir-se” (no sentido de “fingir” ou “aparentar”), como nesta fala de Iago: “Outros há/ que revestidos das formas e aparências do dever,/ guardam seus corações para servir a si mesmos” (Others there are/ Who, trimm’d in forms and visages of duty/ Keep yet their hearts attending on themselves) (1.1).

Trump
É uma variante poética de trumpet (trombeta). Entre outros símbolos da vida militar, Otelo faz referência à “aguda trombeta” (shrill trump) (3.3).

Trumpet
Trata-se da “trombeta”. Ela soa em cena, para anunciar a chegada de Ludovico, e Otelo pergunta: “Que trombeta é esta?” (What trumpet is that same?) (4.1).

Tune
Este substantivo significa “tom”, do latim tonus. Aparece nas expressões in tune (afinado) e out of tune (desafinado). Desdêmona lamenta para Cássio que “minha advocacia não está afinada agora” (My advocation is not now in tune) (3.4).

Tup
É o mesmo que “cobrir” (to cover), no sentido de “acasalar”, como nesta fala de Iago para Brabâncio: “um velho bode negro/ está cobrindo sua ovelha branca” (an old black ram/ Is tupping your white ewe) (1.1).

Turk
Trata-se de uma referência genérica aos turcos do Império Otomano, que teve seu apogeu no século XVI, ocupando o norte da África, grande parte do Oriente Médio, a Turquia e o sudeste europeu. Um dos senadores menciona “a importância de Chipre para os turcos” (The importancy of Cyprus to the Turk) (1.3).

Turn
É “transformar” (to transform), nesta fala de Iago, referindo-se a Desdêmona: “Assim, transformarei sua virtude em piche” (So will I turn her virtue into pitch) (2.3).

Tush
A peça inicia com esta interjeição, dita por um Rodrigo incrédulo: “Ora! Não me diga mais nada” (Tush! Never tell me) (1.1). Literalmente, é o mesmo que tusk, a presa do elefante, do javali e de outros animais.

Twiggen
Embora twig signifique “graveto”, twiggen tem o sentido de “feito de vime (wicker)” nesta fala de Cássio, depois de tomar uns copos a mais: “Vou bater no patife até que ele entre numa garrafa de vime” (I’ll beat the knave into a twiggen bottle) (2.3).

Unbitted
O adjetivo deriva de un, prefixo de negação, e bit (freio do cavalo), uma peça metálica que passa pela boca do animal e é presa à rédea. Iago, conversando com Rodrigo, refere-se a “desejos desenfreados” (unbitted lusts) (1.3).

Unbonneted
Literalmente significa “com a cabeça descoberta”, isto é, “sem boné (bonnet)”, mas tem um sentido figurado de “de igual para igual” nesta fala de Otelo: “meus méritos/ podem falar de igual para igual com qualquer fortuna tão altiva/ quanto esta que alcancei” (my demerits/ May speak unbonneted to as proud a fortune/ As this that I have reach’d) (1.2).

Unbookish
O sentido aqui é de “tolo”, isto é, “não habituado a ler e estudar”. Iago refere-se num solilóquio ao “ciúme tolo” (unbookish jealousy) (4.1) de Otelo.

Undertake
Em geral é “empreender”, mas tem o sentido de “interceder” nesta fala de Cássio para Rodrigo: “amanhã cedo pedirei à virtuosa Desdêmona para interceder por mim” (betimes in the morning I will beseech the virtuous Desdemona to undertake for me) (2.3).

Undertaker
Há um sentido arcaico de “responsável”, nesta fala de Iago para Otelo: “Quanto a Cássio, serei o responsável por ele: o senhor ouvirá mais antes da meia-noite” (And for Cassio, let me be his undertaker: you shall hear more by midnight) (4.1).

Undone 1
Trata-se do particípio passado de to undo (“desfazer” e também “arruinar” ou “desgraçar”) e tem o sentido de “perdido”, isto é, “sem salvação”, nesta fala de Desdêmona, ao saber da suposta morte de Cássio: “Ai, ele foi traído e eu estou perdida” (Alas! he is betray’d and I undone) (5.2).

Undone 2
Há um sentido de not done (sem ser feito) nesta fala de Iago sobre as mulheres de Veneza “não se trata de deixar de fazer, mas de manter oculto” (Is not to leave’t undone, but keep’t unknown) (3.3).

Unfit
Tem o sentido de “incapaz” nesta fala de Cássio para Desdêmona: “Agora não, minha senhora: estou pouco à vontade,/ incapaz de defender minha própria causa” (Madam, not now: I am very ill at ease,/ Unfit for mine own purposes) (3.3).

Unfold
O verbo to unfold significa “desdobrar”, mas pode ser “revelar” ou “denunciar”, como nesta fala de Emília: “Ó céu, que não denuncia estas más companhias” (O heaven, that such companions thou’ldst unfold) (4.2).

Unfolding
Tem um sentido de “revelação” ou “explicação” neste pedido de Desdêmona: “Graciosíssimo doge,/ empreste um ouvido favorável às minhas explicações” (Most gracious duke,/ To my unfolding lend your prosperous ear) (1.3).

Unhandsome
Embora handsome signifique “atraente” ou “bonito”, unhandsome tem o sentido de “rude” ou “indisciplinado”, quando Desdêmona se refere a si mesma como “soldado indisciplinado” (unhandsome soldier) (3.4).

Unhatched
O verbo to hatch significa “sair da casca do ovo”. O adjetivo unhatched tem aqui tem um sentido figurado de “ainda oculto”. Desdêmona atribui o mau humor de Otelo a “alguma trama oculta” (some unhatch’d practise) (3.4) revelada a ele em Chipre.

Unhoused
Trata-se de “sem lar”. Otelo diz que, se não amasse Desdêmona, não deixaria sua “condição [de homem] livre e sem lar” (unhoused free condition) (1.2).

Unlace
Literalmente é “desfazer laços”, mas tem o sentido de “manchar” quando Otelo, dirigindo-se a Montano, pergunta por que ele “mancha sua reputação” (unlace your reputation) (2.3) numa arruaça noturna.

Unmoving
Há aqui um sentido figurado de “inabalável” ou “inexorável”, nesta fala de Otelo: “mas, ai, fazer de mim/ uma imagem fixa para que o tempo do desprezo/ aponte seu ponteiro lento e inexorável” (but, alas, to make me/ A fixed figure for the time of scorn/ To point his slow unmoving finger at!) (4.2).

Unnatural
É o mesmo que “contra a natureza”, como nesta fala de Desdêmona para Otelo: “É uma morte contra a natureza aquela que mata por amor” (That death’s unnatural that kills for loving) (5.2).

Unpin
O sentido pode ser de “desabotoar” (unbutton) ou “desapertar” (unfasten), como neste pedido de Desdêmona para Emília: “Não, desabotoe-me aqui” (No, unpin me here) (4.3).

Unproper
O sentido deste adjetivo é de algo que “não é próprio”, mas sim “compartilhado”, como nesta fala de Otelo para Iago: “Há milhões de pessoas agora/ que se deitam todas as noites em leitos que não são só deles” (There’s millions now alive/ That nightly lie in those unproper beds) (4.1).

Unprovide
É o mesmo que “desprover”. Há um sentido figurado de “desarmar” nesta fala de Otelo, que se recusa a discutir com Desdêmona para evitar que “seu corpo e sua beleza desarmem de novo minha mente” (her body and beauty unprovide my mind again) (4.1).

Unquietness
É o mesmo que “agitação” ou “inquietude”. Emília diz a Iago que Otelo saiu “numa estranha agitação” (in strange unquietness) (3.4).

Unshunnable
É o mesmo que “inevitável”, derivado do verbo to shun (evitar, afastar-se de). Otelo refere-se ao “destino inevitável, como a morte” (destiny unshunnable, like death) (3.3).

Unvarnished
Literalmente é “sem verniz (varnish)”, mas Otelo usa a expressão no sentido de “sem enfeites”, ao defender-se das acusações de Brabâncio: “Contarei uma história simples e sem enfeites” (I will a round unvarnish’d tale deliver) (1.3).

Unwholesome
Deriva de un, prefixo de negação, e wholesome (saudável), mas tem o sentido de “desequilibrado” nesta fala de Cássio ao negar a notícia de seu casamento com Bianca: “Por favor, tenha alguma caridade com a minha inteligência: não a julgue tão desequilibrada” (Prithee, bear some charity to my wit: do not think it so unwholesome) (4.1).

Unwit
É o mesmo que “tirar a razão (wit)”, como nesta fala de Iago, explicando que o desentendimento ocorreu “como se algum planeta tivesse tirado a razão dos homens” (As if some planet had unwitted men) (2.3).

Use
Assim como em português, “uso” pode ter o sentido de “costume” ou “hábito”. Ludovico estranha que Otelo tenha batido na própria esposa e pergunta a Iago: “É hábito dele?” (Is it his use?) (4.2).

Usurp
O verbo vem do latim usurpare (de usus, uso, e rapere, tomar à força), mas o adjetivo correspondente tem o sentido de “postiço” (false), nesta fala de Iago para Rodrigo: “disfarce sua aparência com uma barba postiça” (defeat thy favour with an usurped beard) (1.3).

Utter
É o mesmo que “pronunciar” (to pronounce), mas tem o sentido de “revelar”, nesta pergunta de Iago para Otelo: “Revelar meus pensamentos?” (Utter my thoughts?) (3.3).

Uttermost
É o mesmo que utmost (limite extremo, máximo possível). Desdêmona promete dedicar-se à causa de Cássio “até onde me for possível” (to my uttermost) (3.4).

Vale
É um termo poético para “vale” (valley), como nesta fala de Otelo, ao admitir: “já entrei no vale dos anos” (I am declined/ Into the vale of years) (3.3).

Vantage
É o mesmo que advantage (vantagem), mas tem o sentido de “de quebra” ou “de vantagem”. Desdêmona duvida que existam mulheres que enganem os maridos e Emília responde que há “uma dúzia e outro tanto de quebra” (a dozen; and as many to the vantage) (4.3).

Venial
Assim como em português, é “perdoável” ou “digno de vênia”, do latim venialis. Em conversa com Otelo, Iago refere-se a um “deslize venial” (venial slip) (4.1).

Veronesa
A cidade de Verona não se situa na costa, razão pela qual muitos acreditam que se trata de um tipo de embarcação. Um dos cavalheiros presentes no cais anuncia: “O navio aportou aqui,/ uma Veronesa” (The ship is here put in,/ A Veronesa) (2.1).

View
Como verbo, tem o sentido de “ver”, nesta fala de um cavalheiro no porto: “Nunca vi nada tempestuoso assim” (I never did like molestation view) (2.1).

Villanous
O adjetivo deriva de villain (vilão), do latim villa, aldeia. O sentido é de “abominável”, nesta fala de Emília: “O mouro foi enganado por algum patife abominável” (The Moor’s abus’d by some most villanous knave) (4.2). A grafia preferida hoje é villainous.

Visage 1
Embora signifique “face” do latim visus (olhar), tem o sentido de “aparência”, nesta fala de Iago, referindo-se às “formas e aparências do dever” (forms and visages of duty) (1.1).

Visage 2
Pode ter o sentido figurado de “semblante”, como nesta fala de Desdêmona: “Eu vi o semblante de Otelo na sua alma” (I saw Othello’s visage in his mind) (1.3).

Voice
Pode ser “voz” (do latim vox), mas tem o sentido de “aprovação” nesta fala de Otelo aos senadores, referindo-se ao pedido de Desdêmona para acompanhá-lo na viagem a Chipre: “Que ela obtenha a aprovação dos senhores” (Let her have your voices) (1.3).

Votarist
É o mesmo que votary, uma religiosa que já professou seus votos. Rodrigo diz a Iago que “as jóias que você recebeu de mim para entregar a Desdêmona teriam quase corrompido uma freira” (The jewels you have had from me to deliver to Desdemona would half have corrupted a votarist) (4.2).

Vouch 1
É o mesmo que “afirmar”, do latim vocare (chamar), como nesta fala do doge para Brabâncio: “Afirmar isto não é nenhuma prova” (To vouch this, is no proof) (1.3).

Vouch 2
Pode ser “testemunho”, como nesta fala de Desdêmona para Iago: “Mas que elogio você faria a uma mulher de mérito, uma que com sua autoridade desafiasse o testemunho da própria maldade?” (But what praise couldst thou bestow on a deserving woman indeed, one that, in the authority of her merit, did justly put on the vouch of very malice itself?) (2.1).

Wager
É o mesmo que “apostar” (to bet), como nesta fala, na qual Emília dirige-se a Otelo em defesa de Desdêmona: “Eu ousaria, meu senhor, apostar que ela é honesta” (I durst, my lord, to wager she is honest) (4.2).

Want
O verbo to want (querer) pode ter o sentido de “dar por falta”, como nesta fala de Otelo: “Aquele que foi roubado, não dando por falta do que foi furtado,/ que ele não saiba, e não terá sido roubado de forma alguma” (He that is robb’d, not wanting what is stol’n,/ Let him not know’t, and he’s not robb’d at all) (3.3).

Warlike
É o mesmo que “belicoso” ou “guerreiro”. Iago refere-se a Chipre como “esta ilha belicosa” (this warlike isle) (2.3).

Warrant 1
Em geral é uma “garantia” (guarantee), mas tem o sentido de “lei”, nesta fala de Brabâncio, acusando Otelo de ser “um praticante/ de artes proibidas e à margem da lei” (a practiser/ Of arts inhibited and out of warrant) (1.2).

Warrant 2
Como verbo, é “garantir” ou “assegurar”, a exemplo desta fala de Emília para Desdêmona: “posso assegurar que o caso aflige meu marido/ como se fosse com ele” (I warrant it grieves my husband,/ As if the case were his) (3.3).

Watch 1
Como substantivo, pode ser “vigília” ou “guarda”, como nesta fala de Cássio: “Bem-vindo, Iago; precisamos ir para a guarda” (Welcome, Iago; we must to the watch) (2.3).

Watch 2
Como verbo, pode ser “ficar de vigília”, como nesta fala de Iago para Rodrigo: “O tenente ficará de vigília esta noite no pátio da guarda” (The lieutenant tonight watches on the court of guard) (2.1).

Watch 3
Pode ter o sentido de “manter acordado”, como nesta promessa de Dsdêmona para Cássio, referindo-se a Otelo: “Mantê-lo-ei acordado até domá-lo e falarei até que ele perca a paciência” (I’ll watch him tame and talk him out of patience) (3.3).

Watch 4
Há um sentido de “espreitar” nesta fala de Iago para Rodrigo: “Se você espreitá-lo quando ele sair de lá […] poderá surpreendê-lo à vontade” (If you will watch his going thence […] you may take him at your pleasure) (4.2).

Waterish
É o mesmo que watery (aguado ou fraco), como neste comentário de Cássio para Desdêmona, referindo-se a uma “dieta delicada e aguada” (nice and waterish diet) (3.3).

Wayward
É “voluntarioso” ou “teimoso”. Emília refere-se a Iago como “meu marido teimoso” (My wayward husband) (3.3).

Well-painted
O verbo to paint (pintar) pode ter um sentido figurado de “ representar”. Otelo acha que as lágrimas de Desdêmona são fingidas e se refere à sua “emoção bem representada” (well-painted passion) (4.1).

Wench
É o mesmo que “rapariga”, com um sentido depreciativo de uma certa promiscuidade. Iago usa o termo de uma forma carinhosa, ao saber que Emília estava com o lenço de Desdêmona: “Boa menina, dê-me o lenço” (A good wench; give it me) (3.3).

Wheel
O verbo to wheel significa “girar” ou “dar voltas”. O particípio presente wheeling pode ter o sentido de “nômade”. Rodrigo refere-se a Otelo como “um estrangeiro errante e nômade” (an extravagant and wheeling stranger) (1.1).

Whence
É o mesmo que “de onde” (from where), como nesta fala de Bianca, referindo-se ao lenço de Desdêmona: “Oh, Cássio, de onde veio isto?” (O Cassio, whence came this?) (3.4).

Wherefore 1
Pode significar “por que”, como nesta pergunta de Brabâncio para Iago: “Ora, por que você me pergunta isto?” (Why, wherefore ask you this?) (1.1).

Wherefore 2
A idéia aqui é de “com algum motivo”. O confuso Cássio diz a Iago: “Eu me lembro de uma massa de coisas, mas nada distintamente;/ uma briga, mas nada com algum motivo” (I remember a mass of things, but nothing distinctly;/ a quarrel, but nothing wherefore) (2.3).

Wherefore 3
Pode ser “por quê”, como nesta pergunta de Otelo para Desdêmona: “Ah! Por quê?” (Ha! wherefore?) (3.4).

Whipster
É o mesmo que “noviço” ou “iniciante”, como nesta fala de Otelo: “Nem valente sou mais,/ qualquer iniciante menor toma minha espada” (I am not valiant neither,/ But every puny whipster gets my sword) (5.2). Deriva de whip (chicote) e tem um sentido pejorativo.

Whistle off
Este verbo equivale a “assoviar” (to whistle) para liberar um falcão preso ao punho, como nesta fala de Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Eu a soltaria com um assovio e a deixaria à mercê do vento” (I’ld whistle her off and let her down the wind) (3.3).

Wight
É um termo arcaico para “pessoa” (person), como neste verso de uma canção tradicional, entoada por Iago: “Ele era uma pessoa de alto renome” (He was a wight of high renown) (2.3).

Win 1
Normalmente é “vencer” ou “triunfar”, mas tem o sentido de “conquistar”, nesta fala de Desdêmona para Iago, referindo-se à confiança de Otelo: “Que farei para conquistar novamente meu senhor?” (What shall I do to win my lord again?) (4.2).

Win 2
Há um sentido amoroso de “conquistar” nesta fala do doge, referindo-se ao relato de Otelo: “Acho que esta história também conquistaria minha filha” (I think this tale would win my daughter too) (1.3).

Wink
Normalmente é “piscar”, mas tem um sentido de “negar-se a ver” nesta fala de Otelo: “a lua nega-se a ver” (the moon winks) (4.2), como se a lua, um símbolo de castidade, fechasse os olhos para não ver o pecado de Desdêmona.

Wit 1
É o mesmo que “razão” ou “inteligência”, como nesta fala de Cássio: “Por favor, tenha alguma caridade com a minha inteligência” (Prithee, bear some charity to my wit) (4.1).

Wit 2
Tem o sentido de “juízo” nesta fala de Rodrigo, que teme retornar a Veneza “sem nenhum dinheiro e com um pouco mais de juízo” (with no money at all and a little more wit) (2.3).

Without 1
Como preposição quer dizer “sem”, como neste comentário de Iago sobre Cássio: “mero falatório, sem prática” (mere prattle, without practise) (1.1).

Without 2
Como advérbio de lugar significa “do lado de fora”, a exemplo desta fala de Iago, dizendo a Cássio que “aqui fora está um grupo os galantes de Chipre” (here without are a brace of Cyprus gallants) (2.3).

Without 3
Pode ter o sentido de “pelo avesso”, como nesta fala de Emília para Iago, comentando que foi algum escudeiro da mesma laia “que virou sua cabeça pelo avesso” (That turn’d your wit the seamy side without) (4.2).

Womaned
Este curioso adjetivo tem o sentido de “em companhia feminina”, nesta fala de Cássio para Bianca: “Eu estou aqui à espera do general/ e não acho recomendável, nem é meu desejo,/ que ele me veja em companhia feminina” (I do attend here on the general;/ And think it no addition, nor my wish,/ To have him see me woman’d) (3.4).

Woo
É o mesmo que “cortejar”, como nesta pergunta de Iago para Otelo: “Quando o senhor cortejava Desdêmona, Miguel Cássio/ sabia de seu amor por ela?” (Did Michael Cassio, when you woo’d my lady,/ Know of your love?) (3.3).

Work
É “fortificação”, nesta fala de Otelo para Iago: “Isto feito, percorrerei as fortificações./ Encontre-me lá” (That done, I will be walking on the works;/ Repair there to me) (3.2).

Wrangle
É o mesmo que “brigar” ou “discutir”. Segundo Desdêmona, algo deve inquietar o espírito de Otelo, pois ele é capaz de “brigar por qualquer coisa” (wrangle with inferior things) (3.4).

Wretch 1
Trata-se de um substantivo e quer dizer “miserável” ou “patife”, como nesta pergunta de Brabâncio para Iago: “Que miserável profano é você?” (What profane wretch art thou?) (1.1). O adjetivo correspondente (“miserável”, no sentido de “infeliz”) é wretched.

Wretch 2
Pode ser um termo carinhoso, como nesta exclamação de Otelo, referindo-se a Desdêmona: “Excelente pequena! Que a perdição se apodere de minha alma,/ se não a amo!” (Excellent wretch! Perdition catch my soul,/ But I do love thee!) (3.3).

Yerk
Trata-se de um verbo hoje em desuso para “golpear” (to strike), mas com o sentido de “apunhalar”, nesta fala de Iago para Otelo: “Falta-me a maldade/ que algumas vezes me seria útil: nove ou dez vezes/ pensei em apunhalá-lo aqui sob as costelas” (I lack iniquity/ Sometimes to do me service: nine or ten times/ I had thought to have yerk’d him here under the ribs) (1.2).

Yoke
Trata-se do “jugo” (do latim jugum), uma peça de madeira que une os bois ao carro ou ao arado. É a origem da palavra “cônjuge”, isto é, aquele que compartilha o jugo. Iago, em conversa com Otelo, refere-se ao homem casado como “o sujeito barbado preso ao jugo” (bearded fellow that’s but yoked) (4.1).

’Zounds
É o mesmo que “pelas chagas de Cristo” (by God’s wounds), como nesta fala de Montano, antes de desmaiar: “Pelas chagas de Cristo, ainda sangro; estou ferido de morte” (’Zounds, I bleed still; I am hurt to the death) (2.3).