Hendíade

Hendíade é uma figura de retórica que consiste na utilização de dois nomes ou substantivos coordenados em vez de um substantivo e seu atributo. Por extensão, é o uso de dois nomes para expressar um só conceito.

Shakespeare fez uso frequente das hendíades. Por exemplo, seu personagem Macbeth, falando de passagem sobre a vida, diz (frase que se tornou célebre, dando o título do romance de William Faulkner, The Sound and Fury), a vida: “It is a tale / Told by an idiot, full of sound and fury, / Signifying nothing.” ” É uma estória / Contada por um idiota, cheia de som e fúria, / Significando nada.” A palavra hendíade têm sua origem etimológica no grego “hen dia dyoin”, literalmente, um através de dois.

O uso de hendíade em Shakespeare foi um dos elementos considerados pelos críticos ao tentar estabelecer uma cronologia correta das peças do autor inglês. “Pela contagem de hendíades de Wright, tanto Bem está quanto Medida por Medida pertencem ao período durante o qual Shakespeare mais gostava desse recurso, embora a contagem em Bem está venha muito atrás na lista: Hamlet 66, Otelo 28, Troilus 19, Macbeth 18, Rei Lear, 15, Bem está 9. O fato de Medida por Medida ter quase o dobro de hendíades de Bem Está pode ser significativo; Hamlet tem uma a cada 66 linhas, Antônio e Cleópatra uma a cada 383 linhas, Medida por Medida a cada 176 linhas, e Bem Está a cada 330 linhas. Por esse cálculo, Bem Está poderia ser aceita como tardia, logo antes de Shakespeare perder o hábito de hendíade (as médias para Conto de Inverno e A Tempestade são 1538 e 1032) – possibilidade sob alguns aspectos confirmada pela versificação da peça de modo geral.” Frank Kermode, A Linguagem de Shakespeare